facebook
30/11/2021

Circulação de veículos deve aumentar com o fim do pedágio, PRF alerta que é preciso cuidado

Sem as concessionárias, serviços de apoio aos usuários das rodovias em casos de acidentes serão prestados pelas forças de segurança; saiba como vai funcionar e como os motoristas podem agir para prevenir acidentes neste fim de ano

Circulação de veículos deve aumentar com o fim do pedágio, PRF alerta que é preciso cuidado

A flexibilização das normas relativas à pandemia e ao fim do pedágio deverão levar mais pessoas para as rodovias do Paraná neste fim de ano, nos feriados de Natal e Ano Novo e no período de férias escolares. É o que prevê a Polícia Rodoviária Federal (PRF). “Nós temos a perspectiva já, baseada nos dois últimos feriados, que vai aumentar, que vai haver um fluxo maior de veículos circulando”, afirma o policial Kleber Cavali, representante do setor de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal.

Isso trará um cenário diferente do observado durante a pandemia, quando as restrições de horários impactavam no trânsito das rodovias. “O que houve no início, aqueles decretos determinaram certos horários, naqueles horários havia uma circulação menor e por consequência, menos acidentes e também menos infrações como alcoolemia, por exemplo”, explica o policial rodoviário federal.

Contudo, no geral, segundo Cavali, não ocorreram mudanças muito significativas nas estatísticas de acidentes registrados na região. “No contexto geral, se analisarmos a pandemia como um todo não houve muita diferença. Acidentes com maior letalidade caíram um pouco, isso observamos. Talvez tenha impacto nessa relação com esses decretos. Mas também é incerto porque não fazemos a estatística de acidente por acidente. É feito por períodos”, relatou.

Para este fim de ano, o alerta é que os motoristas tenham ainda atenção no trânsito. Além do aumento da circulação de veículos devido à tendência das pessoas viajarem após os casos de Covid-19 terem diminuído, o fim do pedágio também será um estímulo para a circulação das pessoas devido à redução de custos para as viagens.  Por outro lado,  o encerramento dos contratos das concessionárias que administravam os pedágios impactará no atendimento de acidentes e outras situações nas rodovias. Sem a concessão, os atendimentos serão feitos pelas forças de segurança.

Policiais rodoviários, policiais militares e bombeiros – com o suporte de equipes da Saúde, Polícia Civil, Polícia Científica e da Defesa Civil – serão os responsáveis pela operacionalização, de forma emergencial, de parte dos serviços que até então eram exercidos pelas concessionárias.

Na última quarta-feira (24), representantes das forças de segurança reuniram-se na sede da Secretaria de Estado da Segurança Pública para definir os últimos detalhes de como será a atuação.

O objetivo foi ajustar as operações de guinchos mecânicos, ambulâncias, inspeção de tráfego, atendimentos em casos de acidentes ou paralisação das pistas, canalização de fluxo nas praças de pedágio, entre outros serviços. Eles serão prestados nos 2,5 mil quilômetros de rodovias estaduais e federais que compõem o Anel de Integração, até o início das novas concessões.

“Estamos fechando esse planejamento, com todas as forças e secretarias integradas. O reforço dos serviços e o planejamento já estão consolidados. A partir de sábado e domingo, vamos substituir as concessionárias, pelo tempo necessário, na execução desses serviços”, afirmou o secretário estadual da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares.

Guinchos

Neste primeiro momento, de forma emergencial, a remoção dos veículos para desobstrução das pistas em casos de acidentes será feita pelos guinchos da Polícia Militar. O DER/PR já lançou um edital para contratação dos serviços de guincho leve e pesado, que estarão disponíveis em todas as rodovias do Anel de Integração pelo período de um ano.

Quando a situação é de falha elétrica ou mecânica do veículo, a responsabilidade pela remoção será do usuário.

“Alguns serviços que eram prestados pelas concessionárias serão interrompidos. Em acidentes leves, que não tenham vítimas, o motorista pode retirar o veículo da pista e sinalizar, podendo entrar em contato com a PRF para tirar dúvidas quanto ao procedimento”, explicou Maciel Junior, da comunicação social da PRF.

Ambulâncias

O Corpo de Bombeiros sempre atuou no atendimento pré-hospitalar das vítimas de acidentes rodoviários, com a mobilização das ambulâncias do Siate. Esse trabalho será reforçado tanto com a ampliação do efetivo, como também com a participação da Secretaria de Estado da Saúde, com a inclusão das bases do Samu nesse atendimento.

Ao todo, serão 35 bases de atendimentos – 14 do Corpo de Bombeiros (Siate) e 19 do Samu – com cobertura de toda a malha rodoviária. “O Corpo de Bombeiros sempre atuou nas rodovias auxiliando as concessionárias. A diferença é que agora vamos absorver as demandas que elas recebiam pelo 0800 e atuar juntamente com o Samu”, destacou o comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná, coronel Manoel Vasco de Figueiredo Júnior.

Planeje a viagem

O motorista também precisa verificar a sua documentação e a do carro antes de pegar a estrada. Mas, mais do que isso, planejar como será essa rota e essa viagem, para conseguir estar preparado para alguma eventualidade.

 “Que a família planeje sua viagem, desde o horário de saída, o horário de parada, se vai parar em algum posto durante a viagem porque muitas vezes a gente observa que a pessoa pensa: ‘Vou de Ponta Grossa a Joinville e vou levar 3 horas’. Mas acaba não planejando e acaba levando cinco, seis, sete horas e nem um copo de água tem no seu carro. Então, planeje sua viagem”, destaca Cavali.

Medidas de segurança

O policial Kleber Cavali, representante do setor de Comunicação Social da PRF relembra algumas medidas de segurança que os motoristas devem adotar ao viajar. “Há um aumento do fluxo de veículos, com esse aumento deve-se redobrar a atenção na direção. A condução com a maior atenção possível”, diz.

Outro aspecto é relativo às boas condições do veículo. “A questão do veículo sempre com uma boa manutenção, ou seja, com a manutenção do seu veículo em dia, de todo o sistema, sistema de freios, sistema de iluminação”, afirma.

Ações simples, mas que evitam acidentes graves, devem ser tomadas pelos condutores de veículos, ressalta Cavali.  “E preservar a sua segurança: não parar sobre a pista. Se tiver um acidente e parar sobre a pista, isso dá um problema muito sério com atropelamentos e acidentes em série, de filas. Tire o veículo o mais rápido possível. Se for beber, não dirija. Se for dirigir, não beba. Isso, principalmente, é muito importante nesta época que vamos entrar em dezembro”, alerta.

Ele recomenda que agora – com o término do contrato com as concessionárias –, havendo qualquer tipo de situação, de incidente, o usuário da rodovia informe o mais rápido possível a Polícia Rodoviária Federal ou Estadual, conforme o trecho onde estiver.

Para onde ligar?

Com o encerramento dos contratos de pedágios, os motoristas que tiverem algum problema nas rodovias paranaenses terão que ligar para os órgãos de segurança.

Se estiver em uma rodovia federal, é preciso ligar para a Polícia Rodoviária Federal, no número 191.

Se estiver em uma rodovia estadual, é preciso ligar para a Polícia Rodoviária Estadual, no número 198.

No caso de acidente, o Corpo de Bombeiros pode ser acionado no número 193.

Texto: Karin Franco e Letícia Torres, com informações Agência Estadual

Fotos: Agência Estadul e Divulgação PRF

Galeria de Fotos

COMENTÁRIOS