facebook
13/12/2021

SUBRASI comemora 100 anos de fundação em Irati

Sociedade Ucraniano-Brasileira de Irati realizou um jantar comemorativo e lançou uma revista resgatando a história do Clube 7 em Irati

SUBRASI comemora 100 anos de fundação em Irati

Sociedade Ucraniano-Brasileira de Irati (Clube 7) está comemorando seu centenário neste ano com o lançamento de uma revista que conta a história da sociedade. A comemoração ainda contou com um jantar para associados na noite de quinta-feira (9).
A sociedade Clube 7 foi fundada no dia 27 de agosto de 1921 por um grupo de trabalhadores ucranianos e moradores de Irati, sendo batizado de Taras Schevtchenko, em homenagem ao poeta ucraniano. O grupo tem ajudado a preservar a cultura dos descendentes de ucranianos no Brasil, além de criar uma comunidade participativa com atividades sociais, recreativas e esportivas. O trabalho na comunidade iratiense fez com que o município declarasse a instituição de utilidade pública por meio da lei nº 4.538/2018.

A história da sociedade foi registrada em uma revista que traz detalhes de momentos importantes para o clube. “O Clube 7 teve, na década de 40 e 50, local de baile, de carnaval, de festas juninas, que tudo está inserido na revista. Estamos apresentando nessa revista esses aspectos”, conta o professor Antônio Alceu Jacopetti, que é um dos integrantes da diretoria do Clube 7.

Outro fator importante registrado na revista é o histórico do clube com a bocha, um dos principais esportes dos associados. Por muito tempo, o Clube 7 possuía a única cancha que reunia os associados, chegando a ser local de competições regionais.

Contudo, para melhorar o ambiente, no início dos anos 2000, o clube construiu a sua segunda cancha de bocha. “Como o Clube 7 era o que oferecia o local para as competições regionais, e até de Jogos Abertos, e a nossa cancha era realmente de operações precárias, nós fizemos um movimento e conseguimos uma cancha nova. Que até pouco tempo, passou a ser o local para todas as competições”, explica Jacopetti.

Outra modalidade que o Clube 7 teve destaque em sua história foram os torneios de truco. O local se tornou o ponto de destaque para competições do município, chegando a receber um torneio com mais 500 competidores. “256 duplas divididas em quatro dias e com reserva a mais. Então, realmente o Clube 7 passou a ser destaque também na questão do truco da cidade”, comentou o professor.

O Clube 7 também ajudou integrantes de outras modalidades esportivas cedendo o espaço para treinos e torneios. “Quando a Sociedade de Tênis de Mesa de Irati solicitou, nós cedemos as instalações. Estará constando na revista. Muitas competições, muitos trabalhos de escolinhas. O tênis de mesa foi muito forte e que nós oportunizamos para a comunidade”, explicou.

Atualmente, um dos destaques é o grupo de mulheres da Terceira Idade. “Passamos a oferecer às quartas-feiras para as senhoras o Clube 7. É difícil destacar todas [atividades], mas sob o comando da Marli Custódio, que é atuante, começaram a jogar a canastra que elas gostam, tênis de mesa e a bocha”, conta Jacopetti.

O grupo tem mulheres de 70 a 80 anos, com cerca de 20 a 30 integrantes, que participam de todas as atividades. Contudo, na bocha, algumas mulheres tiveram dificuldade de se adaptar e o jogo foi modificado para que elas participassem. “A gente criou uma atividade, uma mescla da bocha com o boliche. Até colocamos como ‘jogopetti’ que daí é só rolado a bola em círculos, que é espetacular, inclusive já tenho o convite da Secretaria do Estado do Paraná para apresentar nos jogos da Terceira Idade”, disse o professor.

Ainda na área esportiva, o Clube 7 também possui uma equipe de futebol. O time surgiu após a Copa do Mundo de 2002, quando o Brasil foi pentacampeão mundial. Na época, o Clube 7 fez alguns bolões que arrecadaram recursos para a criação da equipe e a compra do uniforme. “Temos um time de futebol há 19 anos. Só fizemos jogos amistosos, de preferência no interior”, conta.

Jacopetti também destacou a gastronomia do Clube 7. “Todos os dias tem um cardápio diferente. Não vou me alongar aqui, mas entre eles, a feijoada que passou a ser quase um ponto turístico de Irati”.

Além das atividades, a atual direção tem ajudado na preservação do prédio da sociedade. “Foi revitalizado toda a cancha de bocha e também foi feito pintura externa no clube, e mais outras coisas que precisam ser reformadas, nós estamos fazendo. Na parte da churrasqueira foi revestido tudo, na parte de dentro. E sempre estamos fazendo uma coisinha ou outra que sempre aparece problemas. O prédio é mais ou menos antigo, mas estamos cuidando e fazendo”, relata o tesoureiro do Clube 7, Nelson Bakaus.

O jantar em comemoração aos 100 anos ocorreu na noite de quinta-feira (9), com sorteios de brindes. Com cerca de 50 sócios, o jantar é parte de uma tradição da sociedade que realiza um evento para os sócios todos os finais do ano. “Nós tivemos a ideia há anos já que todos os elementos que são sócios e sempre participando do clube, através de uma brincadeira, um jogo de canastra, de tranca ou truco, sendo que as mulheres quase não participavam. Então, tivemos essa ideia que a diretoria aprovou, de resolver fazer um jantar dos sócios com as esposas, porque tinha esposa que nem sequer conhecia o clube. Então, tivemos a oportunidade de fazer o jantar anos atrás. Só que ano passado não foi possível devido à pandemia e esse ano estamos realizando esse jantar”, disse Bakaus.

Histórico: A primeira diretoria da sociedade foi composta por Valdomiro Kozakevicz, como presidente, Gregório Leuch, como secretário e Joaquim Demczuk, como tesoureiro.

Ao longo de sua história, a sociedade teve várias mudanças de nome. A primeira aconteceu em 11 de maio de 1923, quando a sociedade passou a ser chamada de “Sociedade Club dos Operários Ukraínos”. Na época, o presidente era Constantino Odreski. A outra mudança foi em 24 de setembro de 1933, quando passou a se chamar “União Ukraína Prosswita”. Matias Colicheski era o presidente neste ano.

Já em 26 de junho de 1938, a sociedade mudou novamente de nome passando a ser chamada de “Sociedade Agrícola Instrutiva de Irati”. O presidente da sociedade era Estanislau Kolossovski.

Sob a presidência de Walter Bakaus, a sociedade mudou seu nome para “Sociedade Recreativa Beneficente 7 de setembro”, no dia 26 de janeiro de 1947.

Mas em 1956, a União Agrícola Instrutiva, com sede em Curitiba, passou a incorporar o patrimônio e sócios da “União Recreativa Beneficente 7 de setembro” fazendo com que a sociedade mudasse novamente de nome. Em 22 de abril de 1956, a sociedade passou a se chamar “União Agrícola Instrutiva – Filial de Irati”, tendo agora como representante Matias Colicheski. Na qualidade de filial, a sociedade passou a obedecer a disposições estatutárias da matriz.

Em novembro de 2015, a filial iratiense se desvinculou da matriz de Curitiba e se tornou uma entidade jurídica, passando a ter autonomia financeira, administrativa. Em 2 de junho de 2017, a sociedade passou a ser chamada de Sociedade Ucraniana Brasileira de Irati (SUBRASI).

A atual diretoria é formada por Nestor Romaniuk (presidente), Natalim Dyniewicz (vice-presidente), Antonio Alceu Jacopetti (1º secretário), Jaciel Laskoski (2º secretário), Nelson Bakaus (1º tesoureiro) e Anselmo Stroparo (2º tesoureiro). No Conselho Fiscal estão: Adonis Santos, Laudelino Antonio Filipus (Toninho) e Mario Luiz Novak. No Conselho Fiscal suplente estão: André Janiski, Alcides W. Almeida e Sidnei Menon.

Já no Conselho Deliberativo são titulares: Epaminondas Brás Martins, Antonio Alceu Jacopetti, Nestor Romaniuk, Nelson Bakaus, Natalim Dyniewicz, Lineu Rodrigues, Julio Dreminski, Valdomiro Bulka, César Fleischer e Tadeu Stefaniak. Os suplentes do Conselho Deliberativo são: Rubens Santos, Verci Prado, José Augusto Siquinel, Milton Marciniuk, Augustinho Kucharski, Julio Vink, Sandro Menon, Andréia B.S. Kruk, Miguel Stefanovicz e Arylton Pires.

Texto: Karin Franco / Najuá

 Fotos: Ciro Ivatiuk / Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos

COMENTÁRIOS