facebook
24/07/2020

Safras de milho e de feijão foram 34% maiores na região

Safras de milho e de feijão foram 34% maiores na região

Os números da safra 2019/2020 nos municípios do Centro Sul já foram contabilizados pelo Núcleo Regional de Irati da Secretaria de Estado do Abastecimento (SEAB). Na região, que compreende Irati, Fernandes Pinheiro, Teixeira Soares, Imbituva, Inácio Martins, Mallet, Rebouças, Rio Azul e Guamiranga, duas das principais culturas, milho e feijão, tiveram aumento da produção de mais de 34%.

“Se considerarmos as três principais culturas de verão plantadas na região, que são a soja, o milho e o feijão, o aumento da produção foi de 3,4%; 34,2% e 34,9%, respectivamente”, relata a chefe do Núcleo Regional de Irati da SEAB, Adriana Baumel.

Esses mais de 34% de aumento na produção regional de milho e feijão, na comparação com os números estaduais da safra de grãos, representam quase o dobro. O Paraná ultrapassou  41 milhões de toneladas de grãos produzidas na supersafra 2019/2020, um volume 16% maior em relação à safra 2018/2019.

Na última safra os produtores rurais dos municípios do Centro Sul também destinaram áreas maiores para o cultivo de soja, milho e feijão. A área destinada ao plantio de milho passou de 28.940 para 35.100 hectares; a de soja passou de 175.500 para 184.100 hectares; e a de feijão passou de 30.325 para 30.900 hectares.

Apesar do plantio de feijão ter tido o menor aumento de área para o cultivo, teve significativo aumento de produtividade na comparação com a safra anterior. De acordo com a chefe do Núcleo Regional de Irati da SEAB a produtividade média da cultura de feijão foi 31% superior à do ano passado e da de milho 10,6% maior. Apenas a soja teve uma produtividade média menor, 1,4%. “Para a cultura da soja, a redução na produtividade, foi devido às condições climáticas ocorridas durante o seu plantio, com excesso de chuva e depois a estiagem durante a fase de desenvolvimento. Par a cultura do milho e do feijão, devido terem época de plantio diferente da soja, com início no mês de setembro, estavam em fases de desenvolvimento que as condições climáticas foram favoráveis para uma melhor produtividade”, explica Adriana.

Produção

O volume da produção dos municípios do Centro Sul foi de 644.350 toneladas de soja, 310.635 toneladas de milho e 60.718 toneladas de feijão.

Preço melhor

Outro aspecto positivo é que a comercialização da safra 19/20 tem garantido bons preços aos agricultores.  “Além da maior produção, o preço médio recebido pelos produtores, também está sendo maior que na safra passada”, desta a chefe do Núcleo Regional de Irati da SEAB. Entretanto, ela cita que os custos para a produção também estão mais elevados. “Devido à pandemia causada pelo Covid-19 que afetou a economia regional, nacional e também mundial, e diretamente o câmbio do dólar, os produtores receberam mais por seus produtos, mas também estão pagando mais pelos insumos agrícolas para a próxima safra, devido a matéria-prima de fertilizantes e agrotóxicos, ser, na maioria das vezes, importada”, comenta Adriana.

Safra 20/21

De acordo com o Núcleo Regional de Irati da Secretaria de Estado do Abastecimento (SEAB), as principais culturas plantadas nos municípios da região Centro Sul, pelo zoneamento agrícola, têm início a partir do mês de setembro.

Atualmente, a única cultura que já tem seu plantio em desenvolvimento é a cebola, que apesar de ser uma cultura de inverno, é considerada com da safra 2020/2021.

Quanto à estimativa de áreas a serem plantadas na próxima safra, Adriana Baumel destaca duas culturas, a soja e o tabaco.  “A cultura da soja tem uma evolução de área positiva por vários anos seguidos, a estimativa atual é de aumento de 3,5%, e a cultura do tabaco é a cultura que deverá ter a maior redução de área, que está estimada entre 7 a 10%”, finaliza.

Exportações do Paraná

No Paraná, 80,3% da receita gerada pelas exportações tem origem no agronegócio. Os principais produtos do agronegócio exportados pelo Estado são soja, carnes e produtos florestais. 

No primeiro quadrimestre de 2020, com a supersafra de grãos produzida, a exportação da soja cresceu 39%.

Produtividade em destaque nacional

A maior produtividade de soja do país foi registrada em uma propriedade paranaense. Na safra 2019/2020, o produtor rural Laércio Dalla Vecchia, do município de Mangueirinha, colheu 118,82 sacas por hectare.

De acordo com o Departamento de Economia Rural da SEAB trata-se de uma façanha considerável, levando-se em conta que a produtividade média das lavouras brasileiras é de 50 sacas por hectare.

O produtor participou do concurso "Desafio Nacional de Máxima Produtividade da soja", realizado pelo Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb), que reuniu produtores de todo o país. O segredo, segundo ele, foi investir no solo e monitorar a lavoura, sempre com o apoio da assistência técnica do IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná- Iapar-Emater).

Texto: Letícia Torres/Hoje Centro Sul

Fotos:Arquivo Hoje Centro Sul e Pixabay

Galeria de Fotos

COMENTÁRIOS