facebook
07/12/2020

Receita Federal orienta sobre como fazer a regularização do CPF

Nas situações mais comuns é possível atualizar o documento sem sair de casa, pela internet

Receita Federal orienta sobre como fazer a regularização do CPF

Os principais serviços e orientações voltadas à regularização do cadastro de pessoas físicas (CPF) foram disponibilizados pela Receita Federal em seu site, na nova seção chamada Meu CPF. De acordo com os profissionais que atuam neste órgão, a proposta é simplificar a interação dos cidadãos com a Receita Federal e esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto.

A alternativa virtual foi criada porque a Receita Federal identificou aumento significativo na demanda por atendimento para obter serviços relacionados ao CPF nas unidades físicas

Na nova seção chamada Meu CPF, há o infográfico – que publicamos ao lado – com as principais situações irregulares do CPF e informa o que o cidadão deve fazer para se regularizar.

De acordo com a equipe da Receita Federal, nas situações mais comuns, não há necessidade de sair de casa. O cidadão pode atualizar o CPF pela internet e, se houver necessidade de apresentar seus documentos de identificação, pode enviar por e-mail à Receita Federal, anexando, também, uma selfie sua segurando o documento, para comprovar sua legitimidade.

Para saber mais sobre o cadastro de pessoas físicas (CPF), visite www.gov.br/receitafederal e clique em Meu CPF.

Pandemia

Considerando que o atendimento no Centro de Atendimento ao Contribuinte em Ponta Grossa - CAC  e nas Agências de Ibaiti, Irati, Guarapuava e União da Vitória encontra-se prejudicado em decorrência da Pandemia da Covid-19, a Receita Federal orienta que ao invés de buscar fazer o agendamento para atendimento presencial (como sugere o infográfico em alguns itens), seja enviada a demanda por e-mail à Receita Federal, no endereço eletrônico: atendimentorfb.09@rfb.gov.br , anexando, além dos documentos pertinentes, uma selfie sua segurando o documento de identidade ao lado do rosto, para comprovar sua legitimidade.

Texto: Da Redação/Hoje Centro Sul, com informações  Receita Federal

Imagem: Infográfico explicativo

COMENTÁRIOS