facebook
09/10/2020

Psicóloga orienta que crianças precisam brincar e que os pais podem incentivá-las

Psicóloga orienta que crianças precisam brincar e que os pais podem incentivá-las

Afastadas das escolas e da convivência com pessoas da mesma idade, as crianças têm vivido um período atípico nos últimos meses. Elas foram tiradas bruscamente de suas rotinas e precisam do apoio dos pais para enfrentar o isolamento social imposto pela pandemia e, simultaneamente, continuarem seu processo normal de desenvolvimento.

A psicóloga clínica infantojuvenil, Mellussa Chicalski, explica que as crianças precisam dos momentos de brincadeiras e, devido ao isolamento em casa, é muito importante que os pais compartilhem ainda mais o seu tempo com os filhos. “Volte a ser criança com seu filho. Utilizem o lado de fora da casa, corram, pulem, se sujem, brinquem na lama, na areia, na água, façam o dia do piquenique no pátio de casa. Em dias chuvosos, brinquem de argila, massinha, casinha, carrinhos, inventem brincadeiras novas dentro da residência. Nos finais de semana façam o dia do cinema, preparem receitas gostosas juntos. Curtam esse momento lindo e mágico que é a infância”,  sugere a psicóloga.

Outra dica da profissional é para que questões relativas à saúde sejam abordadas de forma lúdica com as crianças. “Aproveitando essa situação nova que estamos enfrentando [devido ao coronavírus] e que a higiene se faz ainda mais necessária, ensine seu filho a lavar bem as mãos e a se proteger do vírus de forma divertida. Tem vários vídeos educativos que podem ser encontrados na internet, como também brincadeiras que trabalham com a higiene”, comenta.

Mellussa ainda destaca que os pais devem sempre lembrar que as crianças têm os mesmo sentimentos que os adultos e que é preciso cuidar da saúde mental dos pequenos. “Produzir saúde mental desde o começo da vida, desde a primeira infância é fundamental. Proteção integral e políticas de promoção e prevenção de saúde se fazem mais que necessárias”, explica à psicóloga.

Novas Ideias

O primeiro drive-in da Escola Futuro de Irati aconteceu na época das festas juninas, onde foi montado um cenário em frente à escola e os pais traziam seus filhos vestidos de caipirinhas. Após isso, no dia 07 de setembro, a escola organizou uma serenata em frente à casa dos alunos.

“Foram passando os dias, passando os meses e a gente percebeu que a escola não voltaria tão cedo. Como a grande maioria dos nossos alunos, são alunos pequenos e a escola é o contato físico, é o carinho do professor com eles. A gente precisava encontrar uma forma de estar mais perto deles, de revê-los, mesmo que mantando uma distância. Para eles também perceberem que a gente não esqueceu eles, não abandonou eles”, contou a diretora da escola, Daniela Maravieski Ramos.

O Colégio São Pedro Canísio também realizou atividades drive-in. Escolheu um sábado de manhã para fazer a entrega de plantinhas para que os alunos levassem para suas casas e cuidassem delas até o retorno às aulas. Os pais e os alunos gostaram da iniciativa e os estudantes continuam cuidando de suas plantinhas.

A relação entre as famílias e as escolas também se tornou mais próxima nas duas instituições de ensino.  “Os pais estão nos apoiando muito, acho que essa parceria entre a família e a escola, vem se fortalecendo a cada dia em relação a esse distanciamento social e essa pandemia”, disse a diretora da Escola Futuro.

Dia das Crianças

Comemorado em 12 de outubro, o Dia das Crianças deste ano não terá grandes eventos com atividades recreativas, como pintura facial, cama elástica e piscina de bolinhas. As brincadeiras terão que ser apenas em casa ou em locais amplos, como parques, com o apoio dos pais e demais membros da família.

Texto: Daniela de Mello

Foto: Crédito: Divulgação/Passosdacriança.org

COMENTÁRIOS