facebook
18/03/2021

Prefeitura faz comunicado sobre repasses financeiros

Prefeitura faz comunicado sobre repasses financeiros

Na tarde de hoje (18), o prefeito Jorge Derbli fez um comunicado sobre a aplicação dos recursos financeiros federais destinados ao Município para uso durante o período de pandemia, como forma de um socorro ante à queda de arrecadação pela qual todos os municípios passaram.

O prefeito abordou os questionamentos feitos principalmente em redes sociais, quanto a como este auxílio foi aplicado no Município. “No ano passado, o Governo Federal fez um repasse da ordem de R$ 7.052,000,00 para Irati, divido em quatro parcelas”, detalhou o prefeito. Derbli acrescenta que a população pergunta se esta importância veio especificamente para atendimento à Covid-19, ou apenas para aplicação em Saúde. “Nós utilizamos os R$ 7 milhões para honrar a folha de pagamento. 100% na folha dos funcionários, inclusive para os profissionais de Saúde que trabalham nas UBS, os médicos, trabalhadores da Assistência Social, ou seja, profissionais que trabalham diretamente no combate à Covid-19. Houve uma queda de arrecadação, em abril e maio, em que cada mês caiu em torno de 35%, que trouxe um déficit de aproximadamente R$ 5 milhões para o Município de Irati”, prosseguiu o chefe do executivo.

“Recebemos, por um lado, este auxílio em recursos para compensar a queda de arrecadação. Mas gastamos só na Saúde, em valores comprovados, contabilizados e dos quais já foi prestado contas, R$ 1,9 milhão, com recursos próprios da Prefeitura”, complementa o prefeito. “Caiu a arrecadação, e este socorro federal supriu esta necessidade financeira do Município. Se gastamos e investimento muito na Saúde, foi em razão da grande preocupação que temos com a grave situação que estamos enfrentando há tanto tempo”, mencionou Derbli.

“Nenhum repasse do valor federal foi feito a qualquer outra situação que não seja esta essa que relatei. Estamos, na verdade, trabalhando muito e fazendo o possível dentro da Prefeitura para ajudar as pessoas que foram afetadas ou contaminadas pela disseminação do vírus. Estamos fazendo decretos que muitas vezes não agradam todos os setores da sociedade, onde muitos ficam bastante insatisfeitos. Mas só sei que hoje não temos mais nenhum leito na Santa Casa. Só sei que não conseguiremos internar mais ninguém aqui em Irati, e transferir é uma incógnita pois a Saúde de todo o Paraná já está em colapso”, frisou.

A gente está fazendo o possível, tanto é que, na nossa Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila São João, abrimos 10 leitos para atender necessidades básicas dos contaminados pela Covid-19. Tem uma Enfermaria com equipe médica, um pouco de remédio e oxigênio para que essas pessoas fiquem, temporariamente, em observação, até conseguirem transferência para algum leito”, citou o prefeito.

Derbli ressalta à população que o maior desafio da administração não é a falta de recursos, e sim, a falta de vacinas para todos os iratienses, e de medicamentos para sedação. “Recentemente, a Câmara de Vereadores aprovou uma lei para Irati participar do consórcio da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) em que estão quase todos os municípios do Brasil para a aquisição de vacinas”, disse o prefeito, agradecendo o apoio do Legislativo.

Ele chama os cidadãos para uma reflexão sobre a falta de medicamentos para sedação pela Santa Casa de Irati, que informou ter suprimentos para poucos dias. “Imagine a pessoa entubada não ter mais sedativo para mantê-la em coma induzido, pois ninguém consegue ficar acordado com um tubo da garganta ao seu pulmão”. Ele reforça que as dificuldades não são financeiras e que o município está buscando alternativas para atender a Santa Casa no que é possível.

O prefeito enfatiza que todo recurso que veio do governo federal foi devidamente aplicado no município sem desvios de função. A prefeitura está atendendo todas as solicitações realizadas pela Secretaria de Saúde.

“Pra encerrar, gostaria de deixar uma mensagem às pessoas, principalmente das redes sociais: toda crítica é muito bem-vinda, quando construtiva. Precisamos criticar, mas também colaborar e sugerir. Não adianta ficarmos procurando o culpado da Covid-19. Precisamos nos unir, porque o inimigo é um só e juntos precisamos achar uma solução”, finalizou.

Texto/ foto: Assessoria PMI

COMENTÁRIOS