facebook
02/09/2020

Novas empresas iniciam período de incubação e pré-incubação na Ineti

Novas empresas iniciam período de incubação e pré-incubação na Ineti

A Ineti, que é a Incubadora de Negócios Irati, está com novos empreendimentos assessorados. No último edital para os Programas de Incubação e Pré-Incubação, seis projetos foram aprovados e passaram a integrar o time de micro e pequenas empresas com quesitos inovadores que receberão da Ineti o suporte para a elaboração de plano de negócios, realização de diagnóstico e consultoria empresarial, marketing e pesquisa de mercado, orientação técnica e contábil.

Segundo o diretor da Incubadora, o professor da Unicentro Diogo Luders Fernandes, a equipe da Ineti já está trabalhando no aperfeiçoamento dos novos empreendimentos aprovados. “Nós, enquanto Incubadora, estamos trabalhando junto a esses novos empreendimentos com o objetivo realmente de possibilitar a eles uma capacitação e qualificação na área de gestão, inovação, criatividade e, mais do que tudo, tentar formar empresas que se consolidem no mercado, que ofereçam algo aos seus consumidores – produtos personalizados, produtos e serviços inovadores, criativos – e que satisfaçam também seus empreendedores, de modo a possibilitar a eles realização do sonho de empreender”, afirma.

Os projetos de negócios que estão em fase de planejamento e ainda não saíram do papel podem ser assessorados pela Ineti por meio da pré-incubação. Esse é o caso da Alugbike, um aplicativo de aluguel de bicicletas criado por Kellen Renata Cardoso e Wilian José da Silva. “A nossa ideia”, explica ela, “seria a formulação de uma aplicativo chamado Alugbike, no qual seria possível qualquer pessoa que tenha uma bicicleta e esteja disposta a alugá-la, possa postar no aplicativo para que as pessoas que precisem de uma bicicleta possam utilizá-la por alguns momentos, seja para se deslocar a algum lugar, assim como praticar o ciclismo”. De acordo com Wilian, “a expectativa é, principalmente, que a nossa ideia se concretize e, para isso, a Ineti se mostra como uma importante aliada, pois com sua estrutura técnica nós poderemos ter um direcionamento dos esforços na direção correta e assim poderemos realizar nosso sonho”.

Outro projeto recém pré-incubado pela Ineti é o do Silmonei Kszan. Ele é proprietário de uma empresa de manutenção de equipamentos pesados e pretende investir na fabricação de ferramentas tecnológicas, como impressoras 3D e máquinas com corte CNC – que são as que possuem Comando Numérico Computadorizado. Segundo o empreendedor, sua ideia é que esse maquinário seja utilizado como instrumento de ensino em escolas da região de Irati. “A minha expectativa é tentar montar um projeto e colocar dentro das escolas, principalmente de Ensino Médio, para que as escolas consigam montar um Espaço Maker, um espaço ‘faça você mesmo’, onde a própria pessoa iria fazer as coisas que gosta, utilizando tecnologia tanto em impressão 3D, CNC Router, marcenaria e outros atrativos, como também o artesanato. Tudo dentro desse espaço”.

A Incubadora de Negócios Irati também oferece a modalidade de incubação de empresas, que é voltada para negócios que já existem mas querem implementar mudanças visando a sua expansão. Um dos projetos recentemente vinculados nessa categoria é o do William Rodrigues dos Santos Lazarin, que está aperfeiçoando um escritório de ideias com foco em design gráfico, para oferecer serviços para empresas, como a criação de identidade visual, design técnico e conteúdo para mídias sociais. “Ao unir forças com a Ineti, acredito que será possível desenvolver algumas partes do plano que envolvem troca de conhecimentos, criação de uma rede de cooperação e desenvolvimento da economia criativa na região de Irati. Uma das coisas que mais me chamou a atenção na Ineti é o fato de ser uma intermediadora de aproximação entre empresas e o meio acadêmico. Acredito que esse seja um diferencial de conhecimento adquirido que poderá servir como uma forma das empresas incubadas se destacarem no mercado”, avalia William.

E também tem empresas com viés sustentável entre os novos incubados da Ineti. Idealizado pelo egresso do curso de Administração da Unicentro Bruno Visinoni Kotrybala, a Oficina Ímpar, de comércio de acessórios de moda e objetos de decoração, pretende criar produtos combinando resina e materiais reciclados. Com a ajuda da Incubadora de Negócios Irati, ele quer montar uma rede colaborativa com fornecedores de matéria-prima – como ferros-velhos e catadores autônomos – e também busca estabelecer contato com artistas, como designers, costureiros e artesãos para a confecção dos produtos de moda e decoração.

“Em ambos os seguimentos será utilizado como matéria-prima principal materiais de reciclagens, como madeiras, metais e até mesmo sobra de outras peças, combinados com a resina e muita criatividade.Com relação às expectativas de incubação, eu pretendo o aperfeiçoamento profissional com a troca de conhecimentos no ambiente da Ineti, o assessoramento na implementação do negócio e também a assistência na negociação de possíveis parcerias, possivelmente para estruturação da rede”, detalha Bruno.

Outro negócio recém incubado pela Ineti é a Aluade Style, uma empresa de customização de camisetas gerenciada por Giovana Fogaça Sebben e Évelin Andressa Schefer. Évelin conta como estão as expectativas agora que o negócio está vinculado à Incubadora de Negócios Irati. “A nossa expectativa a partir do momento que o projeto foi aprovado é enorme porque sabemos que o embasamento que eles poderão nos dar é gigantesco. Como a gente não tem nenhum conhecimento prévio sobre o assunto, será de extrema importância essa ajuda, esse suporte. Esperamos que a partir do momento que começamos a desenvolver esse projeto dentro da Incubadora a gente só venha a crescer e aumentar o nosso mercado”.

Além desses dois perfis de empresas, em 2020, a Incubadora de Negócios Irati decidiu incluir uma modalidade inédita para a submissão de projetos: a incubação de associações e cooperativas de cunho social. Acolhida pela Ineti, a organização Diz no Peito ampara mulheres em situação de vulnerabilidade social em 67 cidades brasileiras, com cerca 570 atendimentos encaminhados atualmente. O funcionamento da rede Diz no Peito, abreviada como DNP, é mantido com a venda de camisetas.

“O que a rede DNP faz é levar informação, conhecimento, é deixar as mulheres cientes de seu direito para que elas não permitam mais ser violadas. Para isso, nós oferecemos assistência social – não só psicológica e jurídica, mas principalmente empreendedora e financeira – para que as nossas ações sejam eficazes e realmente transformadoras”, pontua sobre a atuação da DNP a psicóloga e coordenadora do projeto Suelen Machado.

As novas empresas e a organização incubadas poderão contar com os serviços de assessoramento da Ineti por dois anos, enquanto os projeto de pré-incubação tem contrato de um ano. Ambas as modalidades podem ter os prazos de vínculo com a Incubadora de Negócios Irati prorrogados por até seis meses. Para conhecer mais sobre a Ineti acesse incubadoradenegociosirati.com.br.

Texto/Foto: Assessoria Unicentro

COMENTÁRIOS