facebook
28/04/2021

Necessidade de um olhar atento e complacente

Necessidade de um olhar atento e complacente

A desigualdade entre os gêneros aumentou com a pandemia. As mulheres acabaram ampliando suas atribuições, que já costumavam ser bem maiores do que as dos homens.  O relatório Global Gender Gap Report 2021, feito pelo Fórum Econômico Mundial, com auxílio de dados da Ipsos, instituto internacional de pesquisas, mostrou que mulheres com filhos foram as que mais trabalharam em horas pouco convencionais, como nas primeiras horas da manhã ou muito tarde, à noite.

Para elas, foi maior o aumento nos níveis de estresse devido às mudanças nas rotinas de trabalho e também a ansiedade devido às pressões familiares,  como o dever de cuidar das crianças que estão assistindo aulas remotas.

Algumas até mesmo tiveram que deixar de trabalhar para poder atender as novas  necessidades familiares. Isso afetou em maior escala aquelas que têm menor poder aquisitivo e filhos pequenos, pois dependiam de escolas e creches públicas, que deixaram de atender devido à pandemia. 

Os efeitos das restrições impostas pela Covid-19 ao cotidiano de todos foram sentidos com maior intensidade pelas mulheres de modo geral.  Em escala maior pelas mulheres chefes de família. E de forma mais devastadora pelas mulheres pobres. São estas que têm menores possibilidades de auxílio nos afazeres domésticos, mais dificuldade para garantir o acesso às aulas remotas para os filhos – por falta de computadores ou smartphones – e também que mais sofrem pelo baixo grau de instrução que prejudica o acompanhamento dos filhos nas atividades remotas. 

Diante disto tudo, para se falar sobre a pandemia é necessário entender que apesar do vírus afetar a todos, cada indivíduo sofre os efeitos de formas diferentes, mais ou menos intensas conforme o gênero, a condição social, o grau de instrução e tantas outras questões que diferenciam as pessoas. É preciso um olhar atento e complacente, pois estamos todos no mesmo mar, mas cada um em um tipo diferente de embarcação, alguns sofrendo muito mais para remar, em pequenas canoas sujeitas a naufragar, outros tem barcos pequenos a motor, e outros em iates enormes. O mar revolto pode vitimar a todos, mas nos momentos de maré mais calma, uns levam grandes vantagem sobre outros.  

Texto: Letícia Torres/Hoje Centro Sul

COMENTÁRIOS