facebook
26/10/2020

Mulheres de Irati abrem salão para pessoas com cabelos cacheados

Mulheres de Irati abrem salão para pessoas com cabelos cacheados

Em Irati, uma nova tendência em salões de beleza surgiu para valorizar a beleza e a cultura Afro. O Espaço Sun Rá tem o intuito de atender a população negra da cidade, que por mais que não seja muito grande, existe. “A gente sabe que a comunidade Afro aqui em Irati não é muito grande, porém ela existe, está aqui, e precisa de um lugar onde ela se reconheça”, relatou Mylena Viante, uma das administradoras do espaço.

O Espaço Sun Rá é administrado por duas mulheres negras: Mylena Viante e a Thayanne Rocatelli, que após uma pesquisa viram que as potenciais clientes não estavam contentes com os salões que frequentavam.  “A gente fez bastante pesquisa nas redes sociais, perguntando como era a relação das meninas cacheadas com salões de beleza aqui da cidade e daí o feedback foi super negativo”, relata Mylena.

A proposta das empreendedoras é de estimular a valorização dos cabelos naturais, crespos, para que as mulheres sintam-se bem sem recorrer a qualquer tipo de alisamento. Com isso, além da estética, pretendem trabalhar a autoestima das clientes, para que elas estejam bem. “Por isso que a gente escolheu esse público, para a gente trabalhar não só a parte de beleza e estética, mas também trabalhar a saúde mental, porque as duas coisas estão interligadas”, enfatiza Mylena.

A psicóloga Daniele Pires Soares comenta que a ideia é muito interessante, pois toda iniciativa  que colabora para o aumento da autoestima, para enaltecer o ser humano, é válida. “O indivíduo necessita estar bem com seu corpo, mente e espírito para se sentir pleno, feliz, aceito”, disse a psicóloga.

“Acredito que as empreendedoras deste salão tiveram uma visão positiva em relação a este público que escolheram. Como as profissionais estão buscando capacitação e desenvolvimento profissional para um determinado tipo de cabelo (produto) terão técnicas especializadas para isso”, completou.

O intuito de Mylena e Thayanne é mostrar que as mulheres negras têm voz e que precisam sentir orgulho de si mesmas. Elas defendem que é preciso quebrar o tabu, o preconceito com a cor da pele, com o tipo de cabelo. Durante os atendimentos, as proprietárias do Espaço Sun Rá não têm problema por chamarem as clientes de negras ou morenas. “Eu acho que essa coisa de negra ou morena, é muito mais das pessoas brancas que têm medo de falar”, disse Mylena.

Quanto ao fato de ser uma atitude preconceituosa ou não chamar as pessoas de pele negra de negras, a psicóloga Daniele Pires Soares destaca que cada pessoa encara a situação de uma forma diferente e que é preciso valorizar mais outros fatores. “O ser humano é muito além disso, personalidade, caráter, buscar seu melhor crescimento todos os dias em tudo na vida”, finalizou.

Atendimentos

Com apenas dois meses desde o início dos atendimentos, o espaço tem obtido um ótimo retorno e as pessoas têm procurado saber mais sobre o trabalho e também aprender como cuidar dos cachos e poder mostrá-los mais. “Eu acho que a gente está fazendo um barulho na cidade, que é a nossa proposta. Queremos mostrar que estamos aqui. O feedback está sendo super legal”, contou Thayanne.

Os homens também podem ser atendidos no espaço, que logo vai contar com uma mulher trabalhando com barbearia.

O Espaço Sun Rá atende através de agendamento pelo perfil do instagram @espacosunra.

Texto: Daniela de Mello/Hoje Centro Sul

Fotos: Divulgação/Instagram

Galeria de Fotos

COMENTÁRIOS