facebook
16/08/2021

Mulher tem surto psicótico na Colina Nossa Senhora das Graças

Profissional do Serviço de Abordagem Social da Secretaria de Assistência Social explica o que é possível fazer em casos como este

Mulher tem surto psicótico na Colina Nossa Senhora das Graças

No sábado (07), acorreu na Colina Nossa Senhora das Graças de Irati um fato que deixou as pessoas assustadas e pedindo intervenção das autoridades competentes.  Uma mulher teve um surto psicótico e, transtornada, passou a incomodar os presentes no local, além de danificar imagens na Sala dos Milagres.

A Guarda Municipal foi acionada e solicitou apoio aos profissionais do Serviço de Abordagem Social, pois no momento o SAMU não estava disponível, porém, a Assistência Social não tem a atribuição de atender estes casos.

O Serviço de Abordagem Social de Irati, da Secretaria de Assistência Social, esclarece para a população quais as situações em que a equipe pode atuar e diante de quais fatos não pode intervir. “Quando uma pessoa está em surto, extremamente agitada ou alcoolizada, é caso exclusivo da Saúde dar atendimento. Por ser um problema de saúde que a pessoa está apresentando. A Assistência Social não pode intervir, mas no dia dessa ocorrência aconteceu que a Guarda Municipal já havia ligado para a equipe da Saúde e eles estavam em outras ocorrências”, relata a psicóloga da Abordagem Social, Monica Van Der Neut.

A situação ocorreu no período da tarde e foram registradas reclamações de que a mulher estaria atrapalhando a realização de uma missa no local. Mesmo sem poder agir, os profissionais da Assistência Social foram tentar ajudar a acalmar a mulher, o que foi possível em alguns momentos, mas diante de um surto só um psicólogo não basta para o atendimento. “Ninguém poderia tocar e tentar segurar a mulher. Quando uma pessoa está em surto precisa de pelo menos seis pessoas para conter ela, junto com medicação e todos os paramentos médicos para fazer o atendimento”, explica Monica.

Com a chegada da ambulância, a mulher fugiu.

Monica conseguiu contato com alguns familiares da mulher, residentes em Ponta Grossa. Uma irmã da vítima afirmou que no dia seguinte viria buscá-la. A mulher tem residência no município de Irati e não estava em situação de rua.

Serviços

O plantão de Abordagem Social é responsável por prestar atendimento a pessoas que estão em situação de rua; pessoas que querem se deslocar de uma cidade para outra e precisam de um lugar para pernoitar, ou ainda de necessitem de uma passagem de ônibus; o trabalho também é voltado para mulheres em situação de violência doméstica – quando precisam de ajuda fora do horário de atendimento da Patrulha Maria da Penha.

“Quando são casos que não envolvem problema de saúde ou alcoolismo, temos a casa de Passagem que a Assistência Social disponibiliza para quem precisa pernoitar temporariamente, que fica no antigo albergue. Ali, recebem alimentação, banho, lugar para dormir e podem lavar roupas se precisarem”, esclarece Monica Van Der Neut.

Texto: Cibele Bilovus

Foto: Arquivo/Hoje Centro Sul

 

COMENTÁRIOS