facebook
21/12/2020

Licitação para que as obras do Ginásio de Esportes sejam retomadas é publicada

A concorrência pública para contratar empresa que execute a obra ocorrerá no mês de fevereiro. Depois deste processo licitatório, a obra de mais de 4.500 m² de área construída, projetada para abrigar para três mil pessoas poderá ser concluída

Licitação para que as obras do Ginásio de Esportes sejam retomadas é publicada

A retomada das obras do Ginásio de Esportes de Irati já tem data de início prevista, a partir de fevereiro de 2021. O edital de licitação, Concorrência Nº 004/2020, foi publicado em Diário Oficial nesta sexta-feira, dia 18, e a apresentação de propostas pelas empresas que tenham interesse em fazer a obra será no dia 05 de fevereiro, às 9 horas.

Para o prefeito de Irati, Jorge Derbli, a sequência desta tão aguardada obra para o esporte iratiense significa o coroamento dos esforços de toda a equipe da Prefeitura Municipal. “Temos que agradecer e reconhecer a competência da nossa equipe e dizer que a nossa relação com o Governo do Estado é harmoniosa. Quero lembrar que no ano passado, na Câmara Municipal, entregamos várias reivindicações ao governador Ratinho Júnior e ao secretário João Carlos Ortega. Para nossa satisfação e alegria todas elas estão sendo atendidas. Só neste fim de ano, com apoio do Governo do Paraná estamos anunciando perto de R$ 15 milhões de investimentos em obras que vão melhorar a qualidade de vida da nossa população”, enfatiza o prefeito.

O secretário de Planejamento e Coordenação, João Antônio de Almeida Junior, destaca que com a retomada da construção do ginásio, todas as obras que estavam paradas quando a atual gestão assumiu foram concluídas ou estão em andamento. “Esta é a última obra para fechar o ano com chave de ouro, é a última obra que estava parada que é do domínio da prefeitura. Quando nós assumimos, apontado pelo Tribunal de Contas, nós tínhamos 32 situações de obras paradas e essa é a última que nós estamos liberando. Então, todas as obras pertencentes à prefeitura não vai ficar nenhuma mais parada”, comemora o João Almeida Júnior.

A edificação do Ginásio de Esportes, na Avenida Perimetral João Stoklos, estava parada desde 2013 e, agora, para a conclusão das obras de mais de 4.500 m² de área construída deverão ser investidos R$ 5.735.570,44. Os recursos provêm de uma operação de crédito realizada pelo Município junto à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano, Sedu/Paranacidade e de verba própria do Município.

Licitação e novos projetos

A autorização para o processo licitatório da obra foi assinada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e pelo Secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano, João Carlos Ortega no último dia 11, junto ao Sistema de Acompanhamento e Monitoramento de Projetos (SAM) do Paranacidade.

João Almeida Júnior conta que a obra pudesse ser licitada novamente foi necessário vencer processos judiciais, tomar posse da obra e refazer os projetos técnicos da edificação. Ele frisa que um dos maiores problemas era relativo à cobertura do ginásio.

“O principal problema foi a cobertura. Junto com os arquitetos e o escritório que fez o projeto original foi refeito o projeto de cobertura, aquela cobertura que está ali, vai ser retirada e vai ser feito uma cobertura nova no local. É uma cobertura com materiais novos, mais barata e ela pesa 40% do que pesa a que está ali no local, então, é muito mais leve”, explica.  

O secretário de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo, o engenheiro Adriano Batista, cita que para poder licitar novamente a obra foi necessário um grande trabalho para adequação de projetos e do orçamento. “A retomada da obra do ginásio necessitou de um grande esforço técnico de compatibilização multidisciplinar de projetos, estudos com diversos engenheiros, revisões orçamentárias, reuniões com o Estado, onde chegou-se ao melhor custo-benefício, sem modificar a arquitetura da mesma”, explica Adriano.

Segundo ele, a nossa equipe de engenharia do Município está muito confiante na evolução da construção do ginásio e entrega para a população.

O secretário de Planejamento e Coordenação acredita que a obra poderá ser executada num prazo de 18 meses, após concluída a licitação e entregue a ordem de serviço para a empresa vencedora.

Histórico

Iniciado em março de 2012, o novo ginásio tinha, na época, o valor contratado de R$ 7.323.156,84. A obra foi paralisada quando estava com pouco mais da metade de sua execução (50,83%), com valores medidos de R$ 3.722.447,69.

Em janeiro de 2017, Prefeitura, Governo do Estado e a empresa responsável pelos projetos (Slomp Arquitetos) realizaram a primeira reunião técnica para discutir a retomada da obra com mais de 4.500 m² de área construída e capacidade projetada para três mil pessoas.

Em 2019, a obra foi desjudicializada, voltando à tutela da Prefeitura em maio daquele ano. Em seguida, o processo de retomada entrou em análise pelo Serviço Social Autônomo Paranacidade, vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas (SEDU), para homologar empréstimo e nova licitação em 2020.

Estrutura

Pelo projeto, o Ginásio de Esportes terá quadra poliesportiva e entorno, arquibancadas, palcos interno e externo, camarins masculino e feminino, coxias, lavanderia, depósitos, vestiários masculinos e femininos, sala de lutas, de yoga, de ginástica, de diretoria, de professores, de reuniões, sanitários masculinos, femininos e para portadores de necessidades especiais (PNE), galeria de troféus, salas multifuncionais, sala de primeiros socorros, sala de árbitros, biblioteca com internet, área administrativa, pátio coberto com 234,5 m² e calçadas externas.

Moises Neves, secretário municipal de Esportes destaca a importância desta estrutura esportiva. “Fico muito feliz com a resolução desta importante obra. Irati já merecia há muito tempo ter um ginásio desse porte, para sediarmos competições a nível estadual. Parabéns para administração municipal”.

Justiça

De acordo com o secretário de Planejamento e Coordenação, João Antônio de Almeida Junior, ainda há uma discussão judicial entre o Município e a empresa Stafim, que paralisou a obra. Entretanto isso não interfere mais no andamento da obra.

“O que existe ainda é um pedido na Justiça da empresa anterior que é o Stafim, que está discutindo alguns valores. Então o que está na Justiça? O que e quanto quem deve para quem?”, finaliza o secretário. 

Texto: Da Redação/Hoje Centro Sul, com informações Assessoria PMI

Fotos: Assessoria PMI

 

Galeria de Fotos

COMENTÁRIOS