facebook
22/12/2020

Famílias buscam eternizar o Natal 2020 através de fotografias

As imagens dos ensaios fotográficos evidenciam a união familiar, comum nessa data, e reforçam os valores cristãos que marcam o Natal e permanecem inalterados, mesmo com a pandemia

Famílias buscam eternizar o Natal 2020 através de fotografias

2020 foi um ano difícil, que distanciou fisicamente as pessoas e que também contabilizou a perda de muitas vidas. Com a chegada do Natal, muitas pessoas decidiram eternizar momentos familiares felizes, através de registros fotográficos.   Márcia Luiza Filus Jatzek, por exemplo, decidiu guardar boas lembranças ao lado do marido, dos filhos e de sua mãe. “Achei que seria muito bom registrar esse momento, ainda mais com a pandemia. Eu acho que família é uma coisa que a gente tem que registrar”, explicou.

Márcia é costureira e junto com a ideia de fazer as fotos, também aproveitou para confeccionar, além da roupa que ela usaria durante a sessão fotográfica,  máscaras para todos que participariam. “Eu sou costureira, fiz tudo”, disse, acrescentando que as fotos de máscara são para lembrar que passaram pela pandemia. “A partir do momento em que eu decidi fazer as fotos, eu já coloquei na minha cabeça que eu iria tirar fotos de máscara porque eu acho que a gente tem que deixar registrado esse momento”, frisa.

Assim como ficou animada para fazer as fotos, Márcia também está animada para esse Natal, pois é o primeiro ano que sua mãe está morando com ela e estará presente na celebração da data. “A minha família, hoje, sou eu, meus filhos, meu marido e minha mãe. E nós vamos comemorar o Natal em grande estilo, só nós em casa, vamos nos cuidar, até pelo fato da minha mãe ser uma pessoa de idade a gente tem que se cuidar muito”, disse.

Ela explica porque acredita que a celebração do Natal deve ser feita todos os anos. “Quero fazer uma ceia linda para estar com a minha família e vamos comemorar o nascimento de Jesus, porque quando nasce um filho, todo ano a gente comemora. Então a gente tem que todo ano comemorar o renascimento de Jesus nas nossas vidas”, completou.

Pamela Cristina Szymczak Heimovski e seus familiares são católicos. Para eles o Natal é época de esperança, força e fé, principalmente nesse momento de incertezas. “O Natal desse ano, apesar de atípico, é uma oportunidade enorme de refletirmos a importância dessa data: Nasce a luz no meio da escuridão. O verbo se fará carne e Jesus estará no meio de nós mesmo com tantas mudanças em nossas vidas”, declarou Pamela.

O cristianismo é a base das principais religiões do Brasil. O nascimento de Jesus Cristo e os valores ensinados por ele –  como o amor a Deus, o amor ao próximo,  a caridade e a união das pessoas –, são parte da identidade cultural não apenas das famílias de Pâmela e de Márcia, mas da maioria dos brasileiros.

O professor doutor em Comunicação e Linguagens Helton Costa explica a simbologia da data e os valores que presentes no Natal. “Além do lado religioso, não só do cristianismo, mas de outras culturas que já tinham por costume comemorar esta data, evidentemente com outros nomes e outros significados, o Natal representa aqui no Brasil, o momento de reunião das famílias e a renovação da esperança em dias melhores. É um momento em que todos buscam estar próximos das pessoas que querem bem e com elas compartilhar alegrias e boas energias, frente um ciclo que se fecha e de outro que se renova”, explica Helton.

Ele acredita que nem a pandemia, nem as restrições impostas afetarão o sentido do Natal. “O simbolismo da união em torno da esperança de tempos mais felizes e prazerosos, permanecerá. Somos seres que precisam deste tipo de incentivo para nos sentirmos melhores e mais motivados”, enfatiza o professor doutor em Comunicação e Linguagens.

Pamela também acredita que o Natal deste ano não será diferente por conta dos cuidados para a prevenção da COVID-19. Apenas motivará as pessoas a pensarem mais sobre a data. “Poderemos refletir com mais profundidade o que realmente importa: o cultivo da fé e da esperança em um momento tão difícil quanto esse que estamos vivendo”, finalizou.

Ensaios fotográficos: Sempre ou pela primeira vez

Há famílias que reuniram seus integrantes para fazerem fotos pela primeira vez juntos nesse Natal de 2020 e outras que não perdem uma oportunidade de estarem diante das câmeras.

Pamela Cristina Szymczak Heimovski sempre eterniza momentos especiais ao lado do esposo e dos três filhos, em diferentes datas, todos os anos. “As fotos, para nós, são de muita importância em todos os momentos da vida, afinal serão elas que eternizarão tal momento. No Natal não é diferente, é tempo de nos alegrarmos e registrar o que daqui um tempo será só lembrança”, disse Pamela.

Já a família de Gustavo Turco Schreda, que tem nove anos, fez um ensaio fotográfico pela primeira vez este ano. “Foi especial, porque nós não tiramos muitas fotos juntos, principalmente eu e a mãe, e foi bem legal. Ficou marcado”, contou o menino.

Contato físico continua contraindicado

O Natal sempre foi uma época esperada pelas famílias para reunir todos, deixar a casa cheia, estar perto, se abraçar. Entretanto, devido ao recente aumento do número de casos de COVID-19 no Brasil, no Estado e em Irati, as autoridades da área de saúde solicitam que as pessoas tenham cautela e não promovam aglomerações.

Para evitar a propagação do coronavírus, as demonstrações de afeto através do contato físico são contraindicadas neste Natal. O distanciamento, a higienização constante das mãos, o uso de máscaras devem ser mantidos mesmo durante as pequenas reuniões de família – exceto quando elas envolverem apenas aqueles que moram na mesma casa.

Texto: Daniela de Mello e Letícia Torres/Hoje Centro Sul

Fotos: Daniela de Mello

COMENTÁRIOS