facebook
31/07/2020

Estado vai apoiar o cooperativismo nas metas de crescimento

No 1º Fórum Digital dos Presidentes das Cooperativas, promovido pela Ocepar, governador Ratinho Junior destacou o papel do setor na economia paranaense e afirmou que Estado será parceiro em crédito, infraestrutura e desburocratização

Estado vai apoiar o cooperativismo nas metas de crescimento

O Governo do Estado vai apoiar o cooperativismo paranaense para que alcance as metas do PRC-200, plano estratégico elaborado pela Ocepar para atingir R$ 200 bilhões de faturamento nos próximos anos. A parceria envolve crédito, melhorias na infraestrutura e desburocratização.

“O Estado deve muito à qualidade das suas cooperativas, que empregam milhares de paranaenses. Queremos ajudar a Ocepar a alcançar a meta otimista, em 2026, o quanto antes”, disse Ratinho Junior na última terça-feira (28). “Todos os investimentos e a cadeia do agronegócio têm influência direta no dia a dia da economia do Estado”, afirmou.

A apresentação do plano estratégico ao governador foi feita pelo presidente da Ocepar, José Roberto Ricken, durante o 1º Fórum Digital dos Presidentes das Cooperativas. O PRC-200 ainda será formatado e o lançamento oficial acontecerá em abril de 2021, na Assembleia Geral da entidade, quando o sistema completa 50 anos. Ele será uma atualização do PRC-100, de 2015, e que terá fim neste ano, com a previsão das cooperativas paranaenses de ultrapassar faturamento de R$ 100 bilhões – R$ 102 bilhões, no cenário otimista.

O Paraná, disse o governador, será a central logística da América do Sul. “Temos investimentos e modernizações em todos os modais. Com isso, vamos ajudar o cooperativismo e toda a sociedade”.

No apoio ao agronegócio, o governador citou o programa Paraná Trifásico, da Copel, que prevê implementação de 25 mil quilômetros de linhas seguras para os produtores rurais; o Descomplica Rural, que permite acesso mais ágil às licenças necessárias para ampliação da produção; a conquista de área livre de febre aftosa sem vacinação, que deve ser chancelada pela Organização Internacional de Saúde Animal (OIE) em 2021; e o Plano Safra e os programas regulares de investimento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

Produção e PIB

O sistema cooperativo responde por 60% da produção de grãos e 45% da indústria de carnes e lácteos no Paraná e vai encerrar o ano com mais de 100 mil funcionários diretos. As 112 unidades agroindustriais das cooperativas e os 2,6 milhões de cooperados ajudaram o Produto Interno Bruto (PIB) estadual a crescer 2,3% no primeiro trimestre de 2020, mesmo diante dos impactos da pandemia provocada pelo novo coronavírus. O segmento agroindustrial, responsável por cerca de 34% da fatia da geração de riquezas da economia do Estado, cresceu 14,96% nesse mesmo período.

A Ocepar reúne 221 cooperativas. Além do agronegócio, no segmento de crédito as cooperativas geram mais de 14 mil empregos, e, na saúde, as 35 cooperativas médicas e odontológicas reúnem 2 milhões de beneficiários e 13 mil profissionais associados. O Paraná possui, ainda, entidades com esse perfil que atuam nos ramos de transporte, infraestrutura, consumo, trabalho, produção de bens e serviços.

Panorama dos investimentos em infraestrutura

O governador também apresentou um panorama dos investimentos em infraestrutura, além da garantia de recursos para continuidade da modernização dos municípios. Fazem parte desse pacote o novo Anel de Integração com pelo menos 1,3 mil quilômetros a mais do que o desenho original; a concessão da Ferroeste para a iniciativa privada e um financiamento de R$ 1,6 bilhão para investimento em rodovias, no Litoral e em estradas rurais.

Ele citou, ainda, o Banco de Projetos e o lançamento de licitações importantes para melhorias em rodovias de todas as regiões; a nova ferrovia Maracaju (MS) até Paranaguá, além de um ramal multimodal entre Cascavel e Foz do Iguaçu; e a concessão de quatro aeroportos (São José dos Pinhais, Curitiba, Londrina e Foz do Iguaçu) para a iniciativa privada e as melhorias no terminal de Cascavel e nas pistas de Foz do Iguaçu e Maringá para receber mais voos internacionais. Também foram mencionados os projetos para o Porto de Paranaguá, como a ampliação da capacidade do Corredor de Exportação, a revitalização da moega para descarga dos trens e a manutenção das obras de calado para favorecer o acesso de navios maiores.

Presenças

Participaram do encontro virtual o vice-governador Darci Piana; o secretário estadual de Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara; o presidente da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), Márcio Lopes de Freitas; e o diretor administrativo do BRDE, Luiz Carlos Borges da Silveira.

Texto: Agência Estadual

Imagem: Divulgação Ocepar

COMENTÁRIOS