facebook
28/08/2020

Esclarecimentos sobre amamentação marcaram o mês de agosto

Esclarecimentos sobre amamentação marcaram o mês de agosto

O “Agosto Dourado” foi lançado em 2017 pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) para simbolizar o incentivo à amamentação – a cor dourada está relacionada ao padrão ouro de qualidade do leite materno. Foi instituído no Brasil pela Lei n°13.435/2.017, que determina que, no decorrer do mês de agosto, sejam intensificadas ações de conscientização e esclarecimento sobre o aleitamento materno, pois ainda existem muitos mitos sobre o tema.

 “A Semana do Aleitamento Materno vem para reforçar a importância da prática da amamentação tanto para mãe quanto para o bebê, além de ser considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a melhor estratégia para promover o aleitamento”, explica a enfermeira obstetra da Santa Casa de Irati, Karina Roberta Menon. Segundo ela, as mães são orientadas sobre a amamentação desde o pré-natal até o nascimento do bebê. “No hospital, damos todo o suporte desde a primeira amamentação, orientamos na forma que ela deve segurar o bebê, na pega correta, mostramos qual é o jeito certo, a questão do tempo de mamada, que é em livre demanda, são orientações que devem acontecer, principalmente com mães de primeira viagem”, relatou.

De acordo com a profissional de Saúde, amamentar não dói e quando se sente algum tipo de dor, é porque alguma coisa está errada. A pega pode estar errada, a posição também. Karina explica que quando as mães saem do hospital e encontram dificuldades na hora de amamentar, elas são orientadas a procurar o setor de Pré-Natal da Secretaria Municipal de Saúde para que possam tirar suas dúvidas.

Pamela Heimovski tem 25 anos e é mãe de três filhos. Ela teve a oportunidade de amamentar o seu primeiro filho, o Joaquim, apesar de ter algumas dificuldades no começo. “A maior dificuldade foi a pega correta. Essa é inclusive, a chave principal da amamentação. Demorei muitos dias para conseguir fazer com que ele fizesse a pega certa. Após a ajuda de uma amiga enfermeira e de alguns vídeos do YouTube, nós conseguimos e tudo flui perfeitamente”, contou Pamela.

A enfermeira da Santa Casa de Irati ainda comenta que, durante o período de amamentação, a mãe precisa do apoio da família para ter tranquilidade e tempo para se dedicar à tarefa. Também deve ter cuidado especial com sua alimentação para garantir os nutrientes necessários ao bebê. “É importante que a mãe se alimente muito bem durante esse processo, ela precisa de muita proteína, vitamina e beber muita água. Não é recomendado fazer dietas para emagrecer enquanto estiver amamentando”, esclareceu Karina.

Leite materno é um alimento completo

A Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa) reforça que o aleitamento materno exclusivo e em livre demanda deve ser mantido e estimulado mesmo durante a pandemia de Covid-19. Até o momento não existem evidências científicas que comprovem a presença do coronavírus no leite materno de mulheres que contraíram a infecção.

Os profissionais da Sesa enfatizam que o leite materno é um alimento completo; é a melhor fonte de nutrição infantil, sendo capaz de reduzir em 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de cinco anos. Protege a criança de doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias. Além disso, reduz o risco de a criança desenvolver hipertensão, colesterol alto, diabetes, sobrepeso e obesidade na vida adulta. 

Até quando amamentar?

O Ministério da Saúde recomenda que as crianças sejam amamentadas até os dois anos ou mais e, de forma exclusiva, até o sexto mês de vida.  “O leite humano é superior a qualquer tipo de fórmula. Para cada litro de leite oferecido para as crianças prematuras é possível diminuir dois dias de permanência na UTI neo-natal e a alta hospitalar é mais precoce, pois as crianças ganham peso mais rápido e ficam mais resistentes”, afirma a chefe da Divisão de Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente da Sesa, Jéssica Dinardi.

“A amamentação também é importante para a saúde da mulher”, ressalta Jéssica Dinardi, “ ajudando a reduzir o risco de câncer de mama e de ovários”.

Onde tirar dúvidas?

O setor de Pré-Natal da Secretaria Municipal de Saúde de Irati localiza-se na Rua Vitória de Monte Castelo, sem número (no antigo Pronto Atendimento Municipal) e está sempre à disposição para tirar qualquer dúvida e dar auxílio na amamentação.

Por conta da pandemia, as mães que precisarem de alguma ajuda, podem entrar em contato pelo telefone 3907 3164 ou via whatsapp no número (42) 9 9914 0833.

Texto: Daniela de Mello e Letícia Torres/Hoje Centro Sul

Fotos: Divulgação

Galeria de Fotos

COMENTÁRIOS