facebook

Em meio à escassez de feriados prolongados, é preciso estratégia para aproveitar os momentos de folga como o Carnaval

12/02/2024

Em meio à escassez de feriados prolongados, é preciso estratégia para aproveitar os momentos de folga como o Carnaval

Embora o Carnaval não seja oficialmente classificado como feriado nacional, a data é uma oportunidade para aqueles que conseguem estender o período aproveitarem a folia, descansarem ou viajarem. Por outro lado, o ano de 2024 apresenta uma redução nos feriados prolongados, um fator que pode influenciar nas decisões daqueles optam por viagens, afetando também o setor de turismo. Em uma enquete, iratienses respondem o que querem fazer nos dias a mais de folga que conseguirem neste ano

Muitos lugares do país aguardam a chegada do Carnaval, imersos nos tradicionais blocos e desfiles. Já em Irati e região, a data costuma seguir um caminho diferente e, para aqueles que têm a oportunidade de tirar o dia de folga, o Carnaval costuma se tornar uma oportunidade de descanso ou mesmo de viagem.

Rodney Sokalski é supervisor geral de um hotel fazenda localizado no município de Mallet e conta que durante o período do Carnaval, a procura por hospedagens no local aumenta significativamente por moradores da região. “O Carnaval é quando mais temos procura, pois sempre é feriado prolongado e o último antes da Quaresma, no qual o pessoal quer aproveitar, pois a maioria respeita esse período pós-carnaval. E esse ano não é diferente, começo de janeiro já havia esgotado os nossos pacotes”, conta.

Além de moradores de Irati e região, o hotel fazenda recebe público de grandes centros como Ponta Grossa e Curitiba em busca de contato com a natureza.

Rodney descreve que o local oferta de uma experiência imersiva na vida rural, onde os hóspedes aproveitam passeios a cavalo e de charrete, além de piscinas e águas sulfurosas. Além disso, aventuras como passeios de boia e caiaque no rio atraem aqueles que procuram o local no Carnaval ou em feriados prolongados.

Ano com menos feriados prolongados

Diferentemente do ano passado, 2024 terá poucos feriados prolongados. Dos dez feriados nacionais, apenas três vão ser juntos de um fim de semana, isto é, caem numa segunda ou na sexta-feira, uma notícia não muito agradável para quem gosta de emendar dias de folga ou para quem trabalha com o turismo.

“Menos feriados prolongados nos afeta. Com poucos feriados, não podemos elaborar pacotes com mais diárias para oferecer a nossos clientes, assim buscamos oferecer outras modalidades de atendimento que fornecemos como um day-use ou alguma diária mais diferenciada, e também focaremos nos finais de semana que temos a maior demanda, oferecendo noites especiais e típicas para o nosso público”, relata Rodney Sokalski.

Cristiane Stefanhak, sócia-proprietária de uma agência de viagens de Irati e União da Vitória, também sente o impacto nos anos que têm menos feriados prolongados. Ela explica que a busca por viagens neste ano deverá se concentrar em datas específicas, o que pode encarecer o setor. “A quantidade de feriados prolongados em um ano pode influenciar a procura por viagens, pois muitas pessoas aproveitam esses períodos para fazer passeios ou planejar férias. Menos feriados prolongados significam menos oportunidades para viagens mais longas, o que pode resultar em uma procura mais concentrada em fins de semana e feriados específicos. Isso pode levar a uma competição mais intensa por destinos populares durante esses períodos limitados, levando a preços mais altos em alguns casos”, detalha.

Ela acredita que a oferta de descontos em fins de semana específicos e a criação de pacotes personalizados para pausas curtas podem se destacar como diferenciais. “Buscamos oferecer descontos ou pacotes promocionais em fins de semana prolongados restantes ou em feriados específicos, na intenção de criar ofertas exclusivas para clientes que reservam durante períodos específicos. Criar pacotes personalizados que atendam a pausas curtas, adaptando-se à disponibilidade limitada de feriados prolongados é um grande diferencial também, pois assim podemos oferecer opções flexíveis de datas e destinos para atrair clientes com agendas ocupadas”, explica Cristiane.

Carnaval é feriado?

Embora muitas pessoas aproveitem o período carnavalesco para descansar ou cair na folia sem preocupação, o Carnaval não é considerado feriado nacional. Na prática, isso significa que os empregadores não têm obrigação de dispensar os funcionários e, a menos que haja um acordo, muita gente precisará trabalhar no próximo dia 13.

Os moradores da região que não precisarão trabalhar no Carnaval e apreciam os tradicionais desfiles e blocos de Carnaval têm a tendência de adquirir pacotes para destinos como o Rio de Janeiro, Bahia, entre outras localidades, segundo a sócia-proprietária de uma agência de viagens. “A procura dos clientes para o Carnaval pode variar dependendo de diversos fatores, como preferências individuais, orçamento disponível e tendências de viagem. Geralmente, as pessoas buscam destinos que ofereçam festividades de Carnaval animadas, com desfiles, blocos de rua, festas e tradições culturais únicas. Destinos famosos no Brasil incluem Rio de Janeiro, Salvador, Olinda e Recife”, descreve.

Ela conta que a preferência do público que procura a agência é por pacotes que incluam hospedagem, transporte e ingressos para eventos específicos. Muitos viajantes optam ainda por pacotes all-inclusive, que incluem refeições, bebidas e atividades. No entanto, especificamente em 2024, Cristiane comenta não teve muita procura para viagens relacionadas ao Carnaval e que seus clientes estão reservando viagens para os outros feriados do ano.

Tradição do Carnaval na região

Cidades como Irati e municípios da região já não têm mais a tradição de comemorar o carnaval com blocos e festas de rua como já aconteceu no passado. O doutor em História e professor da Unicentro de Irati, João Carlos Corso acredita que, atualmente, muitos moradores da região priorizam o período do Carnaval, quando podem, para descansar ou fazer uma viagem. No entanto, ele avalia que a região tem outros tipos de ‘carnavais’, e cita como exemplo os rodeios, que também reúnem multidões, além de música e tradição.

“O Carnaval em si, talvez em Irati, ele não aparece com uma tradição tão forte hoje nesse momento, mas que não significa que não existam festas que tenham a característica parecida. No meu entendimento, por exemplo, os rodeios são uma forma de carnaval, por mais que eles tenham a outra característica de uma cultura gauchesca, mas pelo número de pessoas que agregam e pelas festas que envolvem com baile, com todo o aparato de preparação dessa festa, ela tem muita característica de ser uma espécie carnavalesca, por mais que em outra época”, avalia.

Embora Irati não conte com desfiles ou celebrações carnavalescas nas ruas durante o Carnaval, não significa que não exista o entusiasmo de parte da população pela festa em outros estados ou até mesmo no litoral do Paraná. “Irati não tendo hoje desfiles de escolas ou um carnaval na rua propriamente, não significa que a população não gosta de festa, até porque inúmeras pessoas viajam para locais que têm o Carnaval. Muitos que moram aqui viajam para o Rio de Janeiro, para o Carnaval na Bahia ou em outros locais do Nordeste ou até o Carnaval de Antonina, que é o mais forte do Paraná. Não significa que as pessoas não gostem de Carnaval, talvez não tenham a presença forte na cidade”, descreve Corso.

O professor acredita que a tradição de comemorar o Carnaval praticamente acabou na região porque as festas deste tipo dependem financeiramente do poder público, o que dificulta a realização destes eventos. “As ações voltadas para o Carnaval dependem muito da ação pública. Financiamento, trazer alguém para tocar, uma banda etc. Talvez isso tenha sido o que tenha modificado um pouco a estrutura dos carnavais aqui na região. Lá na década de 80, 90, não dependia muito disso, ou seja, as pessoas gostavam do baile, de alguma coisa relacionada ao Carnaval, e se tinha essa cultura mais forte”, destaca o doutor em História.

Além disso, Corso cita um carnavalesco originário de Irati que tem se destacado nas edições do famoso Carnaval do Rio de Janeiro. “Uma questão que é interessante, nós temos um carnavalesco, o Leonardo Bora, que está fazendo sucesso aí nas últimas edições do Carnaval do Rio de Janeiro. Ele é natural de Irati, então tem alguma ponte ainda, talvez, com os carnavais da década de 70 e 80, existe uma memória também dos carnavais de um tempo atrás, de algumas décadas atrás, que ainda está presente, que formou, talvez, algumas gerações”, finaliza.

Enquete

O que os iratienses pretendem fazer no Carnaval e nos feriados prolongados de 2024

“Não costumo viajar no Carnaval. Geralmente vou para a casa dos parentes no feriado. Não irei viajar neste Carnaval, pois prefiro ficar em casa descansando”, conta. Já nos outros feriados do ano, diz também pretende ficar em casa. “Mesmo com poucos feriados prolongados, em nada muda minha rotina de descansar. Pretendo ficar em casa, assistindo séries e filmes”, diz Jeferson Tiago Maneira (foto).

Eu organizo excursões e adoro viajar. Infelizmente não irei viajar neste Carnaval porque tive um problema de saúde e não poderei sair de casa. Mas mesmo com menos feriados prolongados, com certeza vou querer ir a algum lugar”, diz Elci Aparecida Costa de Lara (foto).

“Não costumo viajar no Carnaval, nunca viajei e não vou viajar esse ano novamente por conta que a empresa que eu trabalho não prolonga o feriado, então a gente vai ter que trabalhar. Pretendo viajar nos outros feriados, mas ter menos feriado prolongado impacta, por conta que fica bem mais difícil, por conta do trabalho”, diz Gislaine Borges Ferreira, que atua no comércio (foto).

“Não costumo viajar para pular bloquinho ou fazer folia. Sempre que surge um feriado, meu objetivo é pegar a estrada. Neste Carnaval não vou poder, pois o comércio não fecha, então, como comerciante, é mais difícil aproveitar. Não pretendo viajar neste ano, mas sim dar um rolê perto, pois, sem feriados prolongados, é quase impossível conseguir viajar pra longe”, comenta Robson Ricardo Paczesne.

“Neste Carnaval não vou viajar porque acabei de voltar do Nordeste. E mesmo com a quantia menor de feriados prolongados, eu sempre tento viajar pelo menos uma vez a cada dois meses e fazer uma viagem mais longa uma vez no ano. Ano passado fui duas vezes para o Nordeste e várias vezes para as praias aqui de perto e de Santa Catarina, além de Foz do Iguaçu, São Paulo e Rio Grande do Sul”, diz Tiago Francisco Ferreira, engenheiro ambiental e de segurança do trabalho.

Feriados nacionais em 2024 e dia da semana

1º de janeiro (segunda-feira): Confraternização Universal

12 de fevereiro (segunda-feira): Carnaval (ponto facultativo)

13 de fevereiro (terça-feira): Carnaval (ponto facultativo)

29 de março (sexta-feira): Sexta-feira Santa - Paixão de Cristo

21 de abril (domingo): Tiradentes

1º de maio (quarta-feira): Dia do Trabalho

30 de maio (quinta-feira): Corpus Christi (ponto facultativo)

7 de setembro (sábado): Independência do Brasil

12 de outubro (sábado): Nossa Senhora Aparecida

2 de novembro (sábado): Finados

15 de novembro (sexta-feira): Proclamação da República

25 de dezembro (quarta-feira): Natal

 

Texto: Lenon Diego Gauron

Fotos: Agência Brasil, Agência Estadual, Pexels, Divulgação

Comentários

🗞️📰 Edição 1567 - Já nas bancas!
  • Direitos Autorais

    Textos, fotos, artes e vídeos do Jornal Hoje Centro Sul estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. É expressamente proibido a reprodução do conteúdo do jornal (eletrônico ou impresso) em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização expressa do Jornal Hoje Centro Sul.

  • Endereço e Contato

    Rua Nossa Senhora de Fátima, no 661
    Centro, Irati, PR - CEP 84500-000

    Tel: (42) 3422-2461

  • Pauta: jornalismohojecentrosul@gmail.com

    Expediente: de segunda à sexta das 8h às 17h

JORNAL HOJE CENTRO SUL - © 2020 Todos os Direitos Reservados
Jornalista Responsável: Letícia Torres / MTB 4580