facebook
26/10/2020

Em Irati, Guto Silva explica como o Governo do Paraná atuará para a retomada da economia

Em Irati, Guto Silva explica como o Governo do Paraná atuará para a retomada da economia

Na manhã de quarta-feira (21), o chefe da Casa Civil do Governo do Paraná, Guto Silva esteve em Irati, onde participou de uma reunião com empresários e candidatos a prefeito do município, realizada na sede da Associação Comercial e Empresarial (Aciai).  Na ocasião, ele expôs às lideranças como o Governo pretende atuar para a retomada da economia  paranaense no pós-pandemia. Também participaram do evento, o comandante geral da Polícia Militar do Paraná, coronel Péricles de Matos e o deputado estadual Emerson Bacil.

Guto Silva destacou três pilares para a retomada do desenvolvimento: Agricultura forte, investimentos do Estado em obras públicas e incentivo à compra de produtos do comércio local. Segundo ele, o Governo dará atenção a estes pontos para “para poder manter os empregos, gerar empregos e deixar a economia girando”.

Sobre a agricultura, ele citou as boas safras que foram colhidas ao longo dos últimos anos e enfatizou o quanto a renda que vem do setor interfere na realidade da maioria dos municípios paranaenses. Na avaliação do chefe da Casa Civil, no momento atual “tem liquidez, tem dinheiro no interior do Paraná, a agricultura está capitalizada”.

Em relação aos investimentos em obras públicas, Guto Silva explica que a decisão do Governo Ratinho Júnior em impulsionar esta área leva em consideração as referências históricas. “Quando a gente olha todas as grandes crises econômicas, todos os planos de recuperação econômica, o Plano Marshall [plano de recuperação econômico da Europa após a 2ª Guerra Mundial], todos eles foram focados na obra pública, porque obra pública gera empregos, frente de trabalho, rápido, sem muita qualificação, mão de obra para a construção civil, e isso ativa a economia porque emprega localmente”, defende.E no planejamento de investimentos que vem sendo realizado pelo Governo, segundo ele Irati deverá receber atenção especial por ser polo regional.

Sobre a origem dos recursos a serem usados para execução dessas obras, o chefe da Casa Civil  conta que há captação em diferentes instâncias, como o Governo Federal e instituições internacionais. “Nós captamos agora 1 bilhão e 700 milhões de reais,  um financiamento. Este recurso já foi autorizado, será colocado em obras em todo o Paraná, bem distribuído. Já estamos em execução. O ano que vem nós temos a previsão de uma nova captação para poder avançar. Então qual a estratégia do governo? Captar recursos federais e em bancos internacionais para fazer obras e de outro lado custeio, segurar com mão de ferro o custeio [da máquina pública]”, afirmou Guto Silva.

O terceiro pilar defendido como essencial para a retomada da economia paranaense é o incentivo às compras de produtos locais. “A compra local é importante para poder girar a economia, vocês não podem tirar dinheiro daqui para levar para Curitiba, Ponta Grossa, Guarapuava. Fique aqui, consuma aqui, vão ao médico aqui, deixe o dinheiro em Irati”, disse.

Aos empresários e líderes políticos sugeriu que estimulem a população a consumir na cidade e não no comércio eletrônico, no e-commerce.  “Não vá deixar dinheiro em marketplace, em plataforma digital, que não vão deixar prosperidade, riqueza nenhuma para a cidade. Agora é importante olhar para o comerciante local, para a compra no bairro, na mercearia, enfim, no comércio tradicional. Este é um elemento importante porque a economia não é uma ciência só exata, é uma ciência relacionada a confiança, se nós não tivermos confiança que a coisa vai melhorar, não vai ter normalidade: Eu vou parar de gastar, para o consumo, o comércio não contrata mais, a indústria reduz a produção. Então, a matéria prima da retomada econômica chama-se confiança”, enfatizou Guto Silva.

IML e Cadeia Pública

Logo após a explanação do chefe da Casa Civil, os presentes puderam fazer perguntas. A presidente do Conselho de Segurança de Irati (Conseg), Patrícia da Luz, questionou sobre a instalação de uma unidade do Instituto Médico Legal (IML) na cidade e sobre a mudança da carceragem da delegacia para outro local. Segundo ela, já foi doado ao Estado um terreno para a construção nova cadeia pública.  A presidente a subsecção de Irati da Ordem dos Advogados de Irati (OAB), Sonia Mara Gerchevski enfatizou que a OAB também sido parceira na luta por estas causas.  Guto Silva passou a palavra ao comandante geral da Polícia Militar do Paraná,  coronel Péricles de Matos, para que ele abordasse a questão.

O coronel Péricles foi bem objetivo, dizendo em quais órgãos estas demandas devem ser tratadas e sugeriu que as presidentes do Conseg e da OAB se dirijam a Curitiba na próxima semana, que ele as acompanhará em reuniões com os responsáveis por solucionar estas demandas.

Na sequencia o deputado estadual Emerson Bacil comentou sobre a importância do IML para os municípios da região e citou que instalação do IML depende da Subdivisão de Polícia Civil, o que já foi solicitado por ele e outros parlamentares da Assembleia Legislativa do Paraná ao o secretário de Segurança Pública do Paraná, Coronel Romulo Marinho Soares e governador Carlos Roberto Massa Junior, através de requerimento.

Outras perguntas

Também foram feitos questionamentos sobre a vacina para a COVID-19, sobre o investimento estadual em polos de desenvolvimento tecnológicos, e sobre o apoio à indústria. 

Reivindicações da Carta Compromisso

O presidente da  Associação Comercial Industrial de Irati (Aciai), Elias Mansur, entregou para o chefe da Casa Civil uma cópia da Carta Compromisso que o Fórum de Desenvolvimento Econômico de Irati elaborou e que teve o comprometimento dos candidatos a prefeito do município.

Mansur solicitou o apoio do Governo do Estado para que o futuro prefeito de Irati possa atender as reivindicações do setor empresarial da cidade.

Texto/Fotos: Letícia Torres/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos

COMENTÁRIOS