facebook
14/08/2020

Editorial - Um dia cinza em Irati

Editorial - Um dia cinza em Irati

Todos os dias o avanço da COVID-19 faz novas vítimas no Brasil e no Paraná. Nesta semana o país ultrapassou as 105 mil mortes pela doença e em Irati a comoção tomou conta da cidade devido à morte de um jovem profissional de saúde.

Com apenas 31 anos de idade, o técnico de enfermagem  Jairo foi o primeiro trabalhador da linha de frente da saúde na região Centro Sul a perder a vida devido à contaminação pelo novo coronavírus.

Os relatos da dor dos colegas, do clima de tristeza que tomou conta dos corredores da Santa Casa de Irati deixaram mais cinza o dia. Mas além do impacto no local de trabalho do técnico, tem outro sofrimento muito maior. Jairo era um pai de família que, como todos os outros, tinha sonhos e expectativas.

Jairo não é apenas um número, é mais uma pessoa dentre as mais de 100 mil que já morreram no Brasil. O vírus continua em circulação e as medidas de enfrentamento a ele continuam tão essenciais como antes, no início da pandemia. O provedor da Santa Casa de Irati repetiu o apelo para que as pessoas fiquem em casa, usem álcool em gel e máscara de proteção.

Há várias vacinas em desenvolvimento em diferentes países – inclusive em parceria técnica com o Estado do Paraná –, mas nenhuma delas pronta e nenhuma disponível. Até que elas cheguem e possam imunizar a população, é preciso manter os cuidados preventivos, antes que seja tarde.  Antes que a dor da perda de um ente querido chegue à sua casa.

COMENTÁRIOS