facebook
21/12/2020

Editorial - Envelhecimento saudável é uma das metas atuais

Editorial - Envelhecimento saudável é uma das metas atuais

Melhores condições de vida, de trabalho, de alimentação e de acesso à saúde são alguns dos fatores que têm colaborado para que as pessoas vivam mais. Isso tem ocorrido no mundo todo. Uma expressiva população, com idade avançada e necessidades diárias de apoio, se consolida e todos têm de estarem aptos a enxergar as implicações disso.

Tanto que no dia 14 de dezembro, a Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) declarou a Década do Envelhecimento Saudável, também consoante com os objetivos da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A década do Envelhecimento Saudável é a principal estratégia para alcançar o objetivo de que essa população tenha boa qualidade de vida, ou seja, possa viver a velhice tendo todo o aparato que lhe confira dignidade. Há uma proposta mundial, com iniciativas previstas para alcançar isso, o Plano de Ação Internacional das Nações Unidas para o Envelhecimento e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda das Nações Unidas 2030, além da Estratégia Global da OMS sobre Envelhecimento e Saúde.

Tudo parece muito teórico e distante num primeiro momento, mas não é. O Brasil, o Paraná e os municípios da região Centro Sul convivem com a real longevidade de suas populações. Tanto que nesta edição trazemos uma reportagem sobre duas idosas, moradoras do Asilo Santa Rita, em Irati, que celebraram cem anos de vida nessa semana que antecede o Natal. Também nessa edição trazemos reportagem sobre política pública para atendimento dessa população. Governo do Estado e Município uniram esforços e teve início a construção do Condomínio do Idoso em Irati, um conjunto de 40 casas adaptadas a este público de mais de 60 anos e suas necessidades. No condomínio há ambulatório, academia ao ar livre, biblioteca, sala de informática, salão de festas, horta comunitária e quiosques de jogos.

Iniciativas como esta demonstram que o poder público está atento às vantagens do envelhecimento saudável, que é benéfico para a população (idosos e familiares) e também pode reduzir custos para os cofres públicos, porque pessoas felizes, com boa qualidade de vida, integradas socialmente, adoecem menos, produzem mais e podem colaborar com sua experiência de vida que é repassada às novas gerações.  

COMENTÁRIOS