facebook
20/11/2020

Editorial - Demora e aflição que esperamos que não se repita

Editorial - Demora e aflição que esperamos que não se repita

Normalmente, esperar chegar o dia das eleições, a votação e a apuração dos votos gera ansiedade entre os candidatos, entre os filiados a partidos políticos e entre aqueles que simplesmente gostam de acompanhar a política. Todos ficam curiosos e querem saber quem foi eleito. Neste ano, além da expectativa normal, a apuração dos votos foi tensa e demorada.

Na nossa região, costumeiramente até às 20h, 20h30 já era possível saber os prefeitos e vereadores eleitos de todos os municípios. Neste ano, foi diferente. Eram mais de 22 horas quando as urnas de Irati foram totalizadas e foi possível saber quem tinha sido eleito para ocupar cada vaga de vereador.

Em vários municípios da região, os próprios integrantes dos grupos dos candidatos a prefeitos foram até aos locais de votação, pegaram os boletins de urnas e somaram os votos. Por isso, já perto das 19 horas, alguns prefeitos se autodeclararam eleitos e foram para as ruas comemorar, em carreatas. Isso aconteceu em Rebouças, Imbituva, Rio Azul e Inácio Martins.  Entretanto, a Justiça Eleitoral ainda não tinha divulgado os resultados, oficializando as vitórias autodeclaradas. Na transmissão ao vivo da apuração dos votos, as equipes da Rádio Najuá e do Jornal Hoje Centro Sul ficaram até as 22 horas para poderem confirmar os dados e repassar as informações com segurança aos eleitores.

Em alguns municípios, como Teixeira Soares, que a diferença do número de votos entre os principais candidatos era pequena, tinham muitas pessoas aflitas com o atraso. Mas  o que  aconteceu neste ano?

A apuração dos votos dos mais de 5.500 municípios de todos os Estados da Federação foi centralizada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nas eleições anteriores, o Tribunal Regional Eleitoral de cada Estado fazia a apuração e retransmitia os dados para o TSE. Neste ano, com a centralização, os servidores do TSE não foram eficientes para processar o volume de dados das eleições municipais. Com isso, os números não eram contabilizados e atualizados com rapidez. As páginas mostraram por, exemplo, a apuração referente a Irati não iniciada por várias horas. Aflição para os profissionais da imprensa, aflição para os candidatos, aflição para os eleitores. Esperamos que a Justiça Eleitoral reavalie esta questão e que isso não se repita.  

COMENTÁRIOS