facebook
25/01/2021

Editorial - Alívio, esperança e cautela

Editorial - Alívio, esperança e cautela

Esperança foi a palavra mais pronunciada ao longo desta semana, desde que Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou na tarde de domingo (17), o uso das duas primeiras vacinas contra o coronavírus disponíveis em território brasileiro. Foram aprovadas a Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a China, e  AstraZeneca, que traz tecnologia de Oxford e cujo pedido de uso emergencial  no País foi feito pela Fiocruz. Na segunda-feira (18) à noite as primeiras doses da Coronavac chegaram ao Paraná e na terça-feira (19) à noite as vacinas chegaram a Irati e seguiram para todos os municípios da 4ª Regional de Saúde.

As primeiras 1.520 doses que vieram para a região provocaram grande alvoroço e uma sensação de alegria que há muito tempo não era observada. São pouquíssimas vacinas, apenas 38 pequenas caixas com 40 ampolas em cada uma delas, mas que têm um significado simbólico muito expressivo. Representam um marco na luta contra a doença que já provocou a morte de mais de 212 mil brasileiros desde que a pandemia chegou ao País, em março do ano passado. Na região, diversas vidas também já foram ceifadas pela doença. Alguns perderam amigos, outros familiares, e até mesmo líderes políticos não resistiram ao novo vírus mortal que seguia inabalável até então.

Agora, a expectativa mudou. Há um pouco de luz no fim do túnel. A ciência agiu com rapidez e apresentou ao mundo várias vacinas para imunizar as pessoas. No Brasil, as controvérsias em relação à vacinação foram mais intensas do em outros países do mundo, mas esta etapa foi vencida com a outorga da Anvisa para a aplicação da Coronavac e da AstraZeneca.

Ainda não é possível partir para o abraço e para aquelas boas aglomerações que os brasileiros tanto apreciam. Até que mais de 70% das pessoas sejam imunizadas, valem as mesmas orientações de distanciamento, uso de máscaras e álcool em gel. Mas a expectativa de que chegará o dia em que este percentual da população brasileira terá recebido a vacina já traz muito alívio e esperança.

COMENTÁRIOS