facebook
12/11/2021

Correção postural pode solucionar dores no corpo e melhorar a qualidade de vida

Correção postural pode solucionar dores no corpo e melhorar a qualidade de vida

A postura corporal das pessoas influencia em vários fatores da saúde física e mental. Quando a postura é inadequada, retraída, ocasiona dores na coluna, pernas e/ou braços, além de comprometer a autoestima. “As sessões de fisioterapia podem solucionar dores, melhorar a autoestima, a autoconfiança e a percepção corporal. Pois a postura diz muito sobre a pessoa, se a pessoa está triste, não tem esperança perde a vontade de fazer as coisas, o corpo vai se retraindo”, explica a fisioterapeuta, Eloisa Glinski.

Ela atua há 25 anos nesta profissão e relata a experiência com os pacientes que, ao fazerem algumas sessões de fisioterapia, conseguem notar a diferença do corpo por meio de fotos tiradas no início e no final do processo. “Quando os pacientes visualizam a mudança do corpo nas fotos, vendo o antes e o depois, os relatos são muito positivos, ajuda a melhorar a qualidade de vida, passam a ser pessoas mais ativas e bem-humoradas”, relata Eloisa.

Kamily dos Anjos Camilo tem 13 anos de idade, e há cerca de um ano sua família procurou a fisioterapeuta devido à postura da jovem que aparentava ser errada. Porém, Eloisa percebeu que não se tratava apenas de um problema postural e, através de exames, constatou que havia uma escoliose – curvatura anormal da coluna para um dos lados do tronco.

Além de ajudar a identificar o problema, a profissional também oferece apoio em todo o tratamento, como Kamily conta.  “Fizemos alguns raios X e vimos que o problema era bem sério, era escoliose. A situação piorou quando vieram as dores, mesmo assim a fisioterapeuta disse que a gente iria conseguir. Até que o último raio X que fizemos mostrou que está melhorando. Fazendo as fisioterapias eu me sinto muito bem, já diminuiu muito minha dor, sinto que a cada dia melhora um pouco”, relata a paciente.

Eloisa ressalta que foi importante a família da jovem procurar corrigir a postura da menina, pois, assim, pôde ser identificado o problema mais grave. “Dor na coluna de uma criança ou adolescente não é normal, os pais precisam procurar um fisioterapeuta para fazer uma avaliação e entender o problema. Dor nas costas não é normal nem em adultos, imagina em crianças. Se os filhos reclamam todos os dias de dor nas costas, nos braços, nas pernas, isso é um alerta de que algo está errado”, pontuou.

A fisioterapeuta lembra que é comum alguns adolescentes não gostarem do seu corpo, pois passam por fases difíceis de autoconhecimento, principalmente quando possuem uma postura corporal errada. E a melhor idade para corrigir esse tipo de problema é na fase de crescimento. “A correção postural pode ser feita independente da idade, mas na adolescência é muito mais fácil, geralmente 10 sessões de fisioterapia já são suficientes”, informou.

Muitas pessoas acreditam que a mochila carregada pelas crianças com os materiais escolares é uma das principais causas de desvio na coluna, porém, durante a pandemia não ocorreram aulas presenciais e mesmo assim os problemas posturais continuaram. De acordo com Eloisa a procura por fisioterapias aumentou com a pandemia. “Mesmo quando ficaram em casa, as crianças continuaram tendo problemas posturais, muitas atividades deixaram de ser feitas, o que afetou a saúde mental. Essas crianças precisam se autoconhecer novamente para voltarem a ser ativas”, argumentou a profissional.

Segundo ela, vários fatores podem levar a desvios posturais, dentre os quais o fator genético, mas, independente da causa, o ideal é que eles sejam corrigidos o mais rápido possível, o que requer mudança na percepção corporal.  “Aqueles lembretes dos pais dizendo ‘filho olha a postura’, ‘filho sente direito’, isso tudo não adianta, enquanto não corrigir a percepção corporal – a parte neurológica –, não vai mudar nada”, finaliza Eloisa.

Contato

Eloisa Glinski é graduada em Fisioterapia pela Universidade Tuiuti do Paraná e atende há 25 anos. “A fisioterapia é a minha paixão, tive um incentivo muito grande da minha mãe, Mirian Glinski. Sou pós-graduada em Recursos Terapêuticos Manuais e Integrados, estou sempre estudando e gosto especialmente da parte da coluna, mas atendo todas as áreas da fisioterapia”, relata.

A clínica de Eloisa Glinski fica na Rua Zeferino Bitencourt, 845 – Centro de Irati. Interessados podem entrar em contato pelo telefone (42) 3423-3475 ou (42) 99932-0774.

Texto: Cibele Bilovus

Fotos: Arquivo Pessoal

COMENTÁRIOS