facebook
06/11/2020

Candidatos Padre Marcos e Junior Benato debatem projetos para Inácio Martins

Candidatos Padre Marcos e Junior Benato debatem projetos para Inácio Martins

Frente a frente no debate organizado pela Rádio Najuá e Jornal Hoje Centro Sul, os dois candidatos a prefeito de Inácio Martins, Junior Benato (PSD) e Padre Marcos (PSB), expuseram seus projetos aos eleitores do município na noite da última sexta-feira (30).

Eles fizeram questionamentos entre si em dois dos quatro blocos do debate, responderam perguntas dos radialistas e jornalistas em outro bloco, além de terem tempo para suas considerações finais no último bloco do debate.

Primeiro Bloco

O candidato Padre Marcos iniciou o debate questionando o oponente: “Prefeito Edemétrio, dia 28 é o Dia do Servidor Público. Em 2009, o senhor pela Lei 482 colocou o Plano de Carreira dos Servidores Públicos do Poder Executivo e sancionou esta lei. Por que durante este tempo, de oito anos de mandato, o senhor não conseguiu cumprir este plano?” Junior Benato respondeu destacando que não existia um Plano e sua gestão teve a iniciativa de fazê-lo para valorização do funcionalismo, mas que outras administrações não cumpriram as progressões de carreira previstas. “Nós fizemos o plano em 2009 e ele foi efetivado em 2010, façam a conta, em 2013 deveria ter sido feito uma progressão para esses funcionários, eu já não estava mais na prefeitura. Em 2016, realmente deveria ter sido feita a segunda progressão, eu também não estava na prefeitura. Agora em 2019, a gente estando na prefeitura – que é de 3 em 3 anos que se faz essa progressão –, nós fizemos. Então quando se fala em  Plano de Cargos para os funcionários públicos, nós damos exemplo e cumprimos sim, tudo que nos foi colocado”.

Em sua réplica, Padre Marcos afirmou: “Quando conversamos com os funcionários, percebemos que houve um achatamento no salário, principalmente daqueles que ganham menos”.  Segundo ele, este achatamento salarial vai até a aposentadoria dos funcionários.  Em sua tréplica, Júnior Benato disse: “Vejo que você não tem conhecimento do que fala. Realmente isso não é verdade. Quando se faz um Plano de Carreira para os funcionários, eles têm uma lei a seguir. Agora com relação a achatamento de tabelas, nós deveríamos falar sobre a educação, que realmente foi no mandato anterior que se achatou a tabela, e nós, neste mandato, corrigimos na educação essa defasagem para os professores e valorizamos eles, cada vez mais com a correção de tabela”.

A segunda pergunta foi feita por Júnior Benato: “No seu plano de governo, o senhor propõe a revisão e aperfeiçoamento do Plano de Carreira do Magistério. Em quais pontos será essa revisão e como fará o aperfeiçoamento?” Padre Marcos respondeu que conversa bastante com os profissionais da educação, que ouve reclamações e que atuará para valorizá-los. “É preciso valorizar, a cada dia, os professores. Não receberam no último tempo e, principalmente esse ano, aquilo que é do piso salarial prometido e que vem já do Governo Federal, inclusive, e que não foi feito a reposição. É claro que há as dificuldades, é um momento difícil também na economia, mas que deve ser cada vez mais respeitado aquilo que é de direito, principalmente do nosso magistério, principalmente do nosso funcionalismo público”, disse.

Em sua réplica, Júnior Benato afirmou: “Você falou bastante, mas realmente não respondeu o que eu perguntei:  Como você faria a revisão e o aperfeiçoamento do Plano do Magistério e eu não escutei a resposta”. Também repetiu que em sua gestão foi corrigida a defasagem de tabela do Plano de Cargos do Magistério e confirmou que não foi dado o aumento, conforme o piso nacional, devido às dificuldades econômicas ocasionadas pela pandemia. Em sua tréplica, Padre Marcos defendeu que o aumento deveria ter sido dado, pois os professores continuaram trabalhando durante a pandemia.

Na sequência o candidato do PSB questionou a geração de empregos em Inácio Martins. “Tivemos dois barracões industriais construídos e estamos gerando muitos empregos no município”, disse o atual prefeito e candidato à reeleição. Ele citou ainda a existência de uma empresa que faz carvão ativado, disse que está se instalando uma empresa ervateira e uma fábrica de compensados.

“Nós estamos instalando, nesta gestão, duas empresas que vão fazer a transformação da nossa matéria-prima em compensados, serão agregados os valores à matéria-prima que saia in natura, que são as toras de pinus, e vão ser feitos compensados,  um produto final que vai agregar muito valor”, afirmou Júnior Benato, acrescentando que tem sido alterada a característica extrativista do município. Ele ainda cita:  “E o exemplo principal da geração de emprego, é a fábrica de jeans. Inauguramos em 2019 dois barracões industriais, lá estão empregados 60 funcionários, com muito orgulho”.

Em sua réplica, Padre Marcos disse: “Você diz que está tão bom em geração de emprego, mas a gente observa tantas pessoas jovens indo embora de Inácio Martins para outras cidades. Fala-se muito, e o senhor fala também, da fábrica de Jeans que montou lá em Inácio Martins, mas que é um pouco também obscuro, pessoas que lá trabalham não se sentem realizadas, há muita reclamação”. Em sua tréplica, Júnior Benato enfatizou que são 60 famílias que dependem do emprego na fábrica e disse que com as duas empresas de compensados talvez seja necessário recrutar jovens que volta ao município, pois, segundo ele, o receio dos empresários é que falte gente para trabalhar.

A pergunta seguinte, feita pelo candidato à reeleição ao oponente, foi sobre como ele pretende oferecer consultas especializadas à população. Padre Marcos respondeu afirmando que há muitas reclamações na área de saúde e que as pessoas precisam de mais acesso à saúde. Disse que manterá os convênios com o Consórcio de Saúde e com a Santa Casa de Irati para este tipo de atendimento e defendeu ações preventivas. “É preciso que tenha essa atenção básica para evitar que as pessoas adoeçam, evitar que os nossos munícipes tenham nesse momento de correr atrás, de buscar uma especialidade”, disse.  Ainda falou da dificuldade de os médicos especialistas permanecerem no município.  “É difícil a gente manter os especialistas na nossa cidade, como o senhor mesmo prometeu na vez passada ter um neuro, um ortopedista, que quase não há possibilidade nenhuma de termos em Inácio. Por isso é preciso manter esses convênios [Consórcio e Santa Casa] para que sejam atendidas as nossas pessoas, os nossos doentes”, afirmou Padre Marcos.

Em sua réplica, Júnior Benato disse: “Quando começamos a gestão, nós não tínhamos nem o pagamento do Consórcio [de Saúde]. Estava em dívida, nenhuma consulta agendada pelo Consórcio tinha. Nós fortalecemos esse vínculo com o Consórcio, ampliamos as consultas especializadas, procuramos novas alternativas junto a Curitiba, que é a nossa referência especializada”. Ainda acrescentou que sua proposta é criar o Centro de Especialidades, com pediatria, fisioterapia e odontologia. Em sua tréplica, Padre Marcos afirmou novamente que existem problemas no atendimento à saúde em Inácio Martins.

Segundo Bloco

 O segundo bloco do debate teve início com a equipe organizadora do debate perguntando ao Padre Marcos como ele pretende utilizar os R$ 3.670.669,50 que Inácio Martins recebe de repasse do ICMS Ecológico. “Meio ambiente é importante em nossa cidade, em nosso Município, pois vivemos na APA [Área de Proteção Ambiental], numa altitude, e é preciso que o ICM Ecológico seja investido no meio ambiente, seja investido naquilo que faz gerar cada vez mais, inclusive a renda por aquilo que nós temos de tão bonito em nosso Município”, disse o candidato, acrescentando que consultará o conselho sobre as iniciativas a serem tomadas, que quer investir em educação ambiental e fortalecer o Eco Troca.

Junior Benato foi questionado se pretende continuar no Consórcio de Saúde. Ele destacou a importância deste investimento em consultas e exames especializados para a população. “As especialidades demandam um valor mais de 60 mil reais/mês que são pagos”, relatou. Segundo ele, a saúde já está em boas condições no Município. Também destacou várias obras que foram feitas no setor, além da ampliação do número de profissionais contratados. “Quando chegamos, nós tínhamos 3 médicos, hoje nós contamos com 8 profissionais”, afirmou Júnior Benato. Ele complementa: “Encontramos a saúde com uma defasagem profissional, por isso nós ampliamos a nossa oferta de serviços para a população, não só através do Consórcio e sim com profissionais”.  E ainda cita premiações estaduais que o Município recebeu pela gestão da saúde, como a do Projeto “Fazer mais com o mesmo”.

Na sequência, Padre Marcos foi questionado como pretende fazer concurso público sem chegar ao limite prudencial de gastos com pessoal. “Temos o Plano de Governo, que daqui a uns 2 anos ou 3 anos, a gente faça também um concurso”, afirmou. Ele disse que não é possível saber como se comportará a economia no pós-pandemia.  “Nós vemos o nosso Brasil e não temos a certeza da nossa economia, se ela vai crescer, não vai crescer. Se o nosso orçamento vai melhorar ou vai piorar”, disse.

Em sua réplica, Júnior Benato disse que o Município é o maior empregador em Inácio Martins e que é possível fazer concurso público com planejamento, pois atualmente são utilizados 47% do orçamento em despesas com  pessoal. Em sua tréplica o oponente disse que atuará com uma equipe técnica lhe dando respaldo.

A última pergunta do bloco foi para o candidato do PSD, sobre como ele pretende incentivar o setor florestal de Inácio Martins.  Júnior Benato destacou que pretende incentivar toda a agropecuária, não apenas o setor florestal. Citou a compra direta dos agricultores que, segundo ele, representa mais de 70% dos alimentos que vão para as escolas. Também falou sobre o programa de distribuição de calcário aos produtores e sobre o programa Porteira Adentro – “Que faz 8 horas de escavadeira hidráulica para o produtor sem custo algum”, disse.

Terceiro Bloco

Para iniciar o bloco, Padre Marcos perguntou ao candidato à reeleição por que ele não nomeou um secretário de Indústria, Comércio e Artesanato. Júnior Benato falou que quando assumiu a gestão tinha um valor de folha de pagamento quase extrapolado.  “Eu absorvi a Secretaria de Indústria e Comércio, eu sei como que se geram empregos porque sou um industrial”, afirmou. Também disse que, desta forma, deu “andamento à atração das empresas”. “Para que isso seja feito, nós devemos ter a atração deles no Município mais estruturado”, disse.

Padre Marcos replicou que quer “trazer de volta essa secretária”. E que valorizará tanto as pequenas e como as demais empresas do Município.  Na tréplica Júnior Benato disse: “Nunca foi gerado tanto emprego no Município de Inácio Martins. Tanto é que as empresas agora que estão se instalando, como a fábrica de compensado, o jeans, também demos cursos de capacitação”, disse. E ele acrescentou: “Não foi a falta de secretário que deixou de gerar emprego no Município”, disse.

Na sequência, Júnior Benato questionou como o oponente pretende conciliar a implantação do ensino em tempo integral e o cumprimento do Plano de Cargos do Magistério.  Padre Marcos respondeu que Inácio Martins tem um Plano Municipal de Educação. “Tem as suas 20 metas a serem cumpridas e que muitas não foram feitas”, disse.  “Quando falamos em escola integral, está no projeto já do Fundo do Município, e que precisa ser trabalhado, precisamos dar início”, acrescentou. Ele ainda frisou: “É preciso trabalhar, precisamos rever, precisamos fortalecer e, mais que isso, cumprir o Plano de Carreira, cumprir o Plano de Educação do Município que, aliás, é também junto com o Plano Nacional”.

Em sua réplica Junior Benato pontuou avanços obtidos no setor e disse que quer aliar educação e esporte. “O tempo integral pode ser também dentro da área esportiva, por isso vamos criar o Bolsa Atleta, que serão recursos financeiros para as pessoas, para os alunos que mais se destacarem”, propôs. Na tréplica, Padre Marcos falou novamente sobre as metas do Plano de Educação.

Em sua última pergunta ao oponente, Padre Marcos o inqueriu sobre habitação. Júnior Benato disse que em seu primeiro mandato foram 40 habitações, no bairro Belo Vista, além da construção de casas na área rural.  Também citou um projeto habitacional que está em andamento. “Serão 29 habitações que serão construídas, está em fase de licitação. Os projetos estão todos aprovados, a documentação dos terrenos está legalizada, está na fase agora da licitação e implantação dessas habitações”, disse. O candidato ainda solicitou que o oponente explicasse o fato de ter afirmado publicamente que tinham pessoas morando embaixo do viaduto em Inácio Martins.

Padre Marcos afirmou: “Nós temos muitas famílias em alta vulnerabilidade em nosso Município. Quando falei ‘embaixo do viaduto’ foi no sentido figurado, que pessoas moram em barracos de lonas, moram em uma habitação totalmente desproporcional, sem saneamento, sem água potável, sem um banheiro e precisamos trabalhar”. Ele ainda disse ao oponente:  “E lembrando que as 40 casas que estão lá construídas não foi o senhor prefeito que construiu”.

Junior Benato disse: “Não fui eu que construí, fui eu que consegui o recurso, simplesmente o outro mandatário que me sucedeu fez as casas, mas estava tudo garantido”.

Para encerrar o terceiro bloco de perguntas do debate, o candidato à reeleição questionou o oponente sobre como ele faria a reestruturação das estradas rurais. Padre Marcos citou que há equipamentos bons em Inácio Martins, assim como em outros municípios da região, repassados pelos governos estadual e federal. “É preciso, é bastante estrada, mas para isso temos que ter planejamento. Temos que ir às nossas comunidades, temos que sentar com os conselhos, sentar com todos os movimentos que temos das pessoas para coordenar um trabalho, para participar, para determinar as prioridades e dessa forma a gente arrumar”, disse o candidato do PSB. Ainda segundo ele, as estradas estão muito mal cuidadas no Município. “Que, aliás, agora, num tempo eleitoral, que estão sendo feitas as estradas”, afirmou Padre Marcos, prometendo cuidar das estradas permanentemente.

Em sua réplica, Júnior Benato disse: “Eu vejo que de estradas você entende muito pouco, candidato. Agora um elogio que você falou que temos maquinários é realmente porque foi muito suado conseguirmos neste mandato. Peguei os equipamentos totalmente defasados do que era o mandatário anterior e deixei agora tudo novo. Então não é justo que ajeitamos a casa, temos equipamentos, estamos construindo estradas com qualidade, que seja entregue novamente. Bem pelo contrário, nós devemos continuar e isso nós provamos com a Patrulha Rural, que faz estradas de qualidade e com o Projeto de Trafegabilidade Rural pelo Município, com aquisição de combustível”.

Em sua tréplica, Padre Marcos disse: “Temos muitas estradas rurais e claro a Patrulha Rural é importante e vem também para todos os municípios, é uma parceria inclusive do Governo Estadual, da Amcespar, de que o nosso Município faz parte. Mas as estradas têm que serem conservadas porque é um momento importante do nosso agricultor, do nosso colono, vir até um hospital, ter uma saúde adequada, ter acesso às políticas públicas que nem sempre chegam às pessoas. Que as estradas sejam realizadas de uma forma adequada, precisa planejamento, precisa fazer com que esse maquinário trabalhe nas nossas estradas, o que não tem acontecido nos quatro anos de mandato”.

Quarto Bloco

No quarto e último bloco, os candidatos fizeram suas considerações finais e pediram o voto dos eleitores.

Texto: Letícia Torres e Daniela de Mello/Hoje Centro Sul

Fotos: Ciro Ivatiuk/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos

COMENTÁRIOS