facebook
13/11/2020

Candidatos a prefeito de Irati discutem propostas durante o último debate promovido pela Rádio Najuá e Jornal Hoje Centro Sul

Último debate durou mais de duas horas e contou com a participação de apenas sete candidatos. O candidato Osvaldo Zaboroski (PT) não participou porque ainda está internado em Ponta Grossa

Candidatos a prefeito de Irati discutem propostas durante o último debate promovido pela Rádio Najuá e Jornal Hoje Centro Sul

Os candidatos a prefeito de Irati participaram na noite desta quinta-feira (12) do último debate antes do dia da eleição, promovido pela Rádio Najuá e o Jornal Hoje Centro Sul. Dos oito candidatos, sete estiveram no debate. O candidato Osvaldo Zaboroski (PT) ainda está internado em Ponta Grossa, após sofrer um infarto no dia 20 de outubro durante um compromisso de campanha, em Irati. Como a lei eleitoral prevê que apenas os candidatos ao mesmo cargo participem do debate, o candidato a vice-prefeito, professor Adevino Leite da Silva, não pôde substituí-lo no evento.

O debate iniciou às 20h com os candidatos realizando perguntas entre si. O primeiro a perguntar foi o candidato Emiliano Gomes (PSD) que indagou ao candidato Ico Ruva (PSL) sobre sua opinião em relação a projetos contra a reeleição que tramitam no Congresso Nacional. O candidato explicou que vê experiências positivas na região, como em Prudentópolis, Fernandes Pinheiro e Teixeira Soares, mas que em Irati não consegue ter a mesma visão. “Infelizmente Irati nós não temos boas experiências com as reeleições. O que eu posso dizer, no caso das experiências do primeiro mandato, nas que não foram boas, o primeiro mandato foi bom e a reeleição foi ruim. O que nós podemos comentar quando a primeiro já foi ruim? O primeiro mandato já não tem aprovação da nossa população. Com certeza, se isso acontecer, a reeleição, nós seremos, com certeza, enterrados vivos”, afirmou Ico Ruva. Na réplica, Emiliano respondeu que acredita que dá para realizar muito em quatro anos. Ele falou que seu candidato a vice-prefeito, Felipe Lucas, que foi prefeito entre 1993 e 1997,  trouxe empresas e fez projetos de pavimentação durante um mandato. Na tréplica, Ico destacou ver a reeleição como um prêmio para o bom candidato, mas que há exemplos que bons políticos que não optaram pela reeleição.

Em seguida, foi a vez do candidato Marcos Antônio Gonçalves (Avante) que perguntou ao candidato Emiliano sobre projetos em relação à geração de emprego. O candidato do PSD disse que tem apoio do Governo Estadual e procurará trazer mais empresas. “A perspectiva futura é realmente gerar emprego e renda, fazer com que o Governo do Estado invista e novamente traga grandes empresas para cá. Sempre digo, vamos fortalecer o que nós temos, vamos fortalecer os pequenos, os microempreendedores individuais. Você que está precisando abrir uma empresa, que está com objetivo de crescer na vida, nós criaremos o prédio de Desenvolvimento Econômico e Inovação. Aquela obra parada que está no Centro Cívico, possível futuro Centro Cívico - que a prefeitura deveria terminar - lá nós faremos um Centro Integrado de Desenvolvimento Econômico e Inovação”, disse. Na réplica, o candidato Marcos reconheceu a necessidade de empregos e falou que possui condições de trazer empresas para o município. Na tréplica, Emiliano ressaltou novamente a necessidade de investimentos no município.

Ainda no primeiro bloco, o candidato Ico Ruva perguntou ao candidato Jorge Derbli (PSDB) sobre recuperação de contas públicas. Derbli afirmou que as contas públicas estão em ordem. “Tem algum débito no CAPS [Caixa de Aposentadoria e Pensão dos Servidores Municipais de Irati], que estamos trabalhando para acertar isso. Pagamos o CAPS certinho em 2017. Em 2018, uma parte dele foi parcelado, estamos rigorosamente em dia, e 2019, que estamos 100%. Em 2020, temos uma questão de um débito que estamos discutindo e prevendo recurso também para o pagamento. Existiu do Governo Federal uma lei que todas as prefeituras do Brasil teriam condições de postergar esse pagamento, se fosse o caso para  aliviar o caixa das prefeituras. Essa conta que nós temos ainda, esse saldo, é de anos atrás aonde foi retirado do CAPS, lá na década de 90 e gerou uma parcela extra de R$ 700 mil por mês para o município pagar”, respondeu.

O candidato Ico Ruva disse na réplica que esperava que Derbli comentasse sobre as contas de 2018. Derbli respondeu que as contas de 2018 não foram reprovadas. “Tem um parecer para reprovação aonde nós entramos com recurso. Está em trâmite ainda. Nenhuma conta minha está reprovada, pelas despesas extras que tivemos no início do mandato, como eu já expliquei várias vezes, por questões de terminar obras paradas e outros custos adicionais”, disse.

Em seguida, Derbli indagou o candidato Marcos sobre estradas rurais. O candidato Marcos falou sobre um dos seus principais projetos. “Sei que é um projeto que custaria caro, mas seria o asfalto Irati até o Itapará. Teria que ser feito, teríamos que começar. Já foi feito até Gonçalves Júnior. Está boa aquela estrada até lá, mas nós precisaríamos chegar até o Itapará”, explicou. Na réplica, Derbli contou que no início do mandato solicitou diversos maquinários que chegaram somente este ano na prefeitura, mas que devem compor uma patrulha rural que poderá entrar dentro das propriedades rurais, fazendo bueiros. Na tréplica, Marcos reconheceu que seu projeto para o Itapará é ousado, mas que pretende iniciar em seu mandato.

Logo após, o candidato João Dremiski (PCdoB) perguntou à candidata Rafaela Maria Ferencz (PDT) sobre inovação e tecnologia. Ela respondeu que é importante que Irati evolua. “Trazer novas tecnologias é acompanhar essa evolução, é buscar atualizar a prefeitura. Inclui tudo: nos sistemas, nos projetos, na parte da saúde, com medicamentos novos inclusive. Temos laboratórios que tão produzindo medicamentos novos e a prefeitura está totalmente com os medicamentos desatualizados”, relata. Na réplica, João conta que seu projeto envolve uma proposta regional com um consórcio para gerar experiências novas, novas empresas e apoiar as empresas que já existem. Na tréplica, Rafaela disse que é preciso mudar para trazer inovação.

A candidata Rafaela perguntou ao candidato Josué Hilgemberg (MDB) sobre corrupção. O candidato disse: “O voto não se vende minha gente, a gente cobra dos políticos. Infelizmente, existem candidatos que estão disputando aqui que tem esses problemas, problemas com a Justiça, já responderam questões referentes com malas de dinheiro para comprar os eleitores”, disse. Na réplica, Rafaela voltou a dizer que é preciso renovar a política. Na tréplica, Josué comentou que não tem associação com políticos envolvidos com problemas na Justiça.

Depois, foi a vez do candidato Josué indagar o candidato João sobre o que faria com investimentos com recursos federais para combate da Covid-19. João disse que quer garantir a vacina para a população de Irati e que é preciso respeitar as indicações do setor de saúde. “A manifestação do COEF [Centro de Operações Especiais e de Fiscalização da Covid-19] que não foi respeitada, eles determinaram providências em relação ao Covid-19 e essas providências não foram tomadas e se foram tomadas, foram amenizadas para criar uma situação”, disse. Na réplica, Josué afirmou que é preciso mais transparência e esclarecimentos com gastos, como o valor usado para a tenda instalada na Caixa Econômica Federal. Na tréplica, João disse que entidades, como o Conselho de Saúde, precisam fiscalizar mais.

Segundo bloco

No segundo bloco, os candidatos responderam perguntas de jornalistas e radialistas. O primeiro a responder foi o candidato João, que falou sobre propostas para a pós-pandemia. Ele comentou que é preciso garantir a vacinação e propôs parcerias com cooperativas ou associações para dar apoio financeiro e geração de oportunidades com obras públicas. “Ampliação das compras da prefeitura com os microempreendedores. Nós temos discutido muito a questão de um Restaurante Popular para garantir a segurança alimentar dessas pessoas que estão trabalhando no centro da cidade e não precisam se deslocar de volta para casa na hora do almoço. É muito importante destacar a oportunidade de gerar um microcrédito para as nossas economias de pequenos empreendedores, para que se aqueça o nosso mercado”, disse. Derbli replicou dizendo que propõe para o próximo ano fazer um parcelamento do Imposto Sobre Serviços (ISS) e postergar pagamentos do segundo semestre para aliviar empresas. Na tréplica, João propôs o uso do fundo de iluminação pública para um programa de subsídio do salário de jovens no primeiro emprego.

Derbli respondeu sobre criação de programas sociais. O candidato falou sobre o projeto Cidade do Idoso, que deve levar ações de saúde nos barracões do CT Willy Laars para este público, mas também aproveitou para falar sobre a tenda instalada na frente da Caixa. “Quem critica a tenda, é porque não esteve naquela fila buscando os R$600 ou os R$300. Se estivesse na fila iria dizer: ‘Obrigado por esta tenda aqui que me abrigou do sol e da chuva’”, disse. Na réplica, Emiliano lembrou: “Essa tenda é paga pelo dinheiro do contribuinte e esse dinheiro, é um valor alto, vocês podem checar no Portal de Transparência o quanto está sendo pago por esta tenda”. Na tréplica, Derbli retrucou: “Está sendo paga a tenda, nada é de graça, a prefeitura tem que pagar, mas é um investimento na saúde da população. O senhor, talvez pela condição financeira, nunca vai precisar e tomara que não precise, entrar numa fila para pegar um auxílio do Governo Federal”, disse.

Em seguida, Marcos respondeu sobre manutenção de estradas rurais. Ele voltou a falar do projeto de pavimentação até o Itapará e disse que deverá manter as pontes funcionando. “Eu vou tentar manter essas estradas o máximo possível, toda a economia de Irati gira em torno da nossa agricultura”, disse. Na réplica, Ico disse que fará o programa Porteira Adentro e alargará as estradas rurais. Na tréplica, Marcos disse que ainda há estradas abertas com picaretas.

Josué respondeu sobre a participação das crianças e jovens na disseminação da Covid-19 na retomadas as aulas. O candidato aproveitou o momento para retomar o assunto da tenda e disse que é preciso saber como foi gasto. Sobre a Covid-19 disse: “O primeiro cuidado é continuar dando qualidade de ensino, fazendo com que a pandemia não lese as nossas crianças, os nossos jovens, usando toda a tecnologia e a categoria dos nossos professores municipais que são pessoas preparadas”, disse. Na réplica, Rafaela defendeu que é preciso retomar o ensino nos domicílios por causa do aumento de casos. Na tréplica, Josué comentou que o valor recebido do Governo Federal poderia ser usado para adquirir tecnologias para os estudantes.

O candidato Ico Ruva respondeu sobre a BR 153, em seu trecho que corta o perímetro urbano. Ico disse: “Esse entroncamento tem que ser bem aproveitado para a criação de um parque industrial, para a criação de emprego e justamente, a criação deste parque industrial tem que ser planejada aonde será construído o contorno da BR 153 com a BR 277”, disse. Na réplica, o candidato Marcos falou que é preciso melhorias no local, como acostamento e iluminação. Na tréplica, Ico destacou mais propostas para reestruturação de infraestrutura no município.

Rafaela respondeu sobre recursos para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A candidata disse reconhecer o alto valor para participar do consórcio e disse que é preciso discutir com a população se o município realmente tem essa demanda. “Está faltando remédios, está faltando exames, cirurgias eletivas, consultas especializadas. Nós precisamos decidir qual é o melhor investimento que o município vai fazer para saúde. Será que é o Samu? É um custo muito alto e tenho ouvido muitas reclamações que não tem funcionado. Inclusive, nós tivemos uma ocorrência com o candidato Zaboroski que o Samu não chegou para socorrer”, explicou. Na réplica, o candidato João disse que não dá para economizar com saúde e que o Conselho de Saúde pode auxiliar na discussão sobre qual a melhor estratégia para urgência e emergência no município. Na tréplica, Rafaela disse que reconhecer a importância do Samu, mas é preciso equilibrar o orçamento da área.

O segundo bloco finalizou com a resposta de Emiliano sobre estratégias para o desenvolvimento de Irati. “Nós precisamos efetivamente é de investimentos do Estado para que dê sua atenção e coloque aqui indústrias, sejam cooperativas, indústrias de outros ramos, para começarmos a reviver o nosso comércio, para sanar os principais problemas que nós temos hoje que é a questão de emprego e renda. Nós precisamos fazer com que os empresários daqui se conectem, conversem e possamos definir estratégias junto com a administração pública, com a população e com o Governo do Estado”, disse. Na réplica, Josué comentou que é preciso investimento em infraestrutura nos parques industriais. Na tréplica, Emiliano disse que há possibilidade de expansão para futuras empresas em uma área atrás da empresa Yazaki.

Terceiro bloco

O terceiro bloco iniciou com um pedido de resposta do candidato Jorge Derbli que disse que a prefeitura não possui medicamentos faltando, que são gastos R$ 2 milhões por ano na compra de medicamentos. Ele ainda complementou que um projeto deverá levar remédios para pacientes através de motoboys. “Nós vamos contratar por credenciamento, por licitação, motoboys para fazer entregas de remédios a pessoas que têm problema de locomoção, que precisam daquele remédio contínuo, de hipertensão, de diabetes”, disse.

Em seguida, o bloco retomou com as perguntas de candidato para candidato. Emiliano perguntou para Ico sobre as obras paradas. Ico disse que, à época, tentou convencer para fazer o ginásio para a Vila São João, mas não conseguiu, e que soube mais tarde que uma escola poderia ter sido instalada no local do teatro. “Eu acho que nós temos que fazer as coisas mais simples funcionar no município, mas que essas coisas, que sejam ao alcance da nossa população”, disse. Emiliano respondeu na réplica que pretende fazer parcerias com o Estado para terminar as obras. Na tréplica, Ico que também tem projetos para aproveitar os espaços.

Ico perguntou à Rafaela sobre projetos na área de esportes. “O ginásio que está parado, precisamos buscar recursos para terminar. Esse local para fazer esporte vai ser extremamente importante. Vamos colocar aulas de natação lá no Centro da Juventude para a criançada e os adolescentes praticarem esse esporte, também que é muito bom para a saúde. O projeto de esporte que nós temos é muito completo, inclusive o esporte paraolímpico. Nós não temos nada em Irati para as pessoas com deficiência. Eu atendo essas pessoas e eu tenho pessoas com deficiências na minha família, eu sei da importância que isso tem”, disse a candidata. Na réplica, Ico comentou propostas para investimento em escolinhas e pista de atletismo na Vila São João. Na tréplica, Rafaela relembrou a necessidade de concurso público para professores, incluindo os professores de Educação Física.

Derbli perguntou sobre mobilidade urbana para Marcos. O candidato disse que deve manter o que está sendo feito no centro de Irati, mas pode fazer melhorias. “Gostei do que está sendo feito, mas pode ser melhorado ainda. O meu projeto seria mais interior mesmo, eu quero desenvolver para nossa agricultura”, explicou Marcos. Na réplica, além de falar da rotatórias instaladas, Derbli comentou que deve instalar o estacionamento rotativo eletrônico e investir em ciclovias. Na tréplica, Marcos elogiou as rotatórias, mas chamou a atenção para a mobilidade na BR 153.

Marcos perguntou a Emiliano sobre capacitação de jovens. O candidato respondeu que possui um projeto de tornar a área do Centro da Juventude um centro cívico para os jovens. “Nós vamos fazer um centro cívico ali para que as pessoas que praticam esportes, as pessoas que tão convivendo ali no Centro da Juventude possam também ter acesso sobre o empreendedorismo, a inovação, para que possam estar em contato com tudo que é de estímulo às coisas voltadas aos negócios, ao empreendedorismo”, comentou. Na réplica, Marcos disse que possui projetos de capacitação de jovens, mas não especificou. Na tréplica, Emiliano reiterou que é preciso investir na juventude.

Em seguida, foi a vez de João perguntar a Derbli sobre demora da realização das providências determinadas pelo COEF em relação à pandemia. Derbli respondeu que o município realizou o que foi determinado, incluindo o lockdown. “Estamos fazendo a sanitização dos postos de saúde que estão fechados porque funcionários pegaram o COVID. Mas criamos naquele ginásio, ao lado da Perpétuo Socorro, um centro de triagem, com médico, com espaço amplo para fazer esse teste dessas pessoas. Nós estamos pedindo para a população: se cuide! Ninguém tem culpa da Covid. O prefeito não tem. Você não tem. O comércio não. A economia já vai de mal a pior. Nós estamos fazendo tudo para que as pessoas se cuidem e tenham o menor impacto possível”, disse. Na réplica, João destacou o trabalho do COEF e disse que é preciso garantir a vacina. Na tréplica, Derbli também elogiou o trabalho do comitê.

Rafaela perguntou a Josué sobre quais as propostas para a saúde mental da população. Em sua resposta, Josué disse que deve criar uma Clínica do Autismo. “Temos aqui uma equipe para atender as pessoas que vivem nessa situação e principalmente as famílias. Existem dados do nível crescente de pessoas portadoras do autismo e isso será um dos compromissos”, disse. Na réplica, Rafaela destacou que seu projeto para a saúde mental deverá incluir atendimento domiciliar e virtual. Na tréplica, Josué disse que deverá ampliar o número de atendimentos e consultas especializadas, sobretudo em relação à ansiedade.

O terceiro bloco terminou com Josué perguntando a João sobre ações contra a corrupção. João disse que casos de corrupção devem ser investigados. “O que nós fazemos para garantir que as nossas políticas públicas sejam executadas com qualidade é a participação social. Nós precisamos ter associações organizadas, nós precisamos ter cooperativas, nós precisamos escutar os movimentos sociais da nossa região, da nossa cidade para que todo mundo possa participar e exista transparência e controle social”, explicou. Na réplica, Josué destacou a importância da transparência nas informações do Portal da Transparência. Na tréplica, Josué comentou sobre um projeto de ter um conselho gestor na prefeitura.

Texto: Karin Franco, Daniela de Mello e Thainá Ferreira/Hoje Centro Sul

Fotos: Ciro Ivatiuk/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos

COMENTÁRIOS