facebook
18/05/2021

Até que a imunização de todos seja possível...

Até que a imunização de todos seja possível...

Conscientizar a população mais jovem que a contaminação pelo Coronavírus também pode afetá-la e provocar a morte não é tarefa das mais simples. Isso porque durante muito tempo se falou que eram os idosos o principal grupo de risco e que os efeitos eram menores entre os mais jovens e entre as pessoas sem comordidades. Entretanto o vírus mudou, foram surgindo novas cepas mais letais e ninguém está isento de viver complicações, traumas ou até mesmo morrer caso seja contaminado.

Entre as pessoas com menos de 60 anos de idade ocorreram os maiores aumentos dos índices de contaminação e os maiores aumentos dos números de óbitos nos últimos meses.  

No primeiro quadrimestre deste ano, de acordo com o boletim publicado pelo Observatório Covid-19 da Fiocruz, no país a faixa etária de pessoas entre 40 a 49 anos foi a que teve maior aumento em casos de óbitos . A instituição analisou os casos de Covid-19 reportados pelo SivepGripe, do Ministério da Saúde, de janeiro a abril deste ano, constatando que houve 1.173,75% no aumento global de óbitos nesta faixa etária. Outras faixas etárias também tiveram aumento significativo de óbitos: 50 a 59 anos (1.082,69%), 30 a 39 anos (1.103,49%), 60 a 69 anos (747,65%) e 20 a 29 anos (745,67%).

Os números são preocupantes e podem ser confirmados com o que observamos na região. Em Irati, por exemplo, adultos jovens têm sido vitimados pela doença recentemente. Os índices de ocupação dos leitos hospitalares não baixam há semanas e a situação assusta os profissionais de saúde e as autoridades.

Por outro lado, a Polícia Militar continua tendo de acabar com festas irregulares, onde as aglomerações são a realidade. Exemplo disso foi verificado em Rebouças, no domingo dia (09), quando os policiais tiveram que acionar um micro ônibus para levar até a delegacia as 22 pessoas que estavam na festa - homens, mulheres, adolescentes e crianças.

É um absurdo a falta de responsabilidade de alguns para com a saúde pública. Psicanalistas destacam que se trata de uma atitude infantilizada, de negar a pandemia para não ter que restringir as possibilidades individuais de prazer, de diversão.  Isso precisa ser combatido. É preciso que cada um faça a sua parte, siga os cuidados que são de conhecimento geral – uso de máscaras, isolamento, distanciamento. Converse com familiares e os oriente a fazer o mesmo. Só assim a contaminação poderá ser freada até que a imunização de todos seja possível.

Texto: Letícia Torres

COMENTÁRIOS