facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1230 - Já nas bancas!
24/06/2020

Apesar da queda de receita, Derbli destaca que as obras prosseguem em Irati

Apesar da queda de receita, Derbli destaca que as obras prosseguem em Irati

Em Irati, a queda de arrecadação do Município já chegou a R$ 6 milhões desde o início do ano, devido à pandemia do novo coronavírus. Mesmo assim, de acordo com o prefeito Jorge Derbli, prosseguem as obras cujos convênios assinados já asseguraram recursos para execução, como as pavimentações nos bairros, as creches, escolas e obras no Parque Ambiental da Vila São João.

“Nós estamos levando, as obras que tem convênio estão indo. O Finisa [Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento] que é o maior projeto nosso, R$ 10 milhões, a empresa agora terminou o Pinho [asfalto que dá acesso à localidade Pinho de Baixo], 6,2 quilômetros, tem mais 1 quilômetro que nós já temos dinheiro em caixa, mas está demorando o trâmite na Caixa Econômica.  Então eles vão atacar a cidade, estas obras da avenida Paraná, Santo Antônio, Fernando Gomes, enfim, nós temos ainda uns R$ 8 milhões em obras para fazer aqui na cidade, do Finisa, que o dinheiro já está garantido na conta”, relata Derbli.

No Parque Ambiental da Vila São João estão sendo feitas obras com recursos livres e com emendas parlamentares. Segundo o prefeito, já foram licitadas a construção de ciclovias com recursos do Município e um Terminal Turístico, com verbas de emenda parlamentar. Outra ação já realizada foi a construção do campo, que também recebeu aporte de recursos do Governo Federal.

Também com verbas federais, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), estão sendo feitas as creches do Dallegrave e do Rio Bonito. As duas creches, ou Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), têm projetos iguais, padronizados pelo FNDE, do Tipo 2. Cada creche terá área de 890,33 metros quadrados e capacidade de atendimento de até 188 crianças, em dois turnos (matutino e vespertino), ou 94 crianças em período integral.

Com recursos do Governo do Estado, está sendo edificado o Centro de Eventos, no Centro de Tradições Willy Laars. “É uma obra com recursos do governo, mas tem uma contrapartida alta, de R$ 500 mil, mas está acontecendo também, tem R$ 3 milhões a fundo perdido do governo,  está saindo”, diz Derbli. 

Ginásio de esportes

Outra obra que deve ter continuidade, segundo o prefeito, é a construção do ginásio de esportes, na avenida perimetral. “Agora estamos acertando para fazer o empréstimo para continuar o ginásio, que foi aprovado na Câmara, está em votação, que eu tinha R$ 10 milhões, iam três para o ginásio e sete para pavimentação em Gutierrez, mas daí o Estado resolveu mudar a regra, quer que garanta R$ 6 milhões para o ginásio. Então nós vamos reduzir a pavimentação para R$ 4 milhões, mas autorizando agora, acho que já deve licitar”, comenta Derbli.

Ele cita a incerteza quanto aos prazos legais para a contratação e início de novas obras devido à possível mudança da data das eleições municipais.  “Os prazos também de licitação vão mudar, por causa das eleições, se postergarem, mas, na verdade, ninguém sabe o que vai sair”, diz.

Estradas rurais

A manutenção das estradas rurais, com trabalhos de patrolamento, cascalhamento, execução de bueiros também continua em andamento. Apenas em junho, segundo o prefeito, para reduzir despesas com locação de máquinas, houve diminuição das equipes e os trabalhos têm sido feitos em sistema de mutirão, reunindo as secretarias de Obras e Serviços Urbanos e Viação e Serviços Rurais.

“Nas estradas também estamos trabalhando, reduzimos, agora neste mês de junho não tem mais equipamentos alugados, só uma máquina que está trabalhando em uma pedreira”, relata.

Em breve,  Irati deverá ter outros cinco equipamentos novos, adquiridos com recursos federais, por meio de emenda parlamentar de 2017. Integrarão o parque de máquinas do Município: um caminhão, uma escavadeira, uma pá carregadeira e um rolo compactador. “Já vieram três [equipamentos], estão faltando dois, quando chegarem os cinco eu vou criar uma patrulha só para atender o interior”, comenta Derbli.

Queda na arrecadação

Os projetos e obras que precisavam de contrapartida do município tiveram de ser readequados ou adiados, segundo o prefeito. “Está tudo reduzido, porque não tem dinheiro para contrapartida. Nós estamos recebendo estes R$ 7 milhões [auxílio federal aos municípios, que está sendo pago em quatro parcelas], já veio a primeira parcela, mas de janeiro a maio nós tivemos, segundo o Juarez [secretário municipal de Fazenda], R$ 6 milhões de queda da arrecadação, uma soma geral do que vem caindo. Neste mês de junho, só na arrecadação do dia 09 e 10, que é ICMS/ FPM, em dois dias caiu R$ 700 mil”, conta.

Com isso, os R$ 7 milhões serão para recompor o déficit que vem se acumulando desde o início do ano. Mas, como este valor está sendo pago de forma parcelada e a redução do montante arrecadado já aconteceu, a administração tem que diminuir os gastos para equilibras as contas.

A expectativa do prefeito é de poder dar continuidade aos projetos e obras com recursos do IPTU, que começa a ser pago em julho e agosto. Por enquanto, a atenção tem sido para garantir as despesas básicas, como, por exemplo, o pagamento dos servidores públicos. “A folha de pagamentos está em dia, aos trancos e barrancos, mas estamos levando. Em nenhuma prefeitura está sobrando dinheiro”, finaliza o prefeito.

Coronavírus

Quase toda semana, novas medidas têm sido adotadas em Irati para o enfrentamento ao coronavírus. De acordo com a concentração de casos, as solicitações dos comerciantes e as análises técnicas feitas pelos profissionais da área da saúde, às vezes acontece a flexibilização e às vezes a restrição de atividades comerciais.

Derbli acredita que todas as atividades econômicas, de certa forma, são essenciais, pelo menos para as pessoas que sobrevivem delas, que tem sua renda garantida pelo desempenho daquela atividade específica. 

“Estão sendo feitas essas questões pontuais. Tem muita coisa que está sendo mudada para atender um determinado setor. A vantagem nossa é que não tem nenhum internado, nenhum óbito”, afirma.  

Ao considerar o cenário atual, Derbli afirma que não pensa na possibilidade de decretar um lockdown – fechamento de todas as atividades – e sim em penalizar as empresas que não cumprirem os decretos que determinam o distanciamento social, uso de máscaras, disponibilização de álcool em gel, dentre outras medidas de enfrentamento ao novo coronavírus.  “Nós não vamos restringir, eu não fecho mais nada, fecho pontual. Eu não faço um decreto para fechar tudo, vou fechar quem não cumprir com as determinações. Se tem dez bares, oito estão cumprindo e dois não, nós vamos fechar os dois, isso nós vamos fazer”, afirma.

A única exceção, citada pelo prefeito, seria se  fosse atingido colapso do sistema de saúde, ou seja, não existirem mais leitos de UTI disponíveis para o tratamento de pacientes com COVID-19. “Mas eu acredito que não vamos chegar nesse ponto”, diz Derbli.

Novos projetos

Para Jorge Derbli, dois grandes projetos precisam ser realizados em Irati: a continuação das obras do canal hídrico na área central da cidade e a interligação do centro aos bairros por meio de ciclovias.

A obra do canal hídrico seguiria desde o trecho já executado do canal, por toda a Rua Carlos Thoms até a Alfredo Bufrem, passando pelo pátio da Receita Federal. De acordo com o prefeito, nas proximidades deverá ser feita uma bacia de contenção, por empresários que tem o projeto de um loteamento na área dos Gomes.

“Tem um projeto que eles querem fazer do loteamento, já estiveram aqui esta semana numa reunião, eles vão fazer uma bacia de contenção, uma obra que vai segurar toda a água, aquele banhado que tem ali. Eles seguram e dali a gente já saia para o canal hídrico, acabava com o problema das enchentes”, comenta.  

Texto: Letícia Torres/Hoje Centro Sul

Fotos: Ciro Ivatiuk/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos

Classificados