facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1230 - Já nas bancas!
20/03/2020

Editorial - Esforços coletivos para evitar a propagação do coronavírus

Editorial - Esforços coletivos para evitar a propagação do coronavírus

A partir desta sexta-feira (20), as aulas estão paralisadas em todas as escolas dos municípios da região Centro Sul. Os ônibus interestaduais deixam de circular no Paraná e as linhas intermunicipais já não estão circulando em todos os horários.

O decreto 4.301/20 emitido nesta quinta-feira (19), pelo Governo do Estado determina o fechamento de shopping centers e estabelecimentos congêneres, além de academias e centros de ginástica.

Em Irati, o decreto 118/2020 determinou que o funcionamento do comércio será apenas no período da tarde, de segunda a sexta, também a partir deste dia 20.  A Associação Comercial sugeriu às empresas que antecipem as férias dos funcionários, restrinjam o número de pessoas trabalhando, dentre várias outras propostas.

Todas estas medidas são esforços coletivos no sentido de evitar a propagação do novo coronavírus no Paraná. As economias do Estado e do Município serão afetadas? Com certeza.  Entretanto, para o poder público, seriam bem piores os efeitos de se ter um número de casos graves infinitamente superior a capacidade de atendimento do sistema público de saúde.  Exemplos que vemos acontecendo na Itália e mais recentemente em Londres.

Já para as famílias, o custo de ver seus entes queridos perderem a vida, muitas vezes sem acesso à assistência médica, com ocorre na Itália, seria incomensurável.

Por isso tantas medidas para forçar o isolamento das pessoas têm sido adotadas nos estados e municípios. As autoridades, exceto o presidente da República, estão levando a sério a pandemia do coronavírus para que não haja um número gigantesco de casos ao mesmo tempo. Querem achatar a curva da doença, evitando o pico e a mortalidade em massa. Claro que milhares de brasileiros terão a doença. Isso é fato. Mas se isso ocorrer gradativamente, a expectativa é de poder superar o problema.

O fato é que não há alternativas milagrosas para o enfrentamento ao coronavírus. Cada um tem que fazer a sua parte, cuidar da higiene, evitar contato, ficar em casa o máximo possível. Tudo isso tem um preço? Tem. Mas a preservação da vida, sobreviver à pandemia é mais importante.