facebook
09/10/2020

1º debate teve a participação dos oito candidatos a prefeito de Irati

Promovido pela Rádio Najuá e Jornal Hoje Centro Sul o debate durou pouco mais de duas horas e meia e foi dividido em quatro blocos, dois deles com perguntas de candidato para candidato

1º debate teve a participação dos oito candidatos a prefeito de Irati

Na sexta-feira (02), os oito candidatos a prefeito de Irati participaram do 1º debate promovido pela Rádio Najuá e Jornal Hoje Centro Sul. Em pouco mais de duas horas e meia, eles puderam questionar os adversários e falar sobre seus projetos, caso sejam eleitos.

O debate teve início às 20h, com os candidatos fazendo perguntas entre si, por ordem de sorteio. O primeiro a perguntar foi Josué Hilgemberg (MDB), que escolheu Emiliano Gomes (PSD) para responder. A pergunta foi: Quantos empregos foram gerados na sua época como secretário do atual prefeito Jorge Derbli? E qual é a sua proposta para gerar emprego e renda? Emiliano disse: “Quem realmente gera empregos nesse município é um bom prefeito, com uma boa relação com o Estado, o resto, é conversa. Nós temos bons projetos e executamos bons projetos, como o Desenvolve Irati, que é um projeto para poder aquecer os ecossistemas principalmente dos setores menos favorecidos, ou seja, os MEI’s [micro empreendedores individuais]. Nós temos que valorizar aquelas pessoas que estão começando o seu primeiro negócio e estimular os jovens. Os jovens precisam ser estimulados para que possam, futuramente, empreender e gerar emprego”, disse Emiliano. Em sua réplica Josué falou sobre a importância de investimentos no condomínio industrial e, depois, Emiliano voltou a falar que é necessária a parceria com o Estado para a geração de empregos.

Emiliano foi o segundo a questionar um oponente. Ele escolheu Marcos Gonçalves (Avante) para também responder sobre geração de empregos. “O que eu quero trazer para cá, são grandes empresas. E eu quero fazer um trabalho na área de construção de casas pré-fabricadas e já estamos em contato com uma empresa que já me pediu há muito tempo, mesmo eu não sendo prefeito, trazer uma empresa na área de placas solares”, respondeu Marcos. Ele afirmou ainda: “Eu não entendo porque Irati é fechada, Irati parece uma cidade ainda colonizada por coronéis. Não se pode entrar aqui, se você vir para cá, você não entra e eu sei disso”, disse. Em sua réplica, Emiliano destacou. “Nós vamos fomentar diversos programas, mas, acima de tudo, a boa relação com o órgão importante que se chama Investe Paraná, vai fazer com que a gente traga grandes indústrias para o município de Irati”.

Na tréplica, Marcos disse: “Eu acho que pode ser que você consiga, mas eu quero ver se vai acontecer isso mesmo. Eu estou apostando agora nisso. Como vocês falaram, trazer MEI’s, trazer pequenas empresas. Irati não sobrevive de pequenas empresas, a própria população aqui. Se a gente não tiver outra empresa que traga uma renda, você pode abrir quantas lojas você quiser, elas vão falir em seis meses a um ano. Se não tem quem compre, não tem como a gente fomentar pequenas empresas. Primeiro as grandes, para a gente ampliar essa cidade, para aí sim, fomentar as pequenas.” Ao contrário do que o candidato defende, de acordo com o Sebrae, as pequenas empresas são responsáveis pelo maior percentual de empregos formais (com carteira assinada) gerados no Brasil.

O terceiro a questionar foi Osvaldo Zaboroski (PT), que perguntou para Jorge Derbli (PSDB), o que aconteceu com a gestão atual e se é ele quem manda.  “O meu governo vai muito bem, obrigado. O comando está na minha mão, está no gabinete do prefeito, com os meus secretários, trabalhando cada um em seu setor para o desenvolvimento de Irati. Eu nunca fui comandado”, afirmou Derbli. Zaboroski replicou: “Não é isso que nós estamos vendo na cidade. Primeiro o senhor comenta que era um homem de palavra e que não sairia a uma reeleição, me surpreendeu muito essa frase sua. Porque um homem que realmente tem brio, caráter e coragem, assume o que fala. Então, acho que foi uma falha brutal da sua administração em vários pontos e nós temos o tempo todo desse debate e próximo para discutir essas ações”. Na tréplica, Derbli afirmou: “Brio e caráter, eu tenho e sempre vou ter. Caráter é uma coisa que a pessoa tem que ter sempre. E eu tenho. Quando eu falei que não ia à reeleição quando iniciou o mandato, imaginei que a meta que eu tinha, o Plano de Governo, eu conseguiria fazer em quatro anos, porém todos sabem das dificuldades que eu tive nos dois primeiros anos dessa gestão, terminando muitas obras paralisadas. No terceiro ano quando comecei a por em prática meu Plano de Governo, veio a COVID agora no quarto ano e deu uma parada por questões da pandemia. Mas eu quero iniciar e terminar o que eu comecei, por isso estou para a reeleição”.

Na sequência foi a vez de Derbli perguntar para Rafaela Maria Ferencz (PDT) sobre a intenção de trabalho dela nas estradas rurais. “Nós precisamos cuidar do nosso interior, precisamos estar atentos a todos os problemas que envolvem os agricultores, inclusive a escoação da safra. Com boas estradas, com boas pontes, com todos os fatores de envolvem a estrada rural e o escoamento da safra. [...] Nós vamos, além disso, valorizar os agricultores para que eles consigam fazer um bom trabalho de produção de outros produtos, além do que eles já produzem. Por exemplo do leite, produzir outras coisas para vender e assim dar mais valor para o seu produto”, afirmou Rafaela. Em sua réplica Derbli disse que pretende fazer pontes de concreto e bueiro similares a galerias na área rural. Em sua tréplica Rafaela disse que na localidade de Caratuva, existe o problema para o acesso ao um pesque-pague por falta de ponte. E segundo ela, também há um cadeirante residente no local que precisa ser carregado porque o carro não passa.

Na sequencia, Rafaela perguntou para Ico Ruva (PSL) sobre segurança pública. Ele respondeu:“Nós queremos fazer uma integração entre Polícia Rodoviária, Polícia Militar e também com a Polícia do Município para que se faça o trabalho de segurança muito mais forte no município do que realmente está acontecendo agora. Nós vemos, sentimos, um problema de bairros abandonados, praças, parques nossos sem qualquer visita de policiais e inclusive da Guarda Municipal. Tem que realmente organizar e refazer esse processo para que realmente a segurança aumente no nosso município”. Em sua réplica Rafaela afirmou: “Quero dizer que segurança pública é muito importante para mim. Porque eu, como mulher, nasci com o alvo nas costas, assim como todas as mulheres, porque nós, além dos crimes comuns de todos os cidadãos [...], nós ainda sofremos com crimes como estupro, feminicídio, assédios na rua, em ambientes de trabalho, em vários lugares. No Brasil, uma mulher é estuprada a cada 11 minutos e uma mulher é morta a cada 2 horas, nós precisamos investir em segurança pública do nosso município”. Em sua tréplica, Ico afirmou que “o botão do pânico não está funcionando como deveria”.

Na sequência, João Dremiski (PCdoB) perguntou para Josué: “Você falou em fazer a fusão da secretaria de meio ambiente com a agricultura, isso é permitido na Constituição?”. Josué respondeu que seu governo pretende reduzir de 19 para 9 o número de secretarias e que o mesmo secretário cuidaria das duas pastas. Falou também que seu secretário será Masaque Veres. “Ele vai ter que se responsabilizar e assumir essas duas secretarias e acredito que vai dar conta, com muita competência, com muita razão em relação aos dois temas”, disse Josué.  Na réplica, Dremiski foi incisivo: “Eu sou Conselheiro do Meio Ambiente e tenho mestrado em Direito Ambiental e acho uma irresponsabilidade você, como advogado, querer propor que a cidade faça fusão dessas duas secretarias. Meio ambiente não é só interior, não é só agricultura. 62% dos nossos impostos vêm da agricultura, nós precisamos de uma secretaria estruturada e com respeito. Meio ambiente tem na cidade, tem Plano Diretor. Nós temos áreas de ocupação, nós temos várias situações na cidade que precisam de uma secretaria estruturada e isso é uma irresponsabilidade, você propor qualquer ação que diminuía o direito da cidade e do povo também”. Josué replicou: “Não estamos diminuindo nada, simplesmente estamos agindo com responsabilidade. Pós-pandemia, todos nós sabemos as dificuldades que iremos enfrentar. Essa é a forma, essa é proposta que estamos nos colocando”.

Posteriormente Ruva perguntou a Zaboroski a opinião dele sobre o local onde é depositado o lixo orgânico de Irati. Zaboroski citou algumas das ações que fez em relação ao aterro sanitário enquanto foi secretário de Meio Ambiente, disse que a atual administração agiu com desleixo e que a área se transformou em um lixão. “Para o aterro funcionar bem, nós vamos ter que ter, e eu vou encaminhar como prefeito o meu primeiro projeto a Câmara Municipal que vai ser útil até no aterro sanitário, Irati será a 14° cidade a ter internet grátis, no aterro sanitário, no interior, nos bairros, no centro da cidade. Para a gente tentar jogar na internet, através de informações, que é isso que o povo está precisando, porque realmente, sem informações a gente não vai concertar essa cidade”, afirmou Zaboroski. Em sua réplica, Ruva afirmou que o espaço está “jogado às traças” e que “ainda tem a questão do super-faturamento do transbordo”.  Ao contrário do que disse o candidato, atualmente em Irati não existe transbordo do lixo – que é levar o lixo para outra área fora da cidade.

Depois, Marcos questionou Dremiski sobre geração de empregos. “Estamos estudando o que chamamos de ‘Parceria Público-Comunitária’, não é a Parceria Público-Privada, é uma oportunidade que a gente tem de envolver as estruturas da Prefeitura, juntamente com as organizações sociais do município. Cooperativas se não existem, serão formadas, para que a gente possa favorecer a nossa região e a nossa cidade”, disse Dremiski. E ele complementa: “Eu falo em região, porque a gente está pensando em consórcios, integrar com municípios que têm a mesma estrutura que Irati, como Rio Azul, Rebouças, Inácio Martins e os doze municípios da Amcespar”.  Ao contrário do que foi dito pelo candidato, são dez e não doze os municípios que integram a Amcespar.

 

Segundo bloco

No segundo bloco do debate, foram feitas perguntas pelos jornalistas e radialistas aos candidatos. Dremiski foi o primeiro a responder sobre programas que pretende desenvolver para apoiar a economia local. Ele destacou a proposta de incentivar a inovação tecnológica, através do apoio de uma incubadora de pequenas empresas (novas ou já existentes), também com a disponibilização de espaços, realização de eventos e um laboratório de alimentos para trabalhar com os agricultores. Além de a Prefeitura ter um escritório para a captação de parceiros. Ruva foi escolhido para a réplica e citou a Fomento Paraná, que oferece linhas de créditos com juros reduzidos, e disse que dará apoio às pequenas indústrias.

Emiliano respondeu sobre a diversificação de culturas na área rural. “Vai ser necessário um Plano Diretor para a Agricultura e Pecuária de Irati”`, disse o candidato. Ele acrescentou: “Nós vamos precisar de investimentos maciços do Governo do Estado para que possamos manter as estradas rurais em dia durante todo o ano”. Derbli, escolhido para a réplica destacou ações realizadas pelo sua gestão, como o barracão para a feira do produtor rural, o asfalto do Pinho, a revitalização da estrada de Gonçalves Junior, pontes e cascalhamentos.

Ruva foi questionado sobre projetos para o espaço conhecido como “Mata do Gomes”. Ele fugiu do tema em sua resposta falando do Bosque São Francisco que, segundo ele, “deverá passar por uma revitalização”. “É um parque maravilhoso, com nascente, no centro do nosso município, mas parece que hoje só se pensa no Parque da Vila São João. Ao invés de instalar lá uma indústria, se você vai na comunidade da Vila São João todo mundo critica. É um espaço que está sendo usado por maconheiros, por pessoas que só vão lá pichar”, afirmou Ruva. Rafaela foi escolhida para a réplica e falou, de forma genérica, sobre preservação ambiental e arborização, também sem comentar se tem ou não propostas para o espaço conhecido como “Mata do Gomes”. 

Josué foi questionado se pretende incentivar estudos aprofundados sobre as causas dos altos índices de incidência de câncer em Irati. Ele fugiu do tema e se ateve a questões familiares, pois seu pai faleceu de câncer. Disse apenas que irá melhorar o transporte dos pacientes para Curitiba, ajudar pacientes mais carentes e apoiar o hospital Erasto Gaertner.  Emiliano, escolhido para a réplica, falou sobre a importância da prevenção da doença. 

À Marcos, coube responder sobre desenvolvimento do turismo.  “O nosso turismo, como eu falei, a nossa cidade está muito pequena, nós temos que ter muita coisa aqui para tentar chamar a atenção de um público com turismo para Irati”, disse o candidato. Escolhido para a réplica, Josué citou que pretende fazer a Rota dos Interiores.

Pergunta sobre a retirada da carceragem da delegacia do centro da cidade foi feita a Rafaela. Ela respondeu: “Essa questão da carceragem da Polícia Civil, da Polícia Militar, é uma questão a se conversar com o Governo do Estado, já que compete a eles”. Escolhido para réplica, Zaboroski alfinetou: “Se os candidatos começarem a falar que vão buscar no Estado e que as obrigações são do Estado, por que nós precisamos de prefeito então aqui? Prefeito tem que resolver”.

Zaboroski foi questionado sobre mobilidade urbana. Ele falou sobre a possibilidade de uma ciclovia, de tirar o trem da área central e disse: “Com o passar dos meses, com a minha administração, com o pouco dinheiro que nós vamos ter, a mudança vai ser brutal, porque precisamos só de inteligência. Inteligência e trabalho, a mudança vai ser global”. João foi escolhido para a réplica e foi muito objetivo, enfatizando que já existe um Plano de Mobilidade Urbana, que é só aplicá-lo. Também disse que pretende fazer estudos para a redução de preços das passagens dos ônibus ou até ter transporte coletivo gratuito.

À Derbli, foi feita pergunta sobre educação, considerando os prejuízos na aprendizagem devido à pandemia.

“No próximo ano temos que ter muitas ações, contra-turno, muita criatividade para recuperar tudo que as nossas crianças não conseguiram aprender nesse ano”, disse. Ele ainda citou conquistas do setor, como os avanços no IDEB.

Escolhido para a réplica, Marcos disse que concorda com Derbli e que não há muito a ser feito.

 

Terceiro bloco

No terceiro bloco os candidatos voltaram a fazer perguntas entre si.  Marcos começou perguntando a Rafaela qual a proposta dela para ajudar a agricultura. “Nós queremos cuidar de todo o interior de Irati. No que diz respeito às estradas, no que diz respeito a melhorar a agricultura familiar. Criando propostas, criando projetos que vão aumentar a produção dos nossos agricultores”, afirmou Rafaela. Segundo a candidata, muitas vezes falta alimentos ao programa Ecotroca, por isso, o incentivo ao aumento da produção. Na réplica, Marcos disse que quer ajudar os agricultores, sem citar como. Na tréplica, Rafaela falou sobre cursos que seriam oferecidos às mulheres e aos jovens da área rural.

Zaboroski questionou Josué sobre o que ele pretende fazer de diferente no setor de saúde. “O grande diferencial do Josué, é compromisso, e ser humano. Ser humano é estar presente na saúde, o prefeito tem que estar. Temos que dar agilidade a todos os exames”, disse Josué. E ele acrescentou: “Vamos lutar para aqui termos mais consultas especializadas, dar agilidade”. Em sua réplica Zaboroski disse que fará o programa "Enfermeiro em sua casa”, para a coleta de dados sobre a saúde da população.

Dremiski perguntou para Emiliano qual era a experiência dele em agricultura, fora do período de campanha, e o que pretende fazer para o setor. “A nossa pauta principal será a construção do Plano Diretor para a Agricultura e Pecuária de Irati e eu vejo a importância de abrir o diálogo com as pessoas que realmente entendem do setor”, disse Emiliano. E ele acrescentou: “Faremos um forte trabalho vinculado com Governo do Estado para que a gente possa ter mais pavimentação e acesso dentro da comunidade rural”.  Em sua réplica João afirmou: “Nós queremos trabalhar com a juventude, com a habitação rural, com a educação do campo, a regularização fundiária, como foi há muito tempo atrás, e o que importa para os jovens permanecerem no campo”.

Rafaela questionou Derbli sobre a reprovação ds contas de 2018, sobre débitos com o CAPS (Caixa de Aposentadoria dos Servidores) e como ele pretende administrar com estas dívidas. Derbli afirmou que o problema com as contas de 2018 ocorreu porque algumas despesas não foram lançadas no fechamento da contabilidade de 2017. “Eu fui em escolas,  inauguração de escolas, que simplesmente a administração (como a Escola de Gonçalves Júnior) esqueceu de pagar o terreno”, disse. E ele acrescentou: “Quando você entrega o município, você não pode deixar três meses de água, luz e telefone atrasado, é só não colocar na contabilidade que as contas fecham”, disse Derbli referindo-se à gestão que o antecedeu.

Na réplica, Rafaela afirma que o prefeito “comprou duas caminhonetes assim que assumiu, gastando quase R$ 500 mil” e cita empréstimos para realização de asfaltos.  Na tréplica, Derbli disse: “As duas caminhonetes que foram compradas não custou R$ 500mil, custou R$ 120 mil cada uma. Uma está cedida para a Guarda Municipal, onde temos a implantação da Patrulha Rural, para ajudar os agricultores, pois tinha muito assalto no interior. A segunda caminhonete é para uso do gabinete e caminhonete sim, eu acho que é um veículo que tem um custo mais barato, uma durabilidade maior do que os carros os quais eu encontrei no município de Irati.”  Sobre os empréstimos, ele fala que estão dentro da capacidade de endividamento do município.

Derbli questiona Marcos, se há no Plano de Governo do candidato projetos para minimizar enchentes. Marcos responde que dará manutenção ao Rio das Antas e controlará os loteamentos. Derbli cita ações que foram realizadas e novas propostas para minimizar o problema.

Josué perguntou para Ruva o que ele pretende fazer para melhorar a segurança das mulheres. Ruva cita o trabalho realizado através dos CRAS e CREAS. Em sua réplica, Josué fala: “Vamos lutar para termos aqui na cidade de Irati, a Delegacia da Mulher, se caso não conseguirmos, vamos lutar para que pelo menos naquele momento do boletim de ocorrência, as mulheres serem atendidas por mulheres”.

Ruva questiona Dremiski sobre propostas para a educação. Dremiski afirma: “Nós vamos ter uma proposta de analfabetismo zero, inclusive o analfabetismo funcional”. Também cita que pretende equipar as escolas da cidade e do campo com internet e valorizar os professores.

Emiliano pergunta para Zaboroski qual a proposta para atender os animais de rua. Zaboroski fala que os donos dos animais têm a responsabilidade de cuidar deles e elogia o trabalho de entidade que atende animais de rua,  que o candidato acredita que poderá ser apoiada. Em sua réplica, Emiliano fala: “Nós vamos criar a Rede de Defesa de Proteção Animal e vai fazer parte do Meio Ambiente [Secretaria], criaremos um departamento de Defesa e Proteção Animal”. Zaboroski fala que devido a dificuldades econômicas, muitas pessoas deixam cavalos e cachorros soltos. “Nós devemos cuidar dessa condição das famílias, para quem sabe eles terem uma alimentação mais descende nos bairros e não precisar deixar os cachorros soltos”, disse.

 

YouTube

Ainda é possível ver o debate, que foi transmitido ao vivo pela Super Najuá 92,5, no YouTube. É só digitar na busca, debate Irati 2020 rádio Najuá e jornal Hoje Centro Sul

 

Texto: Letícia Torres, Ciro Ivatiuk e Daniela Mello

Fotos: Ciro Ivatiuk/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos

COMENTÁRIOS