facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1204 - Já nas bancas!
21/02/2020

Mais sete ligações de falso sequestro são registradas pela PM de Irati

Ligações foram registradas na noite de segunda-feira (17). Na sexta-feira (14), outras quatro ligações foram registradas.

Mais sete ligações de falso sequestro são registradas pela PM de Irati

Somente na noite de segunda-feira (17), a 8ª Companhia Independente de Policia Militar (8ª CIPM) de Irati registrou sete ligações de falsos sequestros. Nenhuma das vítimas teve prejuízo.

O número alto já foi registrado na sexta-feira (14), quando a PM de Irati registrou quatro denúncias de falso sequestro. Em uma delas, um homem estava prestes a realizar o depósito, porém recebeu ajuda.

“Na sexta-feira, um senhor foi realizar o depósito, mas a atendente da lotérica percebeu que poderia ser um golpe e auxiliou ele ali a procurar pela filha. Ele não chegou a ter prejuízo nesse caso. Existem várias pessoas que acabam se desesperando de verdade e tentando salvar esse familiar, essas pessoas vão e realizam o depósito da quantia que a pessoa solicita”, explica a aspirante a oficial da Polícia Militar de Irati, Thaisa Nabozny.

Orientações

A primeira orientação para quem recebe essas ligações é para que mantenha a calma e não passe nenhuma informação para o falso sequestrador. “A pessoa que está recebendo a ligação precisa manter a calma, porque é muito comum as informações que essa pessoa passa [o falso sequestrador] coincidirem com o histórico familiar, como um filho que não está em casa, que teria ido para a escola e foi sequestrado no caminho ou a pessoa que saiu de casa e naquele momento isso acontece. O que tem dado muito certo para a pessoa não cair nesse golpe é não falar nenhum nome, porque é o que eles buscam. Ele fala: ‘Estou com seu filho’. E a pessoa que está recebendo o trote se desespera e fala o nome do filho. A pessoa que está passando o trote busca informações para passar confiabilidade para a pessoa fazer o depósito”, disse.

A PM ainda explica algumas orientações para identificar o golpe.  “Se possível tentar que uma outra pessoa entre em contato com esse familiar e nesse mesmo momento também podem ligar para nós [Polícia Militar] para que passemos informações para auxiliar. Passar o nome de uma pessoa que você não conhece para o sequestrador, você pode acabar percebendo que é uma mentira também”, conta.

Para facilitar o trabalho dos policiais, Thaisa pede que, se possível, a vítima anote as informações que o falso sequestrador passar. “Orientamos quando entram em contato conosco que a pessoa pegue o número da conta e o nome da pessoa que o sequestrador vai passar. Para passarmos para a Polícia Civil para que eles consigam fazer essa investigação e chegar até essa pessoa. A pessoa que está passando os trotes, se for localizada, será indiciada por um crime de estelionato ou algo nesse sentido”, comenta.

Texto: Da Redação/ Hoje Centro Sul

Foto: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Classificados