facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1197 - Já nas bancas!
05/02/2020

Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) é lançado em Irati

Lançamento contou com entrega de ambulância, apresentação dos profissionais de saúde que atuarão no SAMU e anúncio de que a equipe passará por treinamento antes de começar a atender

Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) é lançado em Irati

Na manhã de quinta-feira (30) foi realizado o lançamento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) em Irati. O evento aconteceu na sede do 3º Subgrupamento de Bombeiros de Irati, com a presença de diversas autoridades regionais, como o prefeito de Irati, Jorge Derbli, e o prefeito de Inácio Martins e presidente da Amcespar, Júnior Benato.

No lançamento, houve a entrega de uma ambulância Unidade de Suporte Avançado (USA), conhecida como UTI Móvel, e uma ambulância Unidade de Suporte Básico (USB) para Irati. Outras quatro ambulâncias básicas também estarão operando nos municípios de Imbituva, Inácio Martins, Rebouças e Rio Azul.

Apesar do lançamento, o serviço do SAMU 192 ainda não está funcionando, já que é preciso ainda realizar um treinamento da equipe e fazer outros ajustes junto à rede do SAMU, opera através de um consórcio.

“Essa equipe tem que ser treinada. É preciso acertar com os outros municípios os pontos de atenção de cada município, as referências, porque tudo tem que ser passado para a Central de Regulação em Ponta Grossa. No caso de uma emergência, a Central de Regulação em Ponta Grossa tem que saber para onde encaminhar os pacientes. Não só de Irati, mas dos outros municípios daqui da região”, explica o diretor geral do Consórcio Intermunicipal do SAMU Campos Gerais (CIM/SAMU), Jaime Menegoto Nogueira.

Irati

O município de Irati faz parte de um consórcio que disponibilizará ambulância do SAMU na área dos Campos Gerais. Para ter o serviço, o município investirá R$ 2,50 por habitante mensalmente, totalizando R$ 150 mil.

Inicialmente, Irati custeará o valor total para o funcionamento do serviço, mas depois da habilitação e qualificação do serviço, estimado em seis meses, o município começará a receber ajuda de outros órgãos. “Depois que tiver habilitado e qualificado, teremos 75% de custeio. 50% virá do Ministério da Saúde e 25% virá do estado. Nós, os municípios, estaríamos entrando com 25%”, explica a secretária de Saúde, Jussara Aparecida Kublinski Hassen.

Segundo o prefeito Jorge Derbli, a gestão deverá realocar alguns investimentos para ter o SAMU. “Houve muita discussão, muita polêmica sobre custo, investimento. Mas eu faço uma pergunta de quanto custa uma vida e quantas vidas iremos salvar com esse atendimento? Isso agregará muito mais serviços e benefícios para a população na questão da saúde. Estamos fazendo uma gestão para que o custo seja dissolvido em outros custos da prefeitura”, disse.

As ambulâncias ficarão no prédio do Corpo de Bombeiros de Irati até o município ter uma sede própria para o SAMU. A intenção é que, após a autorização do Ministério da Saúde, a sede seja transferida para o prédio da UPA da Vila São João.

Apesar de ocupar o mesmo espaço físico, as operações do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (SIATE), do Corpo de Bombeiros de Irati, e do SAMU serão feitas por equipes diferentes.

A comandante do Corpo de Bombeiros de Irati, tenente Carla Spak, explica que o serviço do SAMU será separado do SIATE, mas ajudará a atender ocorrências em que há limitação do SIATE, como na UTI Móvel. “Quanto mais ambulâncias e mais serviços você tiver dentro de uma cidade para prestar serviço à população é melhor. Isso é uma soma. Viemos também com a questão do médico. Porque em algumas ocorrências eles têm procedimentos invasivos, então esses procedimentos, quando forem necessários, farão a diferença na vida dessa pessoa que está sendo atendida. Então, é sempre uma somatória”, disse.

CIM/SAMU

O Consórcio Intermunicipal do SAMU Campos Gerais (CIM/SAMU) é formado por 26 municípios que se uniram para dividir custos e implantar as ambulâncias do SAMU na região.

As ambulâncias do consórcio funcionarão em rede. Isto é, a ambulância de UTI Móvel que fica em Irati, por exemplo, poderá atender outros municípios do consórcio, caso haja necessidade. “O SAMU é uma rede onde existe Governo do Estado, municípios, Central de Regulação de Ponta Grossa e o Consórcio. Então todos esses entes tem que trabalhar em conjunto”, explica o diretor geral do CIM/SAMU, Jaime Menegoto Nogueira.

Irati, Castro e Ponta Grossa deverão ter UTI Móvel. Além da estrutura, a diferença para as outras ambulâncias está nas equipes. “A UTI Móvel é composta por médico, enfermeiro e motorista socorrista. As outras ambulâncias têm motorista socorrista e técnico de enfermagem. Então o atendimento dela [UTI Móvel] é para casos mais graves, que exigem um médico na hora da abordagem”, conta o diretor.

As equipes que atuam no SAMU atualmente são contratadas pelo Consórcio. “Num primeiro momento fizemos um PSS para a contratação dos profissionais. O PSS é um processo seletivo simplificado. Ele é por tempo limitado, mas a contratação se dará nesse momento através de consórcio, e futuramente, ou fizemos um processo seletivo, um concurso, ou contratar uma empresa que gerenciará todo o serviço”, disse o diretor.

Chamadas irão para Ponta Grossa

Ao ligar para o número 192, a chamada será diretamente para uma Central de Regulação que fica em Ponta Grossa, que por sua vez, acionará uma ambulância que estará próxima da ocorrência, como alguma que estará em Irati.

Inicialmente, as chamadas pelo 192 poderão ser feitas apenas pelo celular.

Quando chamar

SAMU (192)

Dores no peito de aparecimento súbito, crises convulsivas (ataques), intoxicação ou envenenamento, queimaduras graves, trabalhos de parto com situação de risco, perda de consciência (desmaio), queda acidental, sangramento (hemorragias) e crise hipertensiva.

Bombeiros (193)

Incêndio, acidentes com pessoas presas nas ferragens, tentativas de suicídio, choques elétricos, acidentes de trânsito com atropelamento, salvamento aquático, quedas de alturas, desabamentos, deslizamento de terra, vazamento de gás, pessoas perdidas em matas ou montanhas e acidentes com produtos perigosos.

Não haverá possibilidade de transferência das ligações.

Texto/Foto: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos

Classificados