facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1204 - Já nas bancas!
27/12/2019

Taxa de ocupação dos imóveis no litoral do Paraná já está em 80%

Taxa de ocupação dos imóveis no litoral do Paraná já está em 80%

 

Opção de férias de muitos que vivem no interior, o litoral já está com a grande maioria dos imóveis locados. Mas para quem ainda procura um local para curtir o verão, o delegado do Creci-PR dá dicas para evitar golpes 

O litoral é um dos principais destinos escolhidos pelos paranaenses para aproveitar as férias de verão, nos meses de dezembro e janeiro. Isso pode ser comprovado ao verificarmos a taxa de ocupação dos imóveis do litoral, que, neste ano, está ainda maior.

Na avaliação do delegado adjunto do litoral do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Paraná (Creci-PR), Welligton Fernandes Ferreira, deverá ser uma das melhores temporadas dos últimos anos.

“Hoje estamos com mais de 80% da nossa carteira todas locadas. Estamos só com 20% [de imóveis] disponíveis no mercado, mas a procura ainda está intensa. Acredito que será uma das melhores temporadas de verão. A procura este ano intensificou demais”, comenta o delegado da Creci-PR.

A maioria das pessoas reservaram os imóveis já em novembro. “Com a era tecnológica, com as mídias de comunicação, as pessoas reservam bem antecipado. Elas conseguem ter hoje uma informação mais precisa dos imóveis. Ela pode entrar, ver foto, pode ver vídeo, ela pode conhecer os ambientes, pode ver a distância da praia, pode entrar no Google Maps, pode olhar o prédio por fora, pode caminhar do prédio até a praia. Então, isso facilitou muito a reserva antecipada”, disse.

O pico de ocupação dos imóveis será entre dezembro e janeiro, aquecendo novamente somente no período de cinco dias do Carnaval. “A ocupação se inicia no Natal e vai até o final do mês de janeiro, porque é o período de férias escolares. A partir do dia 14 de fevereiro, quando voltam as aulas, cai um pouco a demanda. Ainda é intensa, mas ela reduz um pouco”, conta.

Golpes

Apesar da facilidade da locação antecipada no litoral utilizando-se de sites na internet ou redes sociais, um dos grandes problemas é o risco dos golpes. Segundo Welligton, a dica é prestar atenção em alguns itens. “As pessoas colocam os anúncios na internet e até com preços muito atrativos, abaixo do mercado. Isso já é um grande indício que pode ter um golpe. Por que como vou disponibilizar um imóvel que custa R$ 800 em plena alta temporada, no pico de viradas do ano, por R$ 300, R$ 400? O valor está muito desigual com o valor de mercado. Você tem que se atentar a isso”, disse.

Quem loca de uma pessoa particular, precisa fazer uma pesquisa maior. “Se você loca de uma pessoa particular você tem que saber a procedência, se a pessoa é dona, você tem que perguntar para os vizinhos”, disse.

Mas, segundo ele, para quem quer garantias maiores, a opção de locar através de um corretor ou imobiliária é mais segura. “O corretor credenciado junto ao Creci, que é um órgão que regulamenta a profissão e regulamenta a fiscalização. Então, por exemplo, para saber se o corretor é idôneo você pode entrar no site do Crea e digitar o nome, o número do Creci, ver se ele está ativo, ver a procedência dele, ver quanto tempo atua no mercado”, conta.

Se houver problemas, a pessoa pode denunciar nos casos de corretor ou imobiliária. “O Creci fiscaliza isso. Você loca o imóvel de uma imobiliária, você tem respaldo para isso: você pode fazer uma denúncia junto ao Creci”, explica.

 

Texto: Karin Franco

Foto: Denis Ferreira Netto/IAP

 

Classificados