facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1190 - Já nas bancas!
04/12/2019

Assembleia Legislativa do Paraná foi invadida por manifestantes

Assembleia Legislativa do Paraná foi invadida por manifestantes

Manifestantes invadiram a Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) na tarde desta terça-feira (03). Eles protestavam em frente à ALEP contra a proposta do Poder Executivo que trata da reforma da previdência dos servidores públicos estaduais e não aceitaram a limitação de que apenas 250 pessoas poderiam ter acesso às galerias da Assembleia.

De acordo com a Alep, nenhum dos projetos de lei sobre a reforma da previdência (PLs 855/2019 e 856/2019, nos mesmos moldes de reforma aprovada em âmbito nacional) estava na pauta de votações. Houve muito tumulto provocado pela derrubada das grades, quebra do bloqueio policial e invasão das galerias e as rampas de acesso ao Plenário.

Segundo informações oficiais da ALEP, os manifestantes arrombaram as portas da primeira galeria, que estava fechada ao público por motivos de segurança. Neste momento, outro grupo tentou invadir o comitê de imprensa e para isso, arrombou portas e grades do espaço dedicado aos jornalistas.  Houve ação dos policiais militares, que contiveram os invasores e impediram o acesso ao Plenário.

Com isso, a sessão ordinária que teve início por volta das 15h, teve de ser encerrada vinte minutos depois.   Durante os poucos minutos da sessão, apenas o deputado Professor Lemos (PT), que conseguiu fazer um rápido discurso.

A Comissão Executiva da Casa ainda trabalha para levantar todo o prejuízo causado pela a invasão dos manifestantes às dependências da Assembleia Legislativa.

Desocupação

O presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano, disse que a Procuradoria da Casa já entrou com uma medida jurídica para que o plenário seja desocupado pelos invasores. “Vamos avaliar o momento oportuno, não tenho definição ainda se continuaremos o processo no dia de amanhã (quarta-feira). Entrei com medida jurídica para que a Justiça conceda liminar e fazer com que os invasores saiam do plenário”, declarou. “Temos ainda muitas matérias importantes a serem votadas, inclusive o orçamento do Estado, e que precisam ser votadas até o dia 17. Por isso, precisamos continuar com as sessões”, completou.

Da Redação/Hoje Centro Sul , com informações ALEP

Fotos: Assessoria ALEP

 

 

 

Galeria de Fotos