facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1177 - Já nas bancas!
25/10/2019

Editorial - Prevenção urgente

Editorial - Prevenção urgente

De tempos em tempos vemos cada vez mais campanhas chamando a atenção para a prevenção em saúde. A estratégia é nomear um mês com uma cor que o represente e chame a atenção para um problema.

O Outubro Rosa foi uma das primeiras estratégias deste tipo a aparecer em grande escala no país. Ao nomear o mês com uma cor, vários monumentos são coloridos pelo rosa e enfeites relembram a campanha.

Tudo isso para alertar sobre a prevenção do câncer de mama e câncer do colo de útero. As duas doenças podem ter grandes chances de cura quando descobertas logo no seu início. Quando isso acontece, o tratamento é mais fácil. Mas para que isso se realize são necessários dois exames: a mamografia e o preventivo.

E a campanha tem dado certo ano a ano. Além dos municípios fazerem programações diferentes, mais pessoas vão em busca de exames. Neste ano, por exemplo, em Irati, o número de exames de preventivo quase dobrou neste mês.

O sucesso do Outubro Rosa fez com que o mês seguinte também tivesse uma cor. O Novembro Azul foi criado focado na saúde dos homens. O principal objetivo é que os homens percam o preconceito de realizarem o exame físico para verificar o câncer de próstata, um dos tipos de cânceres que mais atinge os homens.

No entanto, a campanha também procura fazer com que o homem tenha mais o hábito de procurar ajuda médica, algo mais difícil do que a mulher, que, normalmente, já possui esse hábito em seu cotidiano.

As campanhas têm sido positivas para os órgãos de saúde pública porque ajudam a cumprir um dos principais objetivos que é a prevenção. Por meio dela, muitas doenças são descobertas a tempo, tem curas mais fáceis e podem dar uma qualidade de vida melhor ao paciente.