facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1163 - Já nas bancas!
26/07/2019

Planifica SUS pretende aprimorar atendimentos nos postos de saúde da 4ª Regional

Planifica SUS pretende aprimorar atendimentos nos postos de saúde da 4ª Regional

Os postos de saúde dos municípios de abrangência da 4ª Regional de Saúde participarão do projeto-piloto Planifica SUS. O lançamento do projeto aconteceu na manhã de segunda-feira (22), em Teixeira Soares, com a presença do secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Gebrim Preto (Beto Preto).

Cada município selecionou Unidades Básicas de Saúde para participar do projeto, que contará com capacitação, treinamento e acompanhamento de profissionais de saúde ao longo de 18 meses.  A região é a primeira a participar do projeto. O objetivo é conseguir organizar uma Atenção Ambulatorial Especializada em rede com a Atenção Primária, onde os postos de saúde estão incluídos.

O secretário Beto Preto destacou que o projeto faz parte da proposta de regionalizar a saúde no estado, levando os atendimentos para mais próximo dos municípios. “Queremos trazer a possibilidade de melhorar a Atenção Primária em Saúde com a Atenção Especializada em Saúde. Nós temos uma proposta de regionalização do Sistema Único de Saúde, e nós só podemos regionalizar se levarmos para as regiões do Paraná a possibilidade da execução de alguns serviços e da consolidação desses serviços”, disse.

O diretor da 4ª Regional de Saúde, Walter Trevisan, explica que na região será realizada a rede prioritária de atenção à saúde do idoso. “Nós estamos com a população envelhecendo, a cada ano que passa essa pirâmide está mudando”, destaca.

Ao todo, serão 1.195 profissionais de saúde que participarão do projeto, que os ajudará a formar essa rede de profissionais treinados para a saúde do público idoso. “Estamos, com isso, nos antecipando a problemas de saúde”, conta o diretor.

Para o presidente da Associação dos Municípios do Centro Sul do Paraná (Amcespar), prefeito de Inácio Martins Júnior Benato, o projeto desenvolverá a saúde na região e poderá servir de modelo para outras regiões do estado. “Isso é a qualificação, o planejamento com qualificação, por isso que se chama Planifica SUS. Vemos com muitos bons olhos esse projeto-piloto a ser desenvolvido na 4ª Regional de Saúde”, disse.

O Planifica SUS é realizado pela Secretaria Estadual de Saúde, em parceira com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e Hospital Albert Einstein, de São Paulo.

Projeto

A Atenção Primária engloba todos os primeiros cuidados com os pacientes, incluindo a prevenção de doenças, visitas às casas por agentes de saúde e as consultas disponibilizadas pelos postos de saúde.

A proposta do Planifica SUS é que as equipes responsáveis por esse atendimento possam passar por um treinamento de forma a melhorar a prestação de serviços. Técnicos da Secretaria de Estado do Paraná e consultores indicados pelo hospital Albert Einstein virão regularmente para a região para realizar o treinamento. “Nós queremos cuidar das pessoas, da melhor maneira possível, então é reunindo as nossas equipes, promovendo essa educação permanente, promovendo os incentivos necessários para que o trabalho de fato aconteça da melhor maneira possível, ressaltando e valorizando as boas práticas já existentes aqui na região”, explica Maria Goretti David Lopes, diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde e responsável pelo grupo condutor do Planifica SUS no estado.

Com o treinamento dos profissionais, o objetivo é se amplie o olhar em relação ao paciente, para que este tenha o atendimento necessário, sem que alguma doença evolua e precise de algo mais, como um atendimento de Média Complexidade. “Quando não for possível, o paciente precisar mesmo de um atendimento de maior complexidade, ela vai para um laboratório ou hospital, se necessário. Mas nós sabemos que a maior parte dos problemas são resolvidos no âmbito da Atenção Primária”, disse.

Em Irati, uma das unidades que terá o treinamento será a unidade de Engenheiro Gutierrez. Para a secretária de Saúde de Irati, Magali Camargo, o projeto ajudará a aumentar a resolutividade. “80% dos nossos problemas de saúde podem e devem ser resolvidos na Atenção Básica. Nós precisamos entender que a saúde deve ser resolvida dentro da unidade”, disse.

Prevenção

Um dos desafios é fazer com que os pacientes não esperem adoecer para procurar o posto de saúde, mas que eles atuem na prevenção. “Nós temos que aumentar o vínculo do cidadão com a sua Unidade de Saúde. É dele. Ele tem que se apropriar dessa unidade, estar junto dessa equipe e buscar essa equipe quantas vezes quanto for necessário para resolver esse problema”, destaca Maria Goretti.

O coordenador de projetos pela Sociedade Israelita Albert Einstein, Márcio Paresque, explica que, dentro da metodologia do projeto, a participação da população é fundamental. “A ideia é sempre envolver a população, trazer a população para mais perto do serviço, para que ela também seja responsável pelo seu cuidado. Esse é um ponto importante que a metodologia traz”, disse.

Ações

Uma das ações propostas pelo projeto é realizar a gestão com base populacional. Isto é, oferecer serviços de acordo com o que aquela população necessita. Cada posto de saúde, por exemplo, tem uma área de abrangência. No projeto, a intenção é mapear as necessidades.

“Nós vamos fazer um diagnóstico da necessidade da saúde da população. Cada um dentro do seu território. Um município que tenha 10 equipes de saúde da família. O território dessas equipes é diferente. Não adianta você ter as 10 equipes trabalhando no mesmo formato. Cada equipe tem que trabalhar no formato de acordo com a necessidade daquela população para a qual ela presta serviço”, explica Márcio.

Outra intenção é aprimorar o atendimento multiprofissional. “Temos uma cultura muito forte da prática que é médico-centrada, então temos uma leitura inadequada de que só o médico vai resolver nosso problema de saúde, e às vezes as pessoas não percebem que aquele agente comunitário de saúde quando realiza a visita mês a mês ali, ele já está ajudando e já está contribuindo para uma melhor saúde da população”, conta.

Presenças

O lançamento contou com as presenças de diversas autoridades regionais. Além do secretário estadual de Saúde, Beto Pretto, e o diretor da 4ª Regional de Saúde, Walter Trevisan, também estiveram presentes o prefeito de Inácio Martins e presidente da Amcespar, Júnior Benato, o prefeito de Teixeira Soares, Lula Thomaz, a prefeita de Fernandes Pinheiro, Cleonice Schuck, o prefeito de Rio Azul, Rodrigo Solda e o prefeito de Mallet, Moacir Alfredo Szinvelski.

Média Complexidade

Um dos desafios da saúde pública no país é oferecer a todos os pacientes os serviços dentro da chamada Média Complexidade. Neste nível, estão incluídas, por exemplo, serviços com médicos especializados, apoio diagnóstico e terapêutico e atendimento de urgência e emergência.

Teoricamente, os municípios não seriam responsáveis por custear esses serviços. No entanto, como há falta de profissionais e vagas na saúde pública, os municípios acabam tendo que arcar com alguns custos. A presidente do Conselho Regional dos Secretários Municipais de Saúde (Cresems), Lorena Aparecida Soares, explica que ao ter que arcar com o custo para encontrar uma vaga e fazer o transporte desse paciente, o município não consegue investir na Atenção Primária, que é sua obrigação.

O caminho, defende ela, é fortificar as estruturas de saúde na região. “Nós temos hoje os municípios mantendo essas especialidades através do Consórcio Intermunicipal (CIS/Amcespar), muito com o recurso dos municípios. Isso acaba tirando de nós os recursos que poderíamos investir mais na Atenção Básica, por isso que precisamos desse fortalecimento. Dessa estrutura, precisamos que os recursos para o Consórcio sejam reforçados para que o município possa trabalhar com mais folga na Atenção Básica”, disse.

Segundo o secretário Beto Preto, a proposta de regionalização da saúde vai ao encontro dessa necessidade dos municípios. “É a presença de exame de tomografia e ressonância garantidas sem que tenha se descolocar 200 km,300 km. Ficando próximo da sua região. Disso que tratamos. Por isso, a necessidade de dialogar”, disse.

No lançamento, os prefeitos também apresentaram a demanda para a construção de uma nova sede do Consórcio Intermunicipal CIS/Amcespar. A intenção é que o local possa suprir a necessidade dos municípios. Já há um terreno em Irati e o secretário se comprometeu com o atendimento da demanda, se o terreno apresentar as condições necessárias.

Hospital de Teixeira Soares

Durante o lançamento, o prefeito de Teixeira Soares, Lula Thomaz, mostrou ao secretário Beto Preto, o projeto de ampliação e reforma do hospital de Teixeira Soares.

Segundo o prefeito, a intenção é tornar o local referência em atendimentos prolongados. “Esse projeto é um conjunto de ações que, logicamente, ampliando a estrutura física, o corpo clínico vai crescer também, consequentemente”, disse.

No lançamento, o secretário ainda comentou que dentro do projeto de regionalização, a gestão também pediu auxílio aos deputados federais e senadores para ajudarem, por meio de emendas parlamentares, no custeio e investimento de infraestrutura de hospitais.

De acordo com o secretário, os hospitais filantrópicos são uma grande peça de ajuda ao Estado no oferecimento de serviços. “Eles têm sido abraçados por este mandato, não só por meio do repasse dos contratos, mas também dos incentivos financeiros de outros mandatos. Nós vamos melhorar esta modalidade de repasses. Os hospitais filantrópicos são nossos parceiros preferenciais”, disse.

Texto/Fotos: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos