facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1156 - Já nas bancas!
18/07/2019

Bom atendimento é requisito básico nos negócios, dizem especialistas

Para especialistas, negócios precisam encarar o bom atendimento como pré-requisito e não como um diferencial nas empresas.

Bom atendimento é requisito básico nos negócios, dizem especialistas

Na hora de irmos às compras as primeiras coisas em que pensamos são: preço baixo e qualidade. Fatores preponderantes para empresas que buscam oferecer os melhores produtos a um preço acessível, que chame o cliente. Mas é nesse momento que outro fator acaba sendo decisivo: o bom atendimento.

E isso foi um diferencial para Ana Maria dos Santos, ao realizar suas compras em um supermercado de Irati. “Naquele dia que fui ao mercado com minha filha fazer umas compras para o café da tarde o mercado estava totalmente cheio. Ficamos na fila. Logo fomos atendidas pelo garoto. O menino deu boa tarde, foi super gentil e muito educado. Não tem como explicar o modo como fomos atendidas. O modo que ele transmitiu para mim foi sensacional”, relatou.

O atendimento foi feito pelo operador de caixa Iago Batista, que trabalha no Ivasko da Vicente Machado. Elogiado, Iago contou que essa não foi a primeira vez que recebeu os parabéns pelo bom atendimento. “Quando eu trabalhava no Pronto Atendimento recebia muitos elogios do povo. Eu via os elogios da forma que tratava o cliente, sempre com carinho. É muito bom ver que a gente está fazendo um trabalho bem feito” disse.  

Esse vínculo criado entre comerciantes e clientes, segundo especialistas, é fundamental para quem deseja se manter no mercado de trabalho nos dias de hoje. “O bom atendimento é uma forma de, no mínimo, a empresa se manter no mercado. Empresa que não faz o básico, que é atender bem os seus clientes, vai desaparecer do mercado”, comentou o empresário e coach de negócios René Ribas.

Ouvir o cliente e entender suas necessidades é o início para que seja construído um bom relacionamento. “O principal ponto é a criação de um relacionamento com o cliente. Fazê-lo sentir-se importante. Essa importância se dá sob vários aspectos, mas principalmente em fazer o cliente sentir-se ouvido e o quanto a empresa valoriza e põe em prática o que foi ouvido” comentou a master coach Lara Dias.

O especialista em empreendedorismo, gestão de negócios e recursos humanos, Lisandro Zanotto, compartilha da mesma ideia. “Se eu estivesse no lugar dele, como gostaria de ser atendido? Fazer esta pergunta traz clareza a respeito das ações necessárias para resolver um problema ou satisfazer uma necessidade”, explica.

Diferencial

Porém, bom atendimento é um pré-requisito e não um diferencial. Para René, as empresas precisam trazer facilidades aos clientes. “É possível que a empresa tenha um ótimo atendimento, assim como seus concorrentes. Só que ela tem uma facilidade na hora de receber o cliente na loja, por ter um estacionamento melhor, um acesso diferenciado para pessoas portadoras de necessidades especiais, tem um atendente extremamente simpático que vai além dos padrões. Aí existe um diferencial”, comenta.

Para Lissandro, um atendimento atencioso é fundamental para ganhar a fidelidade do cliente. “Se a sua empresa é capaz de satisfazer a necessidade dos clientes através de um bom atendimento, é bem provável que exista a recompra, ou seja, o cliente volta a fazer negócio com a sua empresa e isto é fundamental para sua receita e seu fluxo de caixa. Pesquisas dão conta que 72% das pessoas preferem um bom atendimento a preço baixo”, disse.

Transparência

Outro ponto importante destacado pelos especialistas é a sinceridade com o cliente, pois nem sempre a empresa conseguirá abranger todas as necessidades. “É importante entender a necessidade real do cliente e ter empatia para identificar. Se a solução não estiver dentro do portfólio da empresa, é importante ter clareza e transparência com o cliente, pois isso cria um conceito de parceria, de confiança. É fundamental ter em mente que é mais importante resolver o problema do cliente do que fazer a venda”, explica René Ribas.

O especialista Lissandro Zanotto também comenta o tema. “É necessário entender as reais necessidades ou problemas do cliente. Hoje o cliente tem muito mais informação do que há tempos. Trazer conforto ao cliente é antes de tudo, saber se o seu produto irá resolver os problemas ou irá atender as necessidades do cliente”, disse.

Limites da simpatia

Para finalizar, é preciso estar atento sobre até onde vai o carisma para não se tornar falta de respeito. “O profissional precisa ver esse momento como um relacionamento com o cliente, e como todo relacionamento precisa de espaço, respeito e limites”, comenta Lara Dias.

René destaca que é preciso estar atento desde o primeiro contato. “É importante considerar o contexto geral para não começar uma relação já de forma invasiva, inconveniente ou demasiadamente insistente”, explica. 

Em casos de convite de clientes, o especialista recomenda. “O profissional precisa ficar atento ‘aos convites’ para ser salvador de algumas situações. Entender o que está sendo dialogado é fundamental para não cair em armadilhas. Na dúvida, foque no que está sendo negociado ou conversado profissionalmente”, finaliza Lissandro Zanotto.

Texto: Da Redação/Hoje Centro Sul

Foto: Pixabay