facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1134 - Já nas bancas!
26/04/2019

Irati pretende implantar georreferenciamento para imóveis urbanos

Serviço deverá usar imagens de satélite e drones para atualizar informações topográficas dos imóveis. Objetivo é ter base cartográfica atualizada e também justiça fiscal em tributações

Irati pretende implantar georreferenciamento para imóveis urbanos

Irati quer implantar um sistema de georreferenciamentono município para os imóveis da área urbana. O sistema utilizará de informações de satélite e drones para obter atualizações de informações topográficas dos imóveis.

Segundo o secretário municipal de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo Adriano Batista, o sistema atualizará a base cartográfica da cidade, ajudando na avaliação e execução de projetos. “Vai contribuir para uma imagem atualizada para os serviços da Secretaria de Obras, para o pessoal de georreferenciamento, para os nossos projetos que serão referenciados através de uma topografia de relevo”, conta.

O sistema também deverá atualizar as informações para o Departamento de Tributação, que poderá ter informações mais precisas sobre os imóveis pelo uso de imagens de satélite. “Às vezes nós encontramos uma divergência, com construções irregulares, até situação onde tem construções em áreas de Área de Preservação Permanente, coisa que é proibido perante o Plano Diretor do município”, comentou.

O secretário ainda afirma que o sistema poderá ajudar na fiscalização dos imóveis. “É quase humanamente impossível realizarmos toda a fiscalização com o pessoal que a prefeitura tem de servidores públicos. Isso vem para auxiliar justamente, através de sistema computacional, registrar e fazer o comparativo daquela área de pavimentos, através de drones, que acabam auxiliando e fazendo a conferência. Mas, principalmente, fazer a justiça fiscal como falei, que é você comparar o que era o alvará que foi concebido para realizar a construção e fazer um comparativo se realmente aquela área corresponde a uma situação dada, passada pela prefeitura, e se essa residência não sofreu algumas alterações de ampliação”, explica.

Processo

De acordo com o secretário, a atual gestão ainda está verificando os preços dos serviços para conseguir saber de que forma irá realizar o processo de contratação de uma empresa. “A prefeitura ainda está fazendo uma triagem de orçamento para depois realmente fazermos uma contratação em si, seja através de um convênio ou mesmo através de uma licitação”, disse. A intenção é que o processo possa ser aberto em até seis meses.

Atualmente

A base cartográfica utilizada pela prefeitura é atualmente obtida através de dados da Copel. “Não que a Copel não esteja atualizada, mas essa defasagem da própria prefeitura não ter um material próprio, isso nos atrapalha como gestão, na parte da topografia e na parte justamente da gestão como um todo da nossa secretaria”, disse.

Adriano explica que a atualização é importante. “Cada ano o próprio município tem o seu crescimento, então é necessário essa atualização da base cartográfica tenha realmente, a qualidade necessária para estar ano a ano também se atualizando, o software se atualizando”, disse.

O secretário comenta que a atual base possui pequenas variações e que o novo sistema ajudará a trazer mais fidelidade. “Só que nós queremos ter um retrato mais fiel e através do satélite você consegue ter essa precisão, através de coordenadas geográficas, para a gente ter um produto sem depender de outros órgãos”, disse.

Uso de drones

Além das imagens de satélite, o serviço também poderá utilizar fotos através de imagens de drones. “Esses drones vêm para triangular toda essas informações, foto de fachada, etc. Tem um limite também que o drone não pode voar abaixo de 30 m, então uma série de autorizações que a prefeitura precisa para estar filmando, fotografando fachadas, então isso é uma parte legal que a prefeitura está se preocupando para não estar comprometendo nenhuma pessoa com imagem indevida”, disse.

Georreferenciamento em imóveis rurais

O georreferenciamentojá é utilizado por órgãos públicos para a atualização de registros de imóveis rurais. Através desse processo é realizado o mapeamento de um imóvel rural referenciando os vértices de seu perímetro ao Sistema Geodésico Brasileiro, definindo sua área e sua posição geográfica.

As leis nº 10.267/2001, vinculado ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e a lei nº 12.651/2012, vinculado ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) contemplam o georreferenciamento.

Texto: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Foto: Arquivo/Hoje Centro Sul