facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1142 - Já nas bancas!
01/04/2019

Dia 10 de abril será Dia “D” de combate ao Aedes e à dengue em Irati

Dia 10 de abril será Dia “D” de combate ao Aedes e à dengue em Irati

No próximo dia 10 de abril, Irati terá o seu Dia “D” de combate ao mosquito Aedes aegypti e à dengue. Durante todo o dia haverá a mobilização de todas as secretarias e setores da Prefeitura e da estrutura municipal, numa grande força-tarefa de conscientização e coleta de lixo pela cidade.

Em reuniões que vêm acontecendo sobre o tema, o prefeito Jorge Derbli já convocou toda a administração municipal a participar e estar nas ruas, convidando entidades parceiras, instituições e empresas a aderirem à ação. A razão que está por trás do apelo e desta nova ação junto à comunidade é o altíssimo número de focos confirmados do mosquito no início do ano. O sinal vermelho veio com as 322 confirmações em janeiro e fevereiro, além dos outros 50 casos sob análise. Nesse tempo, até um bloqueio foi efetuado no portal de entrada da cidade, em razão de suspeita, depois descartada.

No dia 10, uma quarta-feira, todos os setores da administração municipal irão paralisar suas atividades para assumir ações de limpeza, busca e combate aos focos do mosquito, bem como de conscientização à população numa espécie de mutirão que, de acordo com a organização, pode chegar a mais de 1.600 pessoas. Não serão recolhidos, neste dia, entulhos de construção, madeiras e telhas, entre outros.

Para deixar as pessoas avisadas com antecedência sobre esta mobilização, estão sendo confeccionados 40.000 panfletos de esclarecimento que chegarão às residências urbanas, empresas, escolas e unidades de saúde do município, entre outros. O mesmo material estará disponível em versão digital no portal oficial de Irati, em www.irati.pr.gov.br .

O telefone central para informações sobre o “Dia D”, o mosquito Aedes aegypti e doenças relacionadas a ele, é o 3907 3131.

Apoio

Buscando chegar ao maior número possível de estratégias para fechar o cerco a uma indesejável expansão de criadouros de larvas do Aedes, em discussão com vários segmentos da sociedade, a Prefeitura formulou medidas emergenciais. Para a rede municipal de educação foram comprados aproximadamente 5.000 livros específicos sobre a questão (Não Ao Mosquito, de autoria de Iris Stern), com versões para o educando, a família e ao professor, que já estão sendo trabalhados em sala de aula.

A Sanepar também se engajou na campanha, e estará distribuindo milhares de panfletos concebidos pela Prefeitura para alertar as pessoas sobre o mosquito, condições que favorecem criadouros e outras informações. Parte deste material será anexado à conta de água.

Porém, a despeito de todas as campanhas, palestras, matérias em jornais, rádios, redes sociais e outros recursos de repasse de informações para a cidade, há ainda muita negligência em relação aos cuidados de limpeza e manutenção de lotes e propriedades.

Isso obrigou a Prefeitura a seguir linhas mais rígidas para forçar os proprietários e responsáveis a cuidarem de seus espaços, sob pena de multa, aplicável a terrenos baldios e casas onde forem encontrados focos ou condições favoráveis para aparecimento de criadouros do mosquito da dengue.

Gerará multa:

- Deixar de adotar quaisquer medidas de controle mecânico (potes ou recipientes com água parada em seu terreno ou residência) e alternativo das doenças previstas em lei, independentemente de ser evidenciada a existência de ovo, larva, pupa ou do inseto adulto.

- Negar a entrega das chaves do imóvel para ser inspecionado.

- Obstruir as atividades dos Agentes de Combate à Dengue ou da Vigilância Sanitária.

- Deixar de adotar quaisquer medidas de controle mecânico e alternativo, com a constatação pelos Agentes de Combate à Dengue ou da Vigilância Sanitária da existência de focos dos transmissores das doenças.   

Texto/Foto: Assessoria PMI

Galeria de Fotos