facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1135 - Já nas bancas!
22/03/2019

Irati irá multar em R$ 747,40casas que possuam foco do mosquito da dengue

85% dos focos do mosquito foram encontrados nas residências e a aplicação da multa deverá motivar medidas efetivas pelos proprietários dos imóveis. Em caso de reincidência, a multa aumenta ainda mais.

Irati irá multar em R$ 747,40casas que possuam foco do mosquito da dengue

O município de Irati irá multar as residências que tiverem foco do mosquito Aedes aegypti. O anúncio foi feito na última semana em uma série de reuniões realizadas com vários setores da sociedade pela Prefeitura de Irati. A última reunião foi realizada com as escolas na sexta-feira (15) no Centro Administrativo Municipal (CAM).

A multa será R$ 149,90 (2 URMs) para proprietários que deixarem de adotar quaisquer medidas de controle mecânico e alternativo, independente da existência de ovo, larva, pupa ou do inseto adulto. Isto é, podem ser multadas locais ou proprietários onde há pontos de acúmulo de água parada.

Haverá ainda aumento da multa em R$ 747,40 (10 URMs) caso seja comprovado que o foco de mosquito encontrado é do mosquito Aedes aegypti. Em caso de reincidência, a multa aumenta ainda mais.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Magali de Camargo, a opção de multar surgiu após verificar que 85% dos focos do mosquito foram encontrados nas residências. “Infelizmente tivemos que adotar o sistema de multas para os terrenos que estão propícios à criação do mosquito. Terrenos baldios, quintais e residências, que tem problema de foco de mosquito, essas propriedades estarão sendo vistoriadas, e agora estamos amparados pela legislação inclusive para multar essas residências”, explica.

A aplicação da multa é baseada na lei nº 2754/2008, que estabelece medidas de controle dos vetores do vírus da dengue e da febre amarela. Um novo projeto de lei, que ainda tramita na Câmara de Vereadores de Irati, deverá agilizar as ações da fiscalização.

O prefeito de Irati, Jorge Derbli, reconheceu que há um quadro deficitário de funcionários para a fiscalização, mas destacou que a prefeitura está realizando a partir desta semana uma força-tarefa para facilitar a fiscalização dos agentes de endemias. “Uma ‘força-tarefa’ de outros setores da Administração, do próprio Pátio de Máquinas, Meio Ambiente, de saírem e fazer um cadastramento negativo, da informação desses lotes, para que essas poucas pessoas que trabalham nessa área [endemias], saiam e simplesmente passam a caneta e façam a multa”, relata.

A multa deverá ser inserida no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) do proprietário do imóvel. “A pessoa, se não pagar, fica lá. Um dia ou outro vai ter que pagar o imóvel, com correção monetária e juro. A multa vai, é notificado o proprietário ou a pessoa que está morando na casa, muitas vezes tem casa alugada, mas tem a notificação na casa e um para o proprietário, no caso”, explica o prefeito.

Uma das dificuldades da fiscalização é com terrenos baldios, pois os proprietários muitas vezes não estão na cidade. “Isso é um problema sério. Normalmente as pessoas que moram aqui limpam os lotes, mas muitos são proprietários de fora que têm as propriedades em Irati. Com uma especulação imobiliária, vão deixando. Cada vez mais está sendo valorizado o centro da cidade. Está acontecendo uma obra, um esgoto, um asfalto e tal, para melhorar o valor do imóvel, mas não se preocupam em limpar. Isso atrapalha o vizinho, atrapalha muita gente”, disse. “É uma forma de a gente mexer com esse povo, mexer no bolso. E fazer entender que é muito mais barato eles pagarem R$ 100, R$ 200 para limpar um lote, do que pagar R$ 750 de multa”, destaca.

Situação

O município de Irati é considerado,pelos órgãos de saúde, infestado pelo mosquitoAedes aegypti. Somente em janeiro foram 229 focos do mosquito confirmados em Irati. Outras 300 amostrasainda estão sendo analisadas.

O centro de Irati é o local onde mais focos do mosquito são encontrados. É também dessa área o primeiro caso positivo de dengue deste ano em Irati. O homem contraiu a doença em Roraima, mas foi diagnosticado apenas quando chegou em Irati.

A coordenadora de endemias, TiellenKrisleyChapiewski, alerta que, independente do mês, todos os bairros de Irati estão registrando focos do mosquito. “Inclusive há bairros que há dez anos não apresentava coleta de Aedes aegypti, e pela primeira vez, estão positivando para Aedes aegypti, em grande quantidade. Isso que acendeu ainda mais a nossa preocupação”, disse. Nesta lista estão bairros como Kennedy, Lagoa, Alto da Lagoa eVila Matilde.

Locais com problemas

De acordo com a coordenadora de endemias, os maiores problemas são em propriedades onde há reservatórios de água da chuva. “Elas esquecem que têm que fazer toda a higienização do balde, do galão. Inclusive aqueles galões que são tampados com tampas. A gente acaba tirando a tampa e achando lá, porque em algum momento teve que ficar aberto  para receber a água. O mosquito entrou lá dentro, fez o depósito dos ovinhos e assim que encheu de água, a pessoa tampou e achou que estava protegido. Não estava. O ovinho já estava eclodindo lá dentro”, explica.

Por isso, a dica é que as pessoas lavem bem os recipientes. “Lavar bem, ou colocar um pouquinho de água sanitária, ou detergente em bromélias. Os potes dos animais sempre lavar, nunca só ficar repondo água, sempre lavar com água e sabão, bem esfregado para ter a retirada dos ovos”, disse.

Outro ponto de atenção é com as caixas d’água. “Tem o famoso ‘ladrão’, aquela abertura do lado. Colocar um pano, de qualquer tipo de tecido, que vede a entrada da água. Não vai vedar a saída da água, a água vai continuar saindo, vai continuar funcionando como um ‘ladrão’, só que vai ter o paninho que impede a entrada dele e o acesso à água”, conta. Ela alerta ainda para o acúmulo de água em potes de flor, além das calhas, que precisam ter uma vistoria.

Segundo ela, essas medidas ajudam a proteger Irati, que é considerado um município de passagem de muitos viajantes. “Nem todos os casos de dengue apresentam os sintomas. Ela pode chegar assintomática aqui em Irati, ser picada durante um almoço num restaurante e durante a tarde [o mosquito] fazer a disseminação. O mosquitinho que picou no almoço, vai picar as pessoas que estão no bairro, então o risco é altíssimo. Irati está numa situação que é como se estivesse toda ela cheia de pólvora. Basta alguém chegar com um palito de fósforo e jogar. E vai começar a epidemia”, alerta.

Campanha

O alto risco de uma epidemia fez a prefeitura de Irati realizar uma extensa campanha. Além da multa a ser aplicada, a campanha terá ajuda de diversos setores da sociedade para disseminar as informações.

Uma das ações será realizada através da Sanepar, que distribuirá folders de informações sobre como combater o mosquito. Outra ação é com a área da educação, através do programa federal Saúde nas Escolas. Ao todo, Irati adquiriu mais de 5 mil exemplares de livros que serão trabalhados com alunos do 5º e 6º ano nas escolas. Serão três livros: um para o educador, outro para o estudante e outro ainda para a família. Cada livro traz exercícios e informações sobre o combate ao mosquito. Os livros serão inseridos nas atividades das escolas.

Há ainda a programação de um Dia D em Irati, em 10 de abril, data ainda a ser confirmada. O planejamento é que todo o setor público municipal pare e ajude no combate ao mosquito, através de diversas atividades.

Bairros com focos do mosquito em janeiro

Centro – 50 focos confirmados

Canisianas – 39focos confirmados (4 casos de suspeita de dengue investigados)

Alto da Glória – 33focos confirmados

Rio Bonito – 23 focos confirmados

São Francisco I e III – 20 focos confirmados

Kennedy - 12focos confirmados

Foto/Texto: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos