facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1142 - Já nas bancas!
22/03/2019

Incubadora incentiva empreendedorismo através de consultoria

Conheça os serviços de uma incubadora de negócios e como ela pode ajudar no início de um empreendimento

Incubadora incentiva empreendedorismo através de consultoria

A Incubadora de Negócios Irati (Ineti) é uma organização que tem por objetivo incentivar a geração e o desenvolvimento de micro e pequenas empresas que possuem quesitos inovadores. A incubadora está sediada em Irati, mas atende toda a região da Amcespar.

A professora Adriana Queiroz Silva, diretora executiva da Ineti, explica que a incubadora é voltada às empresas que têm algum quesito inovador porque essa é uma maneira de se destacar no mercado. “A partir do momento que você cria empresas assim, a inovação é uma forma da empresa estar se diferenciando, tendo vantagem competitiva. Queremos fomentar o empreendedorismo na nossa região e ver a coisa crescendo, gerando mais empregos, mais renda, para desenvolver a nossa região”, disse.

Para participar

Para fazer parte do projeto, as empresas precisam participar de uma seleção. O primeiro passo é entrar no site da organização (https://www3.unicentro.br/ineti) e preencher o formulário disponibilizado na opção “Sumário Executivo”. No formulário, a empresa irá se apresentar com seus dados e também trazer mais informações sobre o projeto que desenvolve. Após isso, é preciso enviar o formulário para a incubadora através do e-mail incubadora@irati.unicentro.br.

A partir deste primeiro passo, a equipe da incubadora irá analisar a proposta. “Vamos entender a proposta, se tem perfil empreendedor ou não, se tem algum conhecimento da área que pretende atuar, se conhece os segmentos, se sabe para que o serviço ou produto servirá. Chegando esse sumário para nós, verificamos se temos condições de atender essa ideia”, explica.

Aprovada nesta etapa, ainda há outras para participar. “Se houver a possibilidade de  atendermos, ele vai participar de uma banca, que é composta de três membros, por pessoas que fazem parte da nossa parceria e professores da universidade que têm alguma expertise na área. Será necessário uma apresentação para explicar o que é seu projeto. A banca vai questionar algumas coisas, vai dar algumas ideias e vai avaliar alguns quesitos que estão no nosso edital, para ver se tem condições de ser incubado ou pré-incubado”, conta.

Além de ser aprovado, a empresa também terá um investimento mensal para participar do projeto. A mensalidade para a pré-incubação é de R$ 80, a incubação residente R$ 150 e a incubação não residente, R$ 100.

Pré-incubação e Incubação

A pré-incubação é a modalidade que apoia os projetos inovadores ainda em fase de desenvolvimento. Nela, os empreendedores recebem apoio para que possam concluir o desenvolvimento e amadurecer o modelo de negócios a ser explorado.

Por isso, não é preciso necessariamente já ter uma empresa para participar no projeto. Basta apenas ter uma ideia. “Pensando em uma pessoa que tem uma ideia, que ela ache que tem viabilidade nessa ideia, ela pode nos encaminhar a proposta, nós vamos analisar e avaliar, e auxiliar para abrir essa empresa e dar um suporte gerencial para ela também. É um preparo antes de a empresa acontecer”, explica a professora Adriana.

Já a incubação se caracteriza quando a empresa existe a menos de um ano no mercado e o empreendedor está necessitando de conhecimento na área gerencial. Neste momento, ele recebe apoio técnico e gerencial.

A professora conta que o empreendedor nesta fase terá tarefas a fazer, mas também receberá consultorias. “Dependendo da área, haverá pessoas te dando auxílio. Existem algumas tarefas que você vai fazer. Têm etapas, você vai contar o que é seu negócio, como surgiu, quem você atende. Vai ter tarefas a serem feitas para a incubação. Para os empreendedores dos projetos incubados ocorrerão reuniões presenciais com consultores, receberão tarefas para estar realizando e amadurecendo a empresa. Vai ter consultoria presencial e online”, disse.

Incubador residente e não residente

O incubado residente é aquele que precisa de um pequeno espaço para começar a estar desenvolvendo seu negócio. “Estamos reformando um espaço que tem em torno de 250 metros quadrados para podermos estar atendendo os projetos residentes”, explica a professora Adriana.

O incubado não residente é aqueleque possui o empreendimento incubado instalado, fisicamente, em um espaço fora das dependências da incubadora, podendo, entretanto, utilizar os espaços compartilhados quando necessário se houver disponibilidade. Mesmo fora do espaço físico da incubadora, a empresa tem acesso a todos os demais benefícios oferecidos pelo programa, assim como possui direitos e deveres compatíveis com a modalidade de incubação.

Capital

A professora destaca que mesmo tendo apenas a ideia de uma empresa é necessário se planejar e possuir capital para começar a montar sua empresa. “É necessário ter um capital para poder investir. Não basta apenas ter a ideia. Podemos tentar ajudar a achar algum investidor, para estar investindo naquela proposta se tiver uma boa viabilidade. Mas a princípio se não tiver um investidor, tem que estar preparado para ter um capital. Nós auxiliamos somente na parte gerencial e técnica por meio de uma rede que nós temos de organizações e pessoas que possam vir a auxiliar”, disse.

Começo

O projeto da incubadora surgiu a partir de um desejo conjunto de várias organizações. “A incubadora é uma Associação Civil Sem Fins Lucrativos. Ela surgiu por causa de várias instituições que estavam interessadas que houvesse uma incubadora em nossa região. Nós temos 20 parceiros, sendo que a gestão da incubadora é realizada pela Unicentro, que é uma das parceiras da Ineti, que auxilia no apoio das demandas dos projetos incubados e pré-incubados e também no espaço para atender os incubados e pré-incubados, pois a sede da incubadora fica na referida universidade”, disse.

Texto: Da Redação/Hoje Centro Sul

Fotos: Jonas Stefanechen/Hoje Centro Sul