facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1158 - Já nas bancas!
21/03/2019

Prudentópolis terá Casa da Memória

Prudentópolis terá Casa da Memória

Prudentópolis vai ganhar a Casa da Memória. O projeto já foi feito e será reformada a antiga Secretaria de Educação, que já é um prédio histórico do município. A estrutura não será demolida, apenas revitalizada.

O objetivo principal é resgatar a história do município, consolidando o patrimônio público e potencializando o acervo histórico cultural, ampliando o suporte turístico.

A obra é da Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Cultura, que realizou a construção do novo projeto e será responsável pela organização. O espaço abrigará toda a memória material e imaterial do município.

O prédio manterá suas características originais, e serão feitas melhorias na estrutura danificada de madeira na parte interna. A estrutura terá uma ampliação para a adequação dentro das normas, incluindo uma plataforma de acessibilidade.

O prazo é que a obra inicie em 10 dias após a assinatura do contrato e conclusão em até 180 dias.

O investimento para a Casa da Memória é de R$ 250 mil, emenda do ex-deputado federal João Arruda. O projeto também terá recursos do Ministério do Turismo, valores que entram para a Secretaria de Cultura, devido ser uma atividade com suporte ao turismo no município.

Para a secretária de Cultura municipal, Nadir Vozivoda, o acervo histórico é bastante aguardado pela população. “Será um resgate e registro da história do município. Este será um trabalho que vai iniciar agora, porém vai durar vários anos, tendo em vista a necessidade de um cuidadoso resgate com pesquisas envolvendo historiadores, pesquisadores e contando com a colaboração de toda a comunidade. “É um projeto que foi cuidadosamente elaborado e sua execução está sendo aguardada com muita expectativa”, disse.

Segundo ela, alguns materiais que ficarão no local já foram selecionados. “Já iniciamos a identificação de alguns artefatos pertencentes aos nossos primeiros habitantes, os índios caigangues. O material já coletado se encontra em via de conclusão das análises de identificação junto ao Museu Paranaense e que envolveu pesquisadores da UFPR e da USP. A reforma é o primeiro passo deste processo”, finaliza.

Texto/fotos: Assessoria PMP