facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1134 - Já nas bancas!
18/03/2019

Política em Questão - Por Letícia Torres e Ciro Ivatiuk

Política em Questão - Por Letícia Torres e Ciro Ivatiuk

Tragédias

Não é a primeira vez que o Brasil vive uma tragédia como a que ocorreu em Suzano. Atiradores invadem escolas, fazem várias vítimas e depois se suicidam. Fatos similares ocorreram no país nos anos de 2003, 2011 e 2017. Em 2003, em Taiúva– SP um ex-aluno da escola estadual Coronel Benedito Ortizfez 15 disparos que provocaram a morte de uma pessoa e oito feridos (um dos alunos ficou paraplégico). Em 2011, em Realengo – RJ, um jovem matou doze estudantes e deixou treze pessoas feridas em um ataque na Escola Municipal Tasso da Silveira. Em 2017, em Goiânia – GO, um adolescente matou dois colegas e feriu outros quatro na escola Goyases. Nesta quarta-feira, dia 13 de março de 2019, em Suzano – SP, oito pessoas foram assassinadas na escola estadual Raul Brasil. Outros casos de ataques, mas sem vítimas fatais, também foram registrados nos últimos anos.  Buscar uma resposta simples para o problema complexo que envolve questões familiares, sociais, psíquicas, físicas, dentre outros fatores capazes de motivar adolescentes a liderarem ataques como esses e depois cometerem suicídio é temerário. O fato é que saúde mental e relações sociais são temas muito importantes a serem observados.

 

Jogo asqueroso

Dizer que a tragédia de Suzano foi culpa do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e sua proposta de flexibilização da posse de armas é um argumento maldoso que cai por terra ao observarmos a história recente (ver nota acima). E maldade praticada por integrantes de partidos de esquerda ou por integrantes de partidos de direita, continua sendo maldade.  Da mesma forma que pessoas ignóbeis chegaram a dizer que o neto do ex-presidente Lula (PT), que morreu no dia 1º de março, foipor culpa do avô ex-presidente que não teria investido o necessário no setor de saúde.  Aos fanáticos de um lado ou de outro, vamos buscar a coerência, o bom senso e a humanidade. Explorar tragédias para atingir adversários políticos é um jogo asqueroso demais.  

 

Caminhão comboio 

Nesta semana, Teixeira Soares recebeu um caminhão comboio. O veículo, que será utilizado para abastecimento das máquinas da Prefeitura Municipal que realizam serviços no interior, era um compromisso de campanha do prefeito Lula Thomaz (PSB) e da vice Juliana Belinoski (PSC). Eles comemoram a nova aquisição, que ampliará a produtividade dos serviços na área rural.

 

Incentivo a geração de empregos 

Ainda em Teixeira Soares, o prefeito Lula Thomaz (PSB) sancionou a lei que incentiva micro e pequenas empresas, Lei Nº 1833. A partir de agora, a prefeitura poderá ajudar micro e pequenas empresas a gerarem empregos no município. Para isso, poderá cedendo pequenos imóveis ou auxiliar com o pagamento de aluguel de até meio salário mínimo, por até doze meses. Parece pouco, mais um incentivo desses pode ser o diferencial para que uma empresa consiga decolar ou tenha de ser fechada. 

 

Prefeito de Prudentópolis cumpre agenda em Brasília 

Nesta semana, o prefeito de Prudentópolis Adelmo Luiz Klosowski (PSDB) e o vice OsneiStadler (PR) estiveram em Brasília. Eles levaram reivindicações do município aos ministérios e aos deputados federais. Um dos compromissos foi com Abelardo Lupion,no Ministério da Casa Civil, em que também estiveram presentes o procurador geral Gino Lucas e o chefe de gabinete Alex Garcia.