facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1119 - Já nas bancas!
14/02/2019

Editorial - Emergência

Editorial - Emergência

Todo dia, ao acordar, nós nunca pensamos que algo imprevisível pode acontecer. Nós apenas planejamos o dia, pensamos nas tarefas que precisam ser feitas. Quando voltamos para nossas casas depois do trabalho, pensamos em descansar para no outro dia começarmos nossa rotina.

Mas nunca imaginamos que talvez algo aconteça no caminho. Pensamos em fazer as coisas, mas nuncano imprevisível. Mas um dia um acidente, um problema de saúde ou uma tragédia natural pode interromper esse cotidiano.

Infelizmente, é somente nesses momentos que nos lembramos de detalhes que nos passam despercebidos no dia a dia. Um desses detalhes imperceptíveis é o telefone de emergência.

O número pode estar gravado na nossa memoria ou na memoria do celular. Mas nunca testamos. Somente quando algo acontece, é descobrimos que pode haver uma falha.

Na região, essa falha foi vista, mas ainda não de forma oficial. Segundo o Corpo de Bombeiros de Irati algumas situações foram identificadas e por isso a corporação está pedindo que cada pessoa teste se o número está funcionando corretamente em sua localidade, principalmente se está no interior. Entre os problemas estão transferência para outras instituições, para outras cidades e até o não recebimento da chamada na central de Irati.

O problema não é novo. Em 2014, o mesmo problema foi identificado em Irati. Na época, a reclamação foi registrada no Facebook, onde a pessoa conta que chegou a tentar ligar para 193 e 190 e foi atendida por centrais em Londrina.  Do telefone público, a chamada sempre dava linha ocupada.

O problema começou a ser visto novamente em Irati nos últimos dois meses. Ligações são transferidas e muitas vezes chamadas não são completadas. Assim, uma central de atendimento em Irati está parada, enquanto cidadãos tentam entrar em contato, mas tem suas ligações transferidas ou não são atendidas.

As operadoras de telefones móveis dizem que não identificaram problemas, mas que se o usuário tiver algum, é preciso entrar em contato com a operadora para resolver. Um dos motivos é que é necessário ter o número do telefone da pessoa que ligou para verificar o que aconteceu.

Contudo, o ideal é que a pessoa não precisasse entrar em contato com a operadora. O ideal seria que a operadora tivesse uma manutenção maior do que está fazendo, especialmente em localidades mais afastadas, e deixasse um canal especial para o contato de autoridades para informar eventuais problemas.

Tecnologias têm problemas, e muitas vezes a manutenção até é feita, mas intempéries do tempo podem interferir. Isso é uma realidade, mas não pode ser uma desculpa para se esquivar de uma responsabilidade de oferecer um serviço essencial para a população.