facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1158 - Já nas bancas!
08/02/2019

Pesquisa é aliada para economizar na compra de material escolar

Pesquisa é aliada para economizar na compra de material escolar

O ano letivo de 2019 começa no dia 14 de fevereiro para um milhão de alunos matriculados na rede estadual de ensino, segundo a Secretaria de Educação do Estado do Paraná. A poucos dias do início das aulas, pais e alunos enchem o comércio em busca dos materiais escolares.

A aluna do Ensino Médio, Yasmim Caetano, conta que ela não costuma pesquisar, já que tem preferência por algumas lojas. “Geralmente vou ao mesmo lugar. O que eu não encontro na loja, compro em papelaria. Eu procuro facilidade, vou onde tem mais variedade de marcas e preços”, disse.

Já para Ana Maria Emiliano de Morais, a pesquisa é algo importante. Ela conta que sua filha está no último ano do magistério, e que não foi necessário comprar muitos materiais, porém procuraram em várias lojas. “Fomos comprar aonde minha filha queria. Ela que escolheu, e não saiu muito caro, pois ela pegou pouca coisa. Ela não estava precisando de muitos materiais por ser o último ano dela. Ficamos dias indo a várias lojas, fomos a aproximadamente seis lojas”, contou.

E a pesquisa pode ser aliada do consumidor. Em um levantamento feito pelo Jornal Hoje Centro Sul foi possível verificar uma grande diferença entre produtos, especialmente entre cadernos.

Apontados pelos lojistas como um dos principais itens mais procurados, os cadernos chegam a ter até 70% de diferença de um estabelecimento para o outro. É o caso do caderno de 48 folhas, sem capa dura, que podem custar de R$ 2 a R$ 7, dependendo da loja. Os cadernos mais caros vão de R$ 33,50 a R$ 40. Cadernos com estampas de bandas, desenhos animados e desenhos de unicórnios estão em alta segundo os comerciantes. Os mais vendidos são os de 10 matérias e possui grande variação de preços, indo de R$ 3,50 a R$ 30.

Outro item entre os mais procurados, a mochila chega a ter uma diferença de até R$100. As mochilas mais baratas encontradas custam R$ 28 e chegam a R$ 45, já as mais caras vão de R$ 170 a R$280, dependendo da marca.

As canetas podem ser encontradas no valor de R$ 0,89, chegando a valores de R$ 13,35. As canetas tradicionais também tem variação, custando em média R$1,40 e não ultrapassando os R$ 2.

O setor também costuma atrair o público com novidades como a caneta que apaga. Custando cerca de R$13, o item é muito utilizado por professores, que usam nos livros de chamadas que não podem conter rasuras.

Comerciantes

Em Irati, os comerciantes estão confiantes. Cristiane Andrekowicz é vendedora em uma papelaria e conta que a expectativa para esse ano está maior na comparação com o ano passado. “A expectativa é que seja melhor do que o ano anterior, como está sendo. As vendas melhoraram bastante, o pessoal se adiantou bastante na compra da volta às aulas, desde dezembro estão comprando. Acreditamos que o maior fluxo vai ser agora no começo do mês, quando o pessoal recebe o pagamento, melhora bastante o movimento”,  contou.

Maria Lourenço de Souza, gerente de outra papelaria, aponta o crescimento da cidade como um fator importante para a venda dos materiais escolares. “Nosso movimento sempre é bom, e cada ano eu sinto que tem aumentado mais. Com o crescimento da cidade aparecem muitos casais jovens atrás de emprego, com crianças em idade escolar. O cliente começou a comprar em dezembro e acreditamos que a partir dessa semana até o dia 14 as vendas só vão crescer”, disse.

Aracely Karline, vendedora de uma loja, conta que a expectativa está muito grande. “Sempre ficamos naquela expectativa que nesse ano vai ser melhor, o pessoal está vindo, está procurando, o fluxo está muito bom”, comentou.

Facilidade de pagamento

Para conseguir fazer com que os consumidores comprem, o setor tem tentado não alterar os preços, mas tenta oferecer mais formas de pagamento, e até descontos à vista.

A vendedora Cristiane explica que os descontos que podem ser feitos nas compras dos materiais. “Nosso desconto é 10% à vista, trabalhamos parcelado no cartão em até quatro vezes sem juros”, conta.

A gerente Maria comenta que os preços não devem aumentar. “Nosso preço continua o mesmo, se alguma mercadoria subir o preço é porque aumentou no nosso fornecedor, mas não temos intenção nenhuma de subir os preços. Faremos 5% de desconto à vista e a prazo no cartão, em até quatro vezes”, informou.

A vendedora Aracely explica os descontos e a facilidade de se ter um cartão da Tudo Casa. “Temos mochilas com até 50% de desconto, a mochila que tiver etiqueta amarela na loja vai ter desconto. O cartão da loja te dá um leque de facilidade e descontos, o que é muito bom agora nesse começo de ano, que vem várias contas para pagar. Além do desconto, ainda tem a facilidade de pagar em até 10 vezes no cartão da loja”, explicou.

Casa do Papai Noel motiva venda de material escolar

Uma tradição em Irati já ajudou a aquecer o setor para a compra de material escolar. A Casa do Papai Noel de Irati recebe anualmente cartas de crianças pedindo seus presentes para o Natal. Muitas dessas cartas são de crianças carentes que têm dificuldades na hora de comprar materiais escolares.

Cristiane, vendedora de uma papelaria, conta como funciona essa lista de pedidos. “Nosso movimento começou em dezembro devido à Casinha do Papai Noel. Essa lista vem pronta, as crianças carentes deixam a carta pedindo material escolar, então a comunidade envia de presente de Natal, o material da volta às aulas. Nesse período, o que mais vendemos são caderno e mochila, o básico”, comentou.

Maria, gerente da papelaria, também comenta sobre a venda de materiais escolares, motivada pelos pedidos feitos pelas crianças na Casa do Papai Noel. “Esse ano vendeu bem, mas já vendemos bem melhor”, disse.

Texto: Da Redação/Hoje Centro Sul

Fotos: Jonas Stefanechen/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos