facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1148 - Já nas bancas!
10/12/2018

Editorial - Distância será encurtada

Editorial - Distância será encurtada

A pavimentação asfáltica da estrada que liga São Mateus do Sul e Irati, a PR 364, é um sonho de muitos anos. Diversas promessas já foram realizadas e por muitas vezes, se acreditou realmente que algo fosse acontecer, mas não aconteceu.

No entanto, nesta semana, mais um fato fez com que a história da pavimentação deste trecho pudesse ter continuidade. O Governo do Estado liberou que a construtora escolhida através de processo licitatório começasse a realizar a obra de mais de 49 km entre as duas cidades.

A obra terá diversos desafios. Um deles é a modificação dos acessos aos municípios. Uma das maiores interferências acontecerá em Irati, onde o trecho final será modificado e uma espécie de trincheira será construída, sobrepondo as vias PR 364 e a BR 153.

Há ainda o fato de que será preciso fazer adaptações ao longo da via. Especialmente, porque o projeto delimita um acostamento de dois metros, o que gerará desapropriações. A estimativa é que as indenizações ultrapassem os R$ 700 mil.

No momento, a construtora ainda não apresentou o plano de trabalho, mas já iniciou o processo de contratação para trabalhadores na obra e também o processo de análise das futuras desapropriações.

O trabalho ainda está no começo, mas já há prazo final estipulado pela licitação: 2 anos. A expectativa é que a construtora consiga realizar a obra neste prazo e dentro do orçamento estipulado.

Contudo, muitos moradores de ambas as cidades ainda estão desconfiados quanto a realização da obra.  Muitos apenas acreditarão na obra quando a primeira pá for usada. Já outros só acreditarão quando ela for terminada. A descredibilidade para com a obra é justificável, já que foram muitas falsas promessas ao longo do tempo, e muitos desses moradores se sentiram usados. A credibilidade só voltará com a execução responsável dessa obra.

O momento agora é de acompanhar esse início e verificar esses primeiros quilômetros a serem feitos. Esse acompanhamento não deve ser feito apenas pelos cidadãos das cidades, mas também – e especialmente - pelos poderes públicos e agentes políticos que podem usar de seu papel social como agentes fiscalizadores – mesmo que este papel esteja a cargo do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR).

Deste modo, será possível conseguir essa obra tão sonhada pela população, que não só deve encurtar distancias, mas ajudar a melhorar a economia e desenvolvimento local.