facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1099 - Já nas bancas!
03/12/2018

Cooperativa de caminhoneiros é idealizada em Irati

Cooperativa de caminhoneiros é idealizada em Irati

O caminhoneiro Mário Luis Konopka é um dos que estão à frente na idealização de uma cooperativa de caminhoneiros em Irati.

Intitulada Cooperativa do Transporte de Irati e região (COOPERTIR), a cooperativa quer poder oferecer serviços aos caminhoneiros locais. “Qualquer um pode entrar como cooperado, ele não precisa ser necessariamente um motorista, quem sabe um empresário de Irati. Pode ser o motorista autônomo, pode ser o empregado também, vai ter os benefícios. Se o empregado entrar, o patrão também vai querer entrar. Os benefícios que conseguiremos na cooperativa é comprar pneu mais barato, o combustível, o primeiro passo nosso seria um TR. O TR seria um tanque de combustível suspenso. A partir do momento que tivermos o local, contatamos uma empresa que está na área, essa empresa vem instalar o tanque e fornecer o combustível, por um preço bem mais acessível”, comenta.
Nos planos também estão a construção de uma sede, com um pavilhão, além de um espaço para que se consiga fazer uma espécie de estacionamento de caminhões com vigia.
“A construção da cooperativa aqui em Irati é necessária para a categoria, pois tem muitos locais que já tem, como Guarapuava, Pitanga. Em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, quem está cooperado está indo bem”, disse.
No início, o objetivo é conseguir atingir o mínimo de 20 associados para conseguir montar a cooperativa, mas a intenção é aumentar o número para 100 associados. “Uma cooperativa que tem 100 pessoas ela tem uma força muito maior do que uma só”, relata.
A próxima reunião acontecerá no dia 22 de dezembro.
 

Agradecimentos


Mário aproveitou a oportunidade para agradecer o apoio da população na Greve dos Caminhoneiros no início do ano. “Em nome de todos os caminhoneiros, eu quero agradecer a população de Irati que nos apoiou com comida com água com tudo, eram mais de 90 caminhoneiros que estavam só aqui em Irati”, disse.
Ele também comentou as conquistas da greve. “Se encaminharam os resultados, o governo está nos atendendo em partes. Essa paralisação trouxe benefícios, o piso mínimo que foi o trunfo que nós conseguimos, o eixo erguido. A questão do combustível, o governo cumpriu com o que foi dito, mas para os preços que estão sendo exercidos no transporte, o diesel ainda é o vilão. O diesel em Irati hoje para abastecer é inviável, é muito alto, para outros lugares dá diferença de 20, 30 centavos o litro”, disse.

Texto: Da Redação/Hoje Centro Sul