facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1099 - Já nas bancas!
03/12/2018

Comerciantes de Irati estão confiantes para as vendas de fim de ano

Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) projeta movimentação de R$ 34,5 bilhões no país

Comerciantes de Irati estão confiantes para as vendas de fim de ano

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) projeta que as vendas para o Natal movimentem R$ 34,5 bilhões no comércio brasileiro.
A expectativa positiva para as vendas de fim de ano são sentidas também pelos comerciantes de Irati. “Dos últimos anos, esse é o Natal que estamos com mais esperanças, inclusive com a mudança política. Deu uma reforçada no comércio nas últimas três semanas. Está aumentando o movimento”, disse Marcos Kuller da Rocha, proprietário da loja Tudo Tem.
Para alguns comerciantes, a boa expectativa também está associada ao aumento de vendas em relação aos anos anteriores. “Estamos com a expectativa de que no começo de dezembro as vendas comecem a evoluir. O forte começa a partir da primeira quinzena de dezembro até o dia 24. Fala-se muito em crise, mas chega o final do ano, todo mundo dá um jeitinho de acabar comprando um presente”, relatou João Luvavy Neto, proprietário das lojas Thallento. 
Já em outubro, as lojas começaram a apostar nas decorações de Natal com a esperança de boas vendas. ”Nossa expectativa está bem grande. Que venham muitas vendas, que o pessoal saia realmente de casa para comprar os presentes. Estamos esperançosos que seja melhor do que o ano passado”, afirmou Patrícia Ferreira, gerente da loja Mais Econômica. 
 

Consumidor


O consumidor deve comprar entre quatro e cinco presentes neste Natal, segundo pesquisa feita Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). 
Em relação a 2017, 30% pretendem gastar a mesma quantia, 27% pretendem gastar mais e 22% menos. O valor médio de cada presente deverá ser de R$ 116.
Apesar da disposição para gastar, o consumidor deverá pensar melhor onde aplicará seu dinheiro, já que 85% disseram que pretendem fazer pesquisa de preço para economizar.
As roupas (55%) serão os principais produtos que deverão ser comprados, seguidos de calçados (32%), perfumes e cosméticos (31%), brinquedos (30%) e acessórios, como bolsas, cintos e bijuterias (19%).

Texto: Da Redação/ Hoje Centro Sul 

Fotos: Jonas Stefanechen/Hoje Centro Sul

 

 

 

Galeria de Fotos