facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1099 - Já nas bancas!
29/11/2018

Ministério do Planejamento destina imóvel para Cras em Irati

Ministério do Planejamento destina imóvel para Cras em Irati

O Ministério de Planejamento, Gestão e Orçamento autorizou a doação de um imóvel da União para o município de Irati para a implantação de um Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

O imóvel é localizado na Vila Nova e funciona o Centro de Convivência. O processo de doação foi autorizado pelo governo federal para o funcionamento de um Cras. O valor do imóvel é de aproximadamente R$210 mil reais.

Para a secretária de Assistência Social, Sybil Dietrich, o Cras é o lugar que possibilita, em geral, o primeiro acesso das famílias aos direitos socioassistenciais e, portanto, à proteção social. “Estrutura-se, assim, como porta de entrada, unificada dos usuários da política de assistência social para a rede de proteção básica e referência para encaminhamentos à Proteção Especial. É a unidade local do SUAS – Sistema Único de Assistência Social”, destaca.

Neste espaço, será feito um levantamento de custos para reforma para transferência do CRAS para esse local. 

Cras

O CRAS é um espaço físico, uma unidade pública estatal de referência da Rede de Proteção Social Básica do SUAS, presente no território onde vivem famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade social.

O local presta serviços continuados de Proteção Social Básica de Assistência Social para famílias, seus membros e indivíduos em situação de vulnerabilidade social, por meio do PAIF tais como: acolhimento, acompanhamento em serviços socioeducativos e de convivência ou por ações socioassistenciais, encaminhamentos para a rede de proteção social existente no lugar onde vivem e para os demais serviços das outras políticas sociais, orientação e apoio na garantia dos seus direitos de cidadania e de convivência familiar e comunitária.

Além disso, articula e fortalece a rede de Proteção Social Básica local, além e prevenir as situações de risco no território onde vivem famílias em situação de vulnerabilidade social apoiando famílias e indivíduos em suas demandas sociais, inserindo-os na rede de proteção social e promover os meios necessários para que fortaleçam seus vínculos familiares e comunitários e acessem seus direitos de cidadania.

O atendimento é realizado através de entrevista familiar, visitas domiciliares, palestras voltadas à comunidade ou à família, seus membros e indivíduos, grupos: oficinas de convivência e de trabalho socioeducativo para as famílias, seus membros e indivíduos; ações de capacitação e inserção produtiva, campanhas socioeducativas, encaminhamento e acompanhamento de famílias e seus membros e indivíduos, reuniões e ações comunitárias, articulação e fortalecimento de grupos sociais locais, atividades lúdicas nos domicílios com famílias em que haja criança com deficiência, produção de material para capacitação e inserção produtiva, para oficinas lúdicas e para campanhas socioeducativas, tais como vídeos, brinquedos, materiais pedagógicos e outros destinados aos serviços sócioassistenciais, deslocamento da equipe para atendimento de famílias em comunidades quilombolas, indígenas, em calhas de rios e em zonas rurais, grupos de convivência e sociabilidade geracionais e intergeracionais, para crianças, adolescentes, jovens e idosos, atividades lúdicas para crianças de 0 (zero) a 6 (seis) anos, que visem a estimulação das crianças, o fortalecimento de laços familiares e a interação entre a criança e os demais membros da família e da comunidade, implementação das ações de capacitação e inserção produtiva, ações complementares de promoção da inclusão produtiva para beneficiários do Programa Bolsa Família – PBF e do Benefício de Prestação Continuada – BPC.

Texto: Assessoria PMI

Foto: Divulgação