facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1099 - Já nas bancas!
28/11/2018

Campanha busca conscientização na prevenção do câncer bucal

No ano passado, mais de 200 atendimentos foram realizados.

Campanha busca conscientização na prevenção do câncer bucal

Durante toda a quinta-feira (22) aconteceu a 2ª Campanha Iratiense de Prevenção ao Câncer Bucal, na Rua da Cidadania, em Irati. O objetivo do evento é atender pessoas que fazem parte do grupo de risco, através de ações que consistirão em orientações para prevenção do câncer bucal, exames para diagnóstico precoce e eventual encaminhamento para tratamento.
Segundo o Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) estima-se que nesse ano 14.700 novos casos foram e ainda serão descobertos, sendo 11.200 são de homens e 3.500 de mulheres. 
A campanha já vem sendo feita há mais de 30 anos em Curitiba e está em sua segunda edição em Irati. O trabalho é idealizado e executado pela equipe do Doutor Laurindo Moacir Sassi, que é chefe do setor de cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial do Hospital Erasto Gaertner (HEG) de Curitiba.
O evento contou também com o auxílio da equipe da Rede Feminina. “A ideia é procurar aleatoriamente casos que possam ser tratados, diagnosticados precocemente de lesão de boca e câncer bucal. É um evento totalmente gratuito voltado para prevenção, destinado para toda a população dos nossos nove municípios”, comenta a voluntária Luciane Tucholski.
De acordo com Roberto Van Der Laars, chefe da Odontologia de Irati, a campanha do ano passado realizou 200 atendimentos e a expectativa é que a procura aumente cada vez. “Muito mais pessoas procuram, mas fazemos uma triagem para que o paciente que entra para fazer os exames realmente seja um paciente que esteja enquadrado em uma população de risco por critérios de idade e hábitos”, diz Roberto.
Dos 200 exames realizados no ano passado, vários casos foram encaminhados para a consulta especializada. “Nós tivemos 26 lesões que tinham suspeita de malignidade, dessas, quatro foram confirmadas como lesões de câncer”, fala Roberto.
Segundo Roberto, os pacientes que realizam os exames e que possuem alguma lesão já saem com encaminhamento. “Todos os pacientes que tiveram hoje constatado lesões, vão sair daqui já com encaminhamento para ter o atendimento no hospital Erasto Gaertner. Ele já sai daqui, passa na consulta especializada e já marca para ir para Curitiba. O transporte, se a pessoa precisar, também é disponibilizado”, explica.
 

Agravantes


O câncer de boca afeta lábios e o interior da cavidade oral. Dentro da boca devem ser observados gengivas, mucosa jugal (bochechas), palato duro (céu da boca) e língua (principalmente as bordas), assoalho (região embaixo da língua). O câncer do lábio é mais comum em pessoas brancas e ocorre mais frequentemente no lábio inferior.
Para evitar esse tipo de câncer são necessários alguns cuidados. Fumantes correm um risco maior. “Primeiro passo, evitar o fumo e o álcool. Se você usar o álcool como alimento não tem problema, agora usar o álcool como droga tem problema sim, porque o álcool ele fica até sete dias no corpo do ser humano e se ele fica tomando álcool como droga, toda semana tomando e tomando é lógico que pode desencadear um tumor”, explica Laurindo Sassi, cirurgião bucomaxilofacial do Hospital Erasto Gaertner. 
Diferente do que muitos acreditam, o álcool não é apenas coadjuvante, mas sim, um desencadeador do câncer bucal. Diante da quantidade de novos casos que surgem todos os anos é fundamental o autoexame. “Nós orientamos que o paciente uma vez por mês faça esse exame que estamos fazendo em frente ao espelho em casa, usando o espelho e um cabo de colher. Ele deve procurar manchas brancas, manchas vermelhas, caroço, feridas e caso encontrá-las e em 15 dias não melhorar ele deve procura o posto de saúde. Às vezes é uma simples lesão e às vezes é o início de um câncer. No início, o câncer tem cura e depois infelizmente é muito difícil de curar”, alerta Sassi.
No ano passado muitos casos foram identificados. É o caso do filho de Lindoneia Aparecida Grancheski. “Nós viemos no ano passado para ele fazer a prevenção do câncer bucal, e foi diagnosticado que ele estava com lesões na boca. Ele foi encaminhado para o Erasto em Curitiba, chegando lá o médico disse que precisava fazer uma cirurgia nele. Agora ele já foi liberado, graças a Deus hoje o meu filho está curado”, comemora Lindoneia.
A campanha é organizada pelo Hospital Erasto Gaertner, a Rede Feminina de Combate ao Câncer, Conselho Regional de Odontologia do Paraná, Prefeitura de Irati e Secretaria de Estado de Saúde.

Texto e Fotos: Silmara Andrade/Hoje Centro Sul

 

 

Galeria de Fotos