facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1099 - Já nas bancas!
28/11/2018

Colégio Estadual São Vicente, em Irati, deverá ser fechado

Núcleo Regional de Irati confirmou o fechamento gradual do colégio. Comunidade escolar prepara uma manifestação contra o fechamento na segunda-feira (26)

Colégio Estadual São Vicente, em Irati, deverá ser fechado

O tradicional Colégio Estadual São Vicente, localizado em Irati, deverá ser fechado. A direção do colégio anunciou através de um comunicado no Facebook que as matrículas para o 1º ano do Ensino Médio e de 6º ano do Ensino Fundamental de 2019 não foram aprovadas pela Secretaria Estadual de Educação.
O fechamento gradual do colégio foi confirmado pelo chefe do Núcleo Regional de Educação, Cleto Antônio Castagnoli. “Quando há uma proposta de que se feche uma escola, é de muita tristeza, e nós vemos isso principalmente porque o São Vicente é uma escola de muita tradição aqui no município de Irati”, disse.
Anteriormente, a secretária de Estado da Educação, Lúcia Côrtes, havia anunciado que o Colégio São Vicente seria transferido. Contudo, o chefe do Núcleo Regional de Educação explica que a decisão pelo fechamento gradual aconteceu após serem verificadas dificuldades no processo de transferência. “Estudamos primeiramente, ao invés de que fosse fechado, transferir para o Alto da Lagoa, na escola Mercedes Braga. Fazer uma dualidade com a prefeitura. Isso iria requerer uma estrutura muito grande de imediato por parte da Fundepar, que nesse momento de transição de governo, nós não sabemos se poderia ser executado”, explicou.
Entre as dificuldades, havia a necessidade de adaptação da infraestrutura. “Nós teríamos que adaptar secretaria, biblioteca, laboratório, enfim, toda a infraestrutura que o São Vicente tem para colocar na Mercedes Braga”, detalha.
Cleto explica que o colégio deverá passar a funcionar em apenas um turno, permanecendo no local onde está atualmente. “Ontem [terça-feira] nós recebemos a informação de que essa transferência não seria mais efetivada, que o São Vicente permaneceria ou permanece onde ele está hoje, mas com cessamento gradativo, que seria não abrir matrículas para sexto ano e não abrir para primeiro ano do ensino Médio. Ele passaria a funcionar em um período só, no período da manhã. Ele tem 10 turmas hoje, mas com a diminuição de oito turmas aproximadamente, num turno só que seria no período da manhã, com isso aconteceria a redução de ocupação de espaço do atual prédio do Colégio São Vicente”, disse.
 

Motivação


De acordo com Núcleo Regional de Educação de Irati, a decisão de fechar o colégio de forma gradativa ocorre por causa da diminuição de alunos na instituição. “Não é o aluguel que está obrigando que se tome essa decisão. É em função da demanda de alunos. Diminuiu bastante. Por estudo da própria SEED, o município de Irati teve diminuição de mais de 2 mil matrículas, entre 2010 e 2018, então está se estudando essa possibilidade de que esses alunos possam ocupar o Duque de Caxias, que também é um colégio central e que está com 10 salas ociosas. Um prédio que é realmente do estado. Todas as instalações são do estado, então essa viabilidade dessa transposição para o Duque que está sendo estudada”, disse. Há a possibilidade também de professores e funcionários sejam transferidos para a escola Duque de Caxias, sendo que professores mais velhos tem a preferencia de escolha. Contudo, essa possibilidade de transferência não é algo confirmado.
O prédio onde o colégio está atualmente é pertencente à Sociedade Educacional Irati, que cobra R$ 34 mil de aluguel.
 

Comunidade escolar protesta


No comunicado divulgado na página do Facebook do Colégio São Vicente, a diretoria repudiou a decisão de fechamento da instituição. “Estamos profundamente arrasados pela notícia. Irati perde o berço da intelectualidade e do conhecimento. História e Patrimônio de nosso povo trabalhador e esperançoso”, diz o comunicado.
O comunicado ainda disse que não houve consulta à comunidade escolar. “A SEED não chamou a Sociedade Educacional Irati LTDA para ouvir as propostas de renovação de aluguel. A SEED não consultou a comunidade para tratar desse assunto tão delicado. Não sabemos qual o futuro de professores, funcionários, alunos, patrimônio e documentação que pertencem ao nosso Colégio”, relata comunicado.
Professores e alunos do colégio organizaram um abaixo-assinado online disponível na página oficial no Facebook. 
Na segunda-feira (26) está marcado um protesto às 9h contra a decisão da Secretaria Estadual de Educação.

Canisianas


O Núcleo Regional de Educação de Irati estuda uma possibilidade de construir uma nova escola na região do bairro Canisianas. 
Segundo Cleto Antônio Castagnoli, uma proposta estudada é de uma parceira com o município. “Se a prefeitura tiver um lote que comporte a escola, naquela região, cede pro estado e o estado cederia um desses imóveis em uma permuta, que já estão sendo usados pelo município, ou uma área de terreno. Tem bastante terreno do estado aqui dentro do município de Irati que estão ociosos. Então, cederia uma área de interesse da prefeitura, em troca a prefeitura cederia, e nós daríamos início a um processo de construção, de solicitar a construção de uma escola para essa região, que atendesse Canisianas, Nhapindazal e os outros bairros que ficam naquela região”, disse.
No entanto, ainda não houve conversas sobre o assunto.

Texto: Karin Franco

Foto: Arquivo/Hoje Centro Sul