facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1099 - Já nas bancas!
21/11/2018

Palestra em Irati marcará comemoração da reunificação da Polônia

Palestra resgatará um pouco da história do país e de seus descentes no Brasil

Palestra em Irati marcará comemoração da reunificação da Polônia

A reunificação da Polônia será comemorada em Irati através de uma palestra neste sábado (17), no Centro Cultural Clube do Comércio, que resgatará a história do país e de seus descentes que construíram uma vida no Brasil.

A coordenadora do Núcleo de Representação Central da Comunidade Brasileiro-Polonesa no Brasil (Braspol) de Irati, Nelsi Antônia Pabis, comenta que o episódio é muito importante para os poloneses já que o espaço é disputado. “A Polônia já é um país milenar, mas em 1795 ela foi repartida, a Rússia ficou com uma parte, a Prússia pegou outra e o império Austro-Húngaro pegou outro. E assim eles ficaram 123 anos, desaparecida do mapa, não existia na Europa. Com o final da Primeira Guerra Mundial, conseguiram a reunificação, a retomada do território”, conta.

Ela ainda destaca que mesmo com as invasões, os poloneses conseguiram preservar sua cultura até a reunificação. “O espaço onde era a Prússia, [poloneses] eram obrigados a falar a língua alemã, o espaço da Rússia a língua russa e no austro-húngaro também a língua alemã. Mas as vovós, as mamães, continuavam ensinando a língua polonesa dentro de casa. Quando conseguiram retomar o território, tinham a língua em comum, o que deu uma unidade bastante grande”, relata.

Atualmente, acordos internacionais respeitam as divisas territoriais da Polônia

Disputa

Nelsi conta também que a grande disputa territorial na região ocorre porque as terras polonesas são propricias ao plantio. “As terras da Polônia são muito planas, são muito cobiçadas para agricultura, por exemplo, a região sul, praticamente divisa com República Checa, a Eslováquia e a Ucrânia é que são regiões montanhosas, inclusive ponto turístico muito interessante, com estações de esqui. E o restante do território são terras muito planas, terras muito férteis, essa é uma das razões das disputas. Viveram períodos de intensas disputas de vizinhos por territórios, é uma história de muita luta para se manter no espaço europeu”, disse.

Imigração

A imigração polonesa iniciou no Brasil em 1869, mas no Paraná, os primeiros poloneses chegaram apenas em 1871, enquanto a Polônia ainda era tripartite, ou seja, dividida entre três países.

Isso fez com que muitos poloneses viessem ao Brasil com passaportes de outras localidades. “Muitos vieram com passaporte russo, outros com austro-húngaro e outros com passaporte da Prússia. Após a reunificação, em 1918, esses territórios passaram a se tornar a Polônia. Então existem algumas controvérsias, porque segundo alguns, quando foi criado o primeiro consulado aqui, foram chamados as pessoas que eram da Rússia, para eles se declararem poloneses. Como a comunicação era difícil, alguns foram e outros não. E isso está trazendo problema para quem quer fazer a cidadania”, relata.

Preservação

Mesmo longe do país, os poloneses conseguiram preservar sua cultura, principalmente através da linguagem. Ao chegarem na região – em Irati a comunidade Serra dos Nogueiras foi o principal local de imigração -, os imigrantes construíram pequenas comunidades, com a construção de espaços sociais, como igrejas e escolas. “Tínhamos aqui em Irati, os poloneses tinham 11 escolas de imigração polonesa, e o ensino era ministrado em língua estrangeira em língua polonesa”, disse Nelsi.

O ensino em língua polonesa só foi rompido na década de 30. “O nacionalismo em 1938, assinado por Getúlio Vargas, é que não permitiu mais que fizessem o uso da língua estrangeira”, explicou. O rompimento aconteceu em meio à Segunda Guerra Mundial e à uma campanha de construção de uma identidade brasileira.

O ensino da língua polonesa só voltaria às escolas após a redemocratização.No estado do Paraná temos uns quatro municípios que trabalham com língua polonesa”, conta.

Palestra

Tema: “A independência da Polônia e a comunidade polonesa no Brasil”, ministrado pelo professor Rhuan Targino Zaleski Trindade, da Unicentro.

Quando: Sábado, 17 de novembro, às 15h

Onde: Centro Cultural Clube do Comércio, centro de Irati

Realização: Academia de Letras, Artes e Ciências do Centro Sul do Paraná (Alacs) e Representação Central da Comunidade Brasileiro-Polonesa no Brasil (Braspol) de Irati

Texto: Karin Franco

Fotos: 1 - Karin Franco/Hoje Centro Sul

            2 – Arquivo/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos