facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1099 - Já nas bancas!
19/11/2018

Editorial - Endividados

Editorial - Endividados

O número de endividados no Paraná assusta. Segundo a pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), são quase 90% de endividados no estado.

Quando olhamos melhor os números, vemos que esse alto endividamento inclui os famigerados cartões de créditos. Outro dado da pesquisa revela que 70% dos paranaenses estão de alguma forma devendo exatamente nesta modalidade.

Diante dessas informações podemos chegar a algumas especulações como o fato do Paraná ser um dos estados brasileiros com melhor remuneração. Assim sendo, o assalariado está mais disposto a fazer algo no crédito do que pagar à vista. O que explicaria o alto número. Mas ainda entraria no campo da especulação, ou seja, não é possível afirmar.

No entanto, o alto número também é um alerta à saúde financeira do consumidor. Isso porque o consumidor que opta por esta modalidade de compra precisa ter uma autonomia e uma segurança para que não se perca em meio às faturas do cartão.

Na teoria, o autocontrole funciona. Porém na prática, muitos acabam perdendo o controle, já que vivemos em um mundo que estimula o consumo. Assim, promoções, parcelas baixas e demais atrativos escondem às vezes uma fatura alta e juros altos, especialmente com o pagamento mínimo do cartão – praticamente um vilão para o consumidor desatento. E assim, o número de endividados cresce.

A boa notícia é que ele não está crescendo tão rápido, e tem se estabilizado nos últimos meses. No país, o número chegou a apresentar uma diminuição, mas ainda os endividados ainda estão na casa dos 60%.

Para quem está endividado, o medo é parar em algum sistema de proteção de crédito. Quem já está lá, precisa tomar cuidado e prestar atenção aos direitos que possui. Para o restante da população, está claro que é preciso educação financeira para que o orçamento doméstico não atrapalhe a vida e especialmente a saúde, já uma pesquisa aponta que seis a cada dez inadimplentes ficaram mais ansiosos com a dívida. Em todos esses casos, a educação financeira, o planejamento e o cuidado são itens essenciais para regularizar a sua situação.